Engenharia : Sai a versão 2008 de programa de CAD em 3D

Atualidades

Já está no mercado a versão 2008 do software SolidWorks, líder dos programas de CAD (computer aided design, ou desenho auxiliado por computador) 3D.

Disponível em treze línguas, incluindo o português, a ferramenta recebeu mais de 250 modificações focadas em três temas principais: a concentração do usuário no projeto, e não na ferramenta CAD; a reutilização de projetos existentes com economia de tempo; e o aprimoramento do projeto.

Segundo o gerente-técnico da SolidWorks Corporation no Brasil, Timóteo Müller, a versão 2008 oferece um grupo de recursos criado para minimizar o tempo que o usuário gasta para aprender a utilizar o programa.

“Em muitas indústrias pequenas, o projetista se divide em diferentes funções e há pouco tempo disponível para estar com a ferramenta”, afirma Müller.

Nesse grupo de novidades estão a interface redesenhada, para diminuir o acesso a menus e comandos, e um novo mecanismo de renderização real do objeto, que gera modelos muito mais realistas.

Em qualquer instante, estão disponíveis ao usuário recursos gráficos na forma de menus suspensos na tela, disponíveis ao clique do mouse em áreas diferentes do projeto.

Há mais espaço para o trabalho do usuário na área gráfica da tela e as guias de seleção podem ser customizadas para exibir os comandos mais utilizados.

Os cenários de apresentação de produto também ganharam novas opções, mais realistas.

A versão 2008 mantém a ênfase dada em 2007 à tecnologia de recursos inteligentes SWIFT (SolidWorks Intelligent Feature Technology), cujo objetivo é transferir do usuário para o programa a execução manual de procedimentos. Ela é a base de quatro novas funções.

O Instant3D, uma das grandes novidades do lançamento, permite a modificação de dimensões do projeto na tela em tempo real, de modo muito mais intuitivo, apenas clicando e arrastando, além de possibilitar a utilização de planos para realizar alterações em tempo real.

O mecanismo de busca por palavras-chave em projetos existentes foi modificado, e agora ele “disseca” o resultado da pesquisa, mostrando as partes individuais (como um determinado recorte) procuradas.

Outro novo recurso baseado na tecnologia SWIFT é o FilletXpert, que seleciona automaticamente arestas ou partes da peça onde é possível realizar arredondamentos.

Para quem trabalha com grandes conjuntos, foi criada a ferramenta AssemblyXpert, responsável por ajudar na manipulação de projetos com muitas partes, e o SketchXpert, uma função antiga, mas melhorada, aponta erros (por exemplo, em restrição de movimentos) e possíveis soluções.

O mercado, segundo Müller, usa cada vez menos desenhos técnicos na forma de vistas de cortes e prefere os modelos tridimensionais.

Para isso, é necessário que todas as informações para a manufatura estejam disponíveis no ambiente 3D, e há demanda por funcionalidades que permitam o gerenciamento de grandes conjuntos.

Na versão 2008 do SolidWorks, há a opção de abertura automática e rápida de grandes conjuntos.

É possível selecionar apenas partes dos conjuntos e modificá-las mantendo as relações de posicionamento com outros componentes.

A lista de materiais contendo partes necessárias à manufatura de peças dos projetos, como parafusos, foi ampliada.

Além disso, na versão 2008 é possível definir atributos específicos na lista, de modo que as informações sejam refletidas na peça original.

No tema reutilizando projetos para economizar tempo, o software é apto à reutilização de dados legados ou dados já geradosem SolidWorks. Abiblioteca 3DContentCentral foi remodelada, tornando mais intuitiva a localização de componentes padrão, como motores e atuadores, e viabilizando a modificação de configurações do componente diretamente na área gráfica.

Outra novidade é o DWGnavigator, que gerencia a informação 2D e fornece um feedback de referências externas, revelando as mudanças que ocorrem no projeto quando é alterado o arquivo 2D.

Essas e outras mudanças oferecem à versão2008 acapacidade de alterar projetos criados em outras plataformas, permitindo sua modificação e o reaproveitamento da informação em tempo real.

Para a indústria de máquinas, ou empresas que trabalham com repetitividade da informação, há o recurso DriveWorksXpress, responsável por padronizar arquivos de montagem e automatizar a criação de peças, montagens e desenhos com maior facilidade que outros softwares.

A mudança de componentes desses padrões é feita pelo usuário, e as alterações resultantes nas peças e em suas dimensões são calculadas automaticamente pelo novo SolidWorks.

O terceiro foco de melhoria do programa foi o aprimoramento de projeto em aspectos relacionados à análise mecânica, de movimento, e de fluxo interno de fluidos. Uma das grandes novidades é a junção da inteligência da empresa em simulação em um mesmo ambiente, tornando muito fácil para o usuário controlar as simulações à disposição.

Um dos recursos novos, o DFMXpress, atende ao aprimoramento no quesito viabilidade de manufatura.

O recurso pode realizar análises segundo regras predefinidas, mostrando quais áreas do projeto serão caras ou impossíveis de serem usinadas, como cantos vivos.

Outra ferramenta, o TolAnalyst, computa tolerâncias individuais de peças que contribuirão para dimensões em que há tolerâncias mais severas.

É possível descobrir quem é mais determinante para o resultado final, ou qual a melhor configuração.

As empresas que carecem de precisão em algum tipo de ajuste, como produtoras de artigos para consumo ou produtoras de máquinas, podem se beneficiar desse dispositivo.

Müller ainda destaca o Design Insight, um esquema de plotagem novo que exibe em azul áreas mais importantes do modelo, sujeitas a maiores solicitações mecânicas.

A empresa percebeu que muitas vezes os usuários possuíam análises mecânicas onde era difícil atentar para áreas das peças em que se poderia reduzir o uso de matéria-prima, com o objetivo de redução de custos.

Com o novo esquema, são realçadas as partes sensíveis, ficando bastante óbvios os locais onde há potencial de redução.

Pirataria – Apesar do crescimento de 60% das vendas na América Latina em 2006, e da queda significativa do preço do software no Brasil, pela desvalorização do dólar, o comércio ilegal de programas ainda é uma grande dor de cabeça para a SolidWorks.

Química e Derivados, Oscar Siqueira, Gerente da Solid Works, Atualidades - Engenharia - Sai a versão 2008 de programa de CAD em 3D
Siqueira: vendas crescem, mas pirataria de software também

Dados do IVC, apresentados pelo gerente da empresa no Brasil, Oscar Siqueira, mostram um cenário alarmante: “60% de todos os programas comercializados no País são piratas; em CAD mecânico, o patamar é de 76%; no CAD 2D, as licenças piratas somam 83% do total, e no 3D, 55%.”

Mesmo assim, Siqueira diz que o crescimento na América Latina em 2006 chegou a 60% – muito superior ao normal de outros mercados, e sobre uma base que ele reputa como grande.

Por trás da ampliação das vendas, o gerente destaca a facilidade de uso do programa e, principalmente, o poder das revendas da SolidWorks, que recebem treinamento tanto técnico quanto em gestão.

“O reconhecimento da marca é muito maior no Brasil do que era há dois anos”, comemora Siqueira.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.