Domissanitários (sabões, detergentes e limpeza)

Avanço tecnológico adiciona benefícios ambientais – Tensoativos

Hamilton Almeida
24 de abril de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados, Avanço tecnológico adiciona benefícios ambientais aos ganhos em desempenho e custos

    Fabricantes de tensoativos estão imersos em uma onda de desenvolvimento de produtos de origem vegetal, amigáveis ao meio ambiente. O rastro de dificuldades que pavimentou o passado recente do país parece ceder lugar a um presente animador, que aponta para um futuro auspicioso.

    Química e Derivados, Fejfar: 15% do faturamento é direcionado para área de P&D

    Fejfar: 15% do faturamento é direcionado para área de P&D

    Se 2018 foi um ano marcado pelo fim de um governo e de uma estagnação geral na economia (o PIB cresceu 1,10%), em particular, no comércio de tensoativos, 2019 iniciou com novos governantes e uma expectativa de retomada do crescimento. Esta é pelo menos a sensação de José Henrique Z. Fejfar, gerente de vendas da brasileira ATA Tensoativos: “As vendas desses produtos devem crescer entre 3% e 4% este ano”, aposta, confiante.

    Na opinião do vice-presidente para a América Latina da unidade global de negócios Novecare (grupo Solvay), Francisco Fienga, 2018 foi um ano de retomada na economia e de “melhoria no ambiente de negócios”, mas “não se refletiu em aumento significativo de vendas”. Ele encara 2019 com “positivismo e otimismo, com perspectiva de aumento da atividade econômica e o consequente aumento no volume de vendas”.

    Andrea Campos Soares, diretora global de marketing e inovação da Oxiteno, destaca, em 2018 o setor de agroquímicos, aquecido pelo desempenho das commodities agrícolas: “Já as aplicações para cuidados pessoais e limpeza doméstica se mantiveram estáveis, devido a economia do país ainda estar se recuperando em relação aos patamares anteriores à crise. Para 2019, espera-se um melhor desempenho ancorado no maior otimismo dos consumidores”.

    Para a Lubrizol, o ano passado foi bastante positivo para os ramos de personal & home care. “Contamos com produção local de tensoativos e blends especiais e obtivemos crescimento com a categoria, tanto dos produtos fabricados localmente, quanto dos itens importados”, declara Bruno Manzano, gerente de vendas PHHC (personal, home e health care).

    Fejfar acredita que, no médio e longo prazo, vai crescer a demanda por produtos mais amigáveis com o meio ambiente e aos seres humanos. “Todos os nossos novos produtos estão sendo desenvolvidos com matérias-primas de baixo impacto ambiental, isentos de solventes e substâncias tóxicas”. O executivo calcula que as vendas de tensoativos “devem crescer perto dos 5% nos próximos anos”.

    Química e Derivados, Fienga: vendas crescem em todos os segmentos na região

    Fienga: vendas crescem em todos os segmentos na região

    Nos próximos anos, “a tendência é de aumento de volumes e geração de valor com novos produtos ou novas aplicações”, antecipa Fienga. “A Novecare na América Latina está trabalhando para o aumento de sua participação em todos os segmentos que atua. Estamos desenvolvendo novos produtos em linha com as tendências globais, produtos mais sustentáveis, produzidos a partir de matérias-primas 100% vegetais, utilizando processos que consomem menos energia”. Atuante em tensoativos secundários e especialidades, a Solvay trabalha nos mercados de polimerização, agroquímicos, cuidados pessoais/casa, petróleo, tratamento de água e aplicações industriais.

    Ativa em áreas chaves para o uso de tensoativos, tais como agroquímicos, cuidados pessoais, limpeza doméstica e institucional, revestimentos e petróleo e gás, a Oxiteno avalia que todas elas apresentam perspectivas de crescimento sustentável, tanto no curto quanto no médio e longo prazo. “Consultorias especializadas apontam para um crescimento médio global entre 2% e 3%, o que deve ser observado também na América do Sul”, acrescenta Andrea.

    Manzano revela que a estratégia da Lubrizol está alinhada com as premissas de sustentabilidade de menor impacto de carbono e redução de água nos processos e itens concentrados. A ideia é “prosseguir com o plano de local footprint, já que a demanda por itens de produção local e curto lead-time coincidem com o plano de oferecer soluções que facilitam a produção dos clientes, como itens de rápida entrega e redução de SKU’s através de blends concentrados e customizados”.

    Jéssica Fernandes, especialista de marketing para cuidados com a casa da Dow, também identifica crescimento nos negócios de tensoativos: “Sempre atenta às tendências atuais, a empresa verificou que a preocupação com a sustentabilidade vem aumentando ultimamente. Logo, a nossa linha cresce, principalmente, focada nesse benefício”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *