Química

Anvisa reduzirá burocracia e abrirá caminho para insumos mais modernos

Quimica e Derivados
4 de maio de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados, Anvisa reduzirá burocracia nos registros e abrirá caminho para insumos mais modernos

    WellFood Ingredients: Anvisa reduzirá burocracia nos registros e abrirá caminho para insumos mais modernos

    Química e Derivados, Cresce a demanda global por ingredientes funcionais e mais saudáveis na alimentaçãoDurante o congresso WellFood Summit, realizado com a exposição WellFood Ingredients 2019, em 3 e 4 de abril, em São Paulo, a indústria de ingredientes para alimentos e bebidas recebeu uma boa notícia. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que pretende tornar o processo de registro de produtos mais ágil, simples e seguro.

    Em sua palestra, Ligia Lindner Schreiner, gerente de Avaliação de Risco e Eficácia de Alimentos da Anvisa, afirmou: “este é o momento para nós melhorarmos os processos e para o setor regulado entender essa nova abordagem. Todos nós queremos alimentos mais seguros e com mais qualidade”. Ela adiantou que as medidas buscam facilitar o acesso a suplementos alimentares seguros, melhorar o controle sanitário, reduzir assimetria de informação e eliminar obstáculos à inovação. A agência também deverá publicar um Documento Base sobre Especificações e ordenar melhor as filas para avaliação.

    Na avaliação de representantes da indústria, os regulamentos têm restringido o direito à liberdade de escolha do consumidor, por isso esperam que o alinhamento seja realizado com mais celeridade e menos burocracia.

    “É um dever da indústria contribuir para a construção dos marcos regulatórios para que todos saibam os impactos das ações no setor produtivo”, disse Marcos Pupin, da Abiad (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres), durante sua participação no congresso da WellFood Ingredients. Pupin destaca também a importância e eficácia dos acordos entre Anvisa, ministério e setor, que evitam os longos processos regulatórios.

    Desinformação prejudica – Estar atento aos conceitos de saúde do consumidor é o foco da indústria para desenvolver e oferecer produtos que atendam às demandas. Entre as novas tendências apontadas no WellFood Summit se destacam produtos que desenvolvem a parte cerebral (concentração e desenvolvimento cognitivo), que ajudam no desempenho das atividades diárias (prática de esportes e trabalho) e colaborem para um envelhecimento saudável. Todavia, fazer chegar na ponta da cadeia as informações complexas, que necessitam de balizamento técnico-científico e que devem ser passadas ao consumidor de forma precisa e concisa tem sido um desafio para fabricantes e distribuidores de ingredientes. De acordo com Luis Madi, diretor de assuntos institucionais e internacionais da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a indústria aposta fortemente na segurança dos alimentos, porém, o consumidor não tem acesso a esse tipo de informação. “Não chega até a população a evolução da ciência no setor. A desinformação acaba se tornando a maior vilã da indústria”, afirma.

    Alexandre Jobim, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (Abir), foi categórico ao dizer que a indústria tem total interesse em informar seus consumidores sobre seus produtos, mas que, porém, só pode falar sobre aquilo que é autorizada pelas agências regulatórias. “Todos nós queremos uma vida mais saudável, mas é importante que o consumidor tenha o direito de escolher. Se esses alimentos fossem nocivos, eles seriam proibidos. O consumo excessivo é outro assunto”, argumenta. Por sua vez, Tatiana Pires, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), diz que, no segmento de nutrição e suplementos alimentares, a tecnologia veio para ajudar no desenvolvimento de novas soluções, porém, a comunicação ainda é um obstáculo no Brasil. “O papel das agências reguladoras deve ser o de preservar a segurança alimentar, mas também evitar dificuldades à inovação. O que acontece hoje é que a sociedade é bombardeada com muita informação desencontrada, que acaba prejudicando a imagem da indústria”.

    Novidades na WellFoods – Empresa fundada na Alemanha há mais 140 anos, a Gelita é líder mundial no fornecimento de gelatina e colágeno para a indústria de alimentos, nutrição, saúde, farmacêutica e aplicações técnicas. No Brasil possui três unidades – Cotia e Mooca, em São Paulo, e Maringá-PR. O colágeno hidrolisado chegou ao mercado na década de 1980 como um produto inovador na suplementação alimentar e é indicado para aumentar a massa óssea, prevenindo degeneração e enfraquecimento dos ossos.

    Química e Derivados, Sandra: peptídeos bioativos de colágeno são bem absorvidos

    Sandra: peptídeos bioativos de colágeno são bem absorvidos

    “Estudos científicos mostram que 30% de toda a proteína do copo humano é constituída de colágeno que é essencial para a estabilidade dos ossos, músculos, articulações, ligamentos e tendões. Com o avanço da idade, entretanto, o colágeno natural se reduz”, explica Sandra Lucchetti, coordenadora de Marketing da Gelita. Segundo ela, o desenvolvimento dos peptídeos bioativos de colágeno, por serem partículas menores, tornaram a absorção mais eficaz no organismo. Na feira, a empresa apresentou os peptídeos bioativos de colágeno Verisol para a saúde da pele. “A ingestão diária de 2,5 gramas deste produto estimula o metabolismo, agindo de dentro para a fora. Seus efeitos positivos também contribuem para melhoria da superfície da pele e no fortalecimento das unhas. Pode ser consumido por meio de gomas ou em pós (sachês) dissolvidos em bebidas”, explica a executiva. Outro produto da linha é o suplemento Fortibone, apresentado na forma de água aromatizada com sabor de frutas. Segundo Sandra, esse peptídeo de colágeno estimula as células ósseas e tem efeito sobre os osteoblastos (célula jovem do tecido ósseo) para contrabalançar a degeneração do colágeno natural.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *