Petróleo & Energia (gás, refino e gasolina)

Avaliação do custo métrico da broca tricônica, pdc e híbrida com base nos desgastes tribológicos

Quimica e Derivados
14 de março de 2016
    -(reset)+

    Com o estudo do custo métrico, chegou-se à conclusão que as brocas de PDC têm um maior potencial de taxa de penetração do que brocas híbridas e tricônicas. Notou-se de imediato que as brocas TC e HIB são de 57% e 27,5%, respectivamente, mais lentas do que as brocas PDC para o peso sobre a broca e velocidade de rotação na formação analisada.

    Porém, apesar da taxa de penetração razoável de 5,8 m/h, com um custo por broca de US$ 290.000 dólares, a broca híbrida, em sua estrutura de raspagem e trituração, proporciona uma vantagem sobre as brocas TC e PDC em formações heterogêneas, com desempenho mais eficiente e lucrativo. Desta forma, percebemos que a broca híbrida é indicada para formações altamente intercaladas, em que brocas tricônicas e de PDC não alcançam o desempenho esperado.

    Texto: Lourenço Ouriques

     

    Química e Derivados, Lourenço Ouriques

    Lourenço Ouriques

    BIBLIOGRAFIA

    BARRAGAN, R. V. Otimização dos parâmetros de perfuração. [S.I.]: Petrobrás/ SEREC/ CEN-NOR, 2007.

    IFEKAIBEYA, W. N. Estudo da influência da taxa de penetração de broca de perfuração nos custos da construção de poços de petróleo. CAMPINAS, 2011.

    JUNIOR, D. S. A. Metodologia para a Redução de Custos na Perfuração de Poços de Petróleo e Gás. Tese de mestrado. Escola Politécnica, USP, 2008.

    PALÁCIO, João C. R; PINHO, Rodrigo. Brocas de Perfuração de Petróleo, Rio de Janeiro, 2009.

    RADI, P.A. et al Tibologia, Conceitos e Aplicações, São Paulo: Anais do 13o Encontro de Iniciação Científica e Pós-Graduação do ITA – XIII ENCITA / 2007.

    REGALLA, S. de A. Pinto, Correlação entre tipos de brocas, taxa de penetração e formações rochosas. Rio de Janeiro 2011.

    RIBEIRO P. R., Apostila de Engenharia de Perfuração. UNICAMP, 2002.

    THONSON, I. et al. Artigo 143686 SPE, Hybrid Drill Bit Improves Drilling Performance in Heterogeneous Formation in Brazil, 2011.

    O Autor

    Lourenço Ouriques é formado em Engenharia de Petróleo pela Universidade de Vila Velha, no Espírito Santo. Este artigo foi elaborado sob a orientação da Dra. Leila Beatriz Silva Cruz.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *