Química

Atualidades – Biotecnologia – Software espanhol calcula riscos ambientais químicos

Anelise Sanchez, de Milão
22 de setembro de 2007
    -(reset)+

    É interessante notar que, segundo os testes realizados pelos pesquisadores espanhóis, inicialmente mais de dois terços dos compostos analisados poderiam ser classificados como material biodegradável. No entanto, reiterando os testes, 47% dos compostos se revelaram, surpreendentemente, não-biodegradáveis.

    Além dos testes apontados anteriormente, cada composto também é descrito em termos de seu peso molecular, classe de solubilidade e valor de solubilidade, indicada em g/100 ml.

    Outro aspecto interessante do banco de dados coordenado pela universidade americana é o seu caráter open-source. Seguindo uma tendência mundial, a instituição acadêmica permite que profissionais do setor possam colaborar espontaneamente com o projeto. Cada interessado remete à universidade seus estudos sobre qualquer composto, que antes de ser publicado é rigorosamente avaliado por um Scientifi c Advisory Board.

    A confiança na exatidão dos resultados do software é tanta que os pesquisadores espanhóis também esperam que seus estudos possam fornecer informações fundamentais para o European Chemical Bureau. Tal organismo é responsável pela regulamentação de 3.365 substâncias perigosas que devem seguir rígidas normas de embalagem e identificação, conforme prevê a diretiva 67/548 da Comissão Européia.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *