Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres

Indústria avalia ingredientes naturais para proteger a pele contra os radicais livres

O comércio global de antioxidantes para cosméticos poderá atingir US$ 158 milhões até 2025, o equivalente a uma expansão anual da ordem de 5,9% – tendo por base os US$ 119 milhões de 2020, como registra o estudo da empresa de pesquisas de mercado MarketsandMarkets.

A avaliação contempla antioxidantes naturais e sintéticos usados em vários produtos, como cuidados com a pele, cabelos e maquiagem.

As vitaminas A e E, hidroxitolueno butilado (BHT) e hidroxianisol butilado (BHA) estão entre os principais itens.

O estudo concluiu que o crescente uso de produtos cosméticos de alta qualidade, que combatem os efeitos da poluição e das mudanças climáticas na pele e nos cabelos, leva à expansão da demanda por antioxidantes.

Estes ingredientes inibem a ação dos radicais livres e são essenciais para a estabilidade das formulações.

Daniel Coelho, coordenador de marketing da Evonik em care solutions América Latina, declara que “a demanda por antioxidantes naturais vem crescendo nos últimos anos, movida por um interesse contínuo de desenvolvimento de formulações com perfil voltado para o clean label, fazendo a substituição de ingredientes polêmicos como o EDTA e o BHT”.

Ele reforça que a pandemia impactou a venda em diversas categorias, mas foi possível acompanhar um aumento no interesse dos consumidores por formulações mais verdes e conectadas com o movimento de clean beauty.

Para Adriana Palitos, coordenadora técnica comercial da Sarfam, distribuidora totalmente nacional, os cosméticos sustentáveis apresentam uma importância fundamental, principalmente porque o Brasil possui uma vasta extensão fitoecológica, biomas variados e distintos em constituição e arranjo.

Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres ©QD Foto: iStockPhoto
Adriana: faltam informações sobre ingredientes naturais

“Este cenário proporciona um promissor berço tecnológico no desenvolvimento de produtos cosméticos de origem vegetal, os quais, além de inovadores e pioneiros, possuem matéria-prima abundante em todo o território nacional. A pandemia contribuiu muito para este cenário, no qual as pessoas passaram a pensar mais em si e no planeta”, observa.

Na Basf, uma das empresas líderes no segmento, Nathalia Tavana, analista de marketing para a categoria de antioxidantes para cuidados pessoais (antioxidante para o produto), pontua que os funcionais conferem estabilidade aos cosméticos e são fundamentais para entregar um cosmético de qualidade ao consumidor; logo, a demanda acompanha o crescimento ou decréscimo do mercado cosmético.

Também da Basf, Aline Mazetti, analista de marketing para a categoria de ativos para cuidados pessoais (ativos antioxidantes, de ação na pele), pondera que esses ativos, que possuem ação biológica na pele, têm demonstrado um aumento relevante na demanda, especialmente por serem aplicados pelas categorias de skincare e dermocosméticos, que tiveram um crescimento importante durante a pandemia e continuam figurando como um mercado promissor no país.

Estes ingredientes também têm sido procurados para aplicações em cabelos, alinhando-se à busca das marcas por mecanismos e claims inovadores para a categoria.

Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres ©QD Foto: iStockPhoto
Ana Lúcia: tocoferóis garantem a estabilidade das formulações

Ana Lúcia Freire da Silva, coordenadora técnica – personal care & pharma da Tovani Benzaquen, uma das principais distribuidoras na América do Sul, é taxativa: “por serem produtos essenciais para a estabilidade das formulações, a demanda sempre se mantém alta.

O uso dos antioxidantes indicados para a prevenção do envelhecimento cutâneo vem crescendo nos últimos anos, principalmente porque o consumidor vem mostrando maior interesse sobre os benefícios dos ativos que utilizam e, devido à pandemia do Covid-19, utilizam os produtos de skin care como um ritual de cuidado, bem-estar e relaxamento”.

Coelho ressalta que os fabricantes de cosméticos buscam opções:

“Os tocoferóis são alternativas de base totalmente naturais para ingredientes sintéticos, como o BHT. Nossos agentes quelantes naturais à base de ácido fítico são biodegradáveis, alternativas de base natural e com eficácia comparável ao EDTA”.

Por sua vez, Adriana considera que ainda existem algumas lacunas de informações que limitam a utilização dos produtos de fontes naturais.

“Por um lado, existem dúvidas sobre a sua eficácia em substituição aos sintéticos; por outro, há um consenso de que, em geral, são mais seguros do ponto de vista de saúde”.

Pode-se dizer, continua, que, “historicamente, o Brasil tem seguido as tendências dos mercados mais desenvolvidos, como o norte-americano e o europeu, sendo questão de meses ou anos para que as mudanças ocorram”.

Apesar disto, ela entende que não se pode tirar conclusões precisas do que ocorrerá no caso dos antioxidantes. E complementa:

“Há ‘excesso de segurança’ com o uso dos sintéticos que, atualmente, são muito bem conhecidos e possuem inúmeros fornecedores para um mesmo princípio ativo e custo-benefício muito favorável para a indústria”.

Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres ©QD Foto: iStockPhoto
Nathalia: Tinogard CP conta com fabricação nacional

Nathalia manifesta que “a busca por alternativas naturais no mercado cosmético é crescente para todas as categorias de produto, e o mesmo também ocorre com os antioxidantes.

Entretanto, a procura por funcionais sintéticos ainda é muito alta, por conta do seu excelente desempenho e custo acessível.

Para os funcionais, acredito que existam dois pontos importantes a serem considerados: o preço e o desempenho.”

Aline sustenta, porém, que “os ativos antioxidantes com ação biológica que demonstram maior crescimento são aqueles de origem natural, obtidos de extratos vegetais e concentrados em princípios ativos como flavonoides e terpenos.

Eles possuem diversas aplicações e performance clínica; por exemplo, antissinais, controle de oleosidade, tratamento de manchas, proteção do cabelo e couro cabeludo”.

Ana Lúcia avalia que “devido ao elevado custo dos antioxidantes naturais, atualmente o mercado utiliza predominantemente os sintéticos.

Porém, a busca por produtos sustentáveis e com alto índice de vegetalização cresce exponencialmente abrindo espaço para o mercado dos naturais”.

Consumo – Segundo Coelho, da Evonik, os antioxidantes completam o sistema de proteção em uma formulação cosmética.

São importantes para garantir a vida útil, a segurança e a performance dos produtos.

Previnem contra impactos de reações de oxidação, como cheiro rançoso, descoloração, perda de função, separação e potenciais alergênicos (por exemplo, de óleos essenciais).

Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres ©QD Foto: iStockPhoto
Coelho: conceito clean label pede substituição de insumos

“Os consumidores conhecem os tocoferóis da vitamina E como suplemento alimentar e, portanto, têm uma alta aceitação para estes ingredientes como antioxidantes cosméticos. E também os agentes quelantes à base de ácido fítico, derivado da casca/pele de grãos como arroz ou milho. O acetato de tocoferila é conhecido como um derivado da vitamina C”, adiciona.

Na opinião de Adriana, da Sarfam, é o público mais jovem, engajado com o natural e o sustentável, que mais procura os produtos com antioxidantes naturais.

Antioxidantes: Protegendo a pele contra os radicais livres ©QD Foto: iStockPhoto
Aline: jovens valorizam mais os insumos de origem natural

Essa preferência do mercado faz Aline, da Basf, refletir que “além da eficácia e performance clínica, esses ativos possuem potencial de storytelling sobre as plantas de origem e que pode ser explorado na comunicação e marketing do produto”.

Coelho assevera que a perspectiva é de que a demanda por antioxidantes naturais continue crescendo, contribuindo para a transformação das formulações cosméticas e para atender às necessidades de consumidores cada vez mais exigentes.

Aline expressa a mesma expectativa: “com as estimativas de continuidade de crescimento dos mercados de skincare e dermocosméticos, a perspectiva para o portfólio de ativos antioxidantes também é de crescimento”.

Ana Lúcia, da Tovani Benzaquen, enfatiza que “o mercado de ingredientes antioxidantes é muito promissor.

Observamos uma busca por produtos dermocosméticos antioxidantes e segue em alta o desenvolvimento e inovações em relação a produtos naturais e orgânicos, nos quais a utilização de antioxidantes naturais é imprescindível”.

Adriana sintetiza: “este é um tipo de produto que sempre está entre os cinco mais usados. Acredito que para este ano e para os próximos teremos esta continuidade”. E revela:

“Apesar de nossa grande biodiversidade, a maioria de produtos com esta finalidade são importados”.

No caso da Basf, Nathalia informa que, “sobre os antioxidantes funcionais, temos produtos importados e nacionais. A empresas está investindo cada vez mais em trazer alternativas locais para seus clientes, guiada por alguns desafios, como logística, escassez de matérias-primas e outras questões que foram impulsionadas durante esses últimos dois anos”.

Ela garante que a companhia “entende cada vez mais a importância de ter soluções produzidas localmente para atender ao mercado da América do Sul”.

Aline cita que o portfólio de ativos antioxidantes é importado, proveniente dos sites de produção e centros de desenvolvimento na França e nos Estados Unidos.

Produtos – A Evonik oferece, com a linha dermofeel, aditivos cosméticos capazes de proteger eficazmente os ingredientes contra a oxidação, de acordo com Coelho.

Usando combinações de tocoferóis mistos naturais e agentes quelantes naturais, um formulador pode alcançar a proteção desejada.

Ele salienta que a ampla gama de tocoferóis naturais oferece soluções para todas as aplicações, desde eficácia direcionada até banda larga multifuncional, utilizando várias fontes de plantas não geneticamente modificadas que fornecem diferentes composições de tocoferóis.

Expandindo o termo “proteção”, a linha dermofeel também inclui antioxidantes e éster de vitamina C para uso em produtos ativos de cuidados pessoais e beleza, como removedores de radicais livres para a pele.

Do portfólio da Sarfam, Adriana destaca os seguintes produtos: Mokaté é um óleo extraído da semente do melão do deserto do Kalahari, 100% sustentável, vegano, natural e orgânico, rico em ômegas 6 e 9 e uma rica fonte de vitamina E, superior a outros óleos convencionais.

Sun’Chronize é obtido a partir de flores de açafrão. Este extrato é rico em polifenóis, o que lhe permite uma atividade fotoprotetora e cronobiológica: protege a pele do sol e de seus efeitos deletérios e ressincroniza o relógio das células internas da pele.

Et-VC é um derivado da vitamina C, estável e multifuncional que proporciona um excelente clareamento, servindo como um potente ativo antienvelhecimento que aumenta a produção de ácido hialurônico, síntese de colágeno, e protege a pele de dano intrínseco ao DNA, bem como de UV extrínseco, luz azul e danos causados pela poluição do ar.

As novidades ficam por conta dos peptídeos, em especial o Pep Cooper (peptídeo de cobre), que “são os verdadeiros guardiões da pele”, na concepção de Adriana.

Ana Lúcia difunde que a Tovani Benzaquen fornece o Tocoblend L 70 IP, um mix de tocoferóis (alpha, beta, delta e gama tocoferol).

De origem natural, possui alta performance para proteção do produto garantindo ótima estabilidade para a formulação.

A empresa também trabalha com o Pantrofina Skin 360, ativo derivado de extrato de pinheiro bravo, com ação antioxidante e protetora contra poluição e radiação UV. Possui também ação calmante, redensificadora, energizante e de controle da oleosidade.

Como inovação para prevenção do envelhecimento cutâneo, Ana Lúcia anuncia que a empresa oferta o Bicoalgae XT, ativo nanotecnológico de sistema duplo de liberação, com target delivery na pele.

Com extrato de microalga H. pluvialis microencapsulado, rico em astaxantina, promove alta permeação cutânea e performance na pele.

De acordo com os estudos clínicos realizados, aumenta em 100% a capacidade antioxidante da pele, diminui linhas de expressão e promove firmeza à pele. Também é fonte de esfingolipídios e fosfolipídios que fortalecem e recuperam a barreira cutânea.

Nathalia explica que a Basf atua em duas frentes: a linha Tinogard, composta por antioxidantes funcionais que garantem a estabilidade das fórmulas, e os antioxidantes ativos, que atuam na pele trazendo diversos benefícios de tratamento.

Aline complementa: “os ativos antioxidantes com eficácia biológica estão incluídos no portfólio de bioativos da linha Beauty Creations, que é focada em ingredientes com mecanismos inovadores e performance clínica na pele e no cabelo”. Exemplos: Ciste´M, Mat-XS Bright, Nephoria, Puricare, Litchiderm e Rambuvital.

Para os funcionais, a aposta para os próximos anos é o Tinogard CP, revela Nathalia.

“Com a vantagem de ser produzido no Brasil, garantindo agilidade e segurança no seu abastecimento, este é um antioxidante fenólico, não-iônico, solúvel em fase oleosa com o diferencial de não precisar ser solubilizado e/ou aquecido, diminuindo a complexidade na produção e o uso de recursos, por exemplo, de energia. É de alta performance, versátil e não confere amarelamento ao produto”.

A multinacional alemã lançou, recentemente, o Seanactiv, um ativo obtido de algas marinhas e concentrado em fucoidana, que possui um potente mecanismo de iluminação e rejuvenescimento da área dos olhos, com redução visível de olheiras, rugas e linhas de expressão em apenas sete dias, descreve Aline. Possui ação antioxidante e anti-inflamatória que revitaliza e ilumina a região dos olhos.

Tudo indica que os investimentos no segmento vão continuar. Coelho indica que as aplicações da Evonik em “pesquisa, desenvolvimento e inovação são robustos e contínuos, permitindo que o portfólio de ingredientes para cosméticos seja constantemente atualizado para atender todas as atuais e futuras demandas do mercado”.

A Basf segue na mesma linha. “Vamos seguir investindo no desenvolvimento de novas soluções; o Tinogard CP é um exemplo do investimento da empresa em produtos desenvolvidos e produzidos no Brasil”, comenta Nathalia.

“De maneira similar, a empresa continua investindo no desenvolvimento de ativos antioxidantes que atuam por meio de diferentes mecanismos de ação, com aplicações e fontes diferenciadas, que ajudarão as marcas cosméticas a continuarem inovando no mercado”, conclui Aline.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios