Laboratório e Análises

Analitica Latin America: Atualização da tecnologia das análises melhora o desempenho e a produtividade operacional

Marcelo Fairbanks
25 de setembro de 2017
    -(reset)+

    Química e Derivados, Stauffenegger: parceria com a Pittcon estimula pesquisas

    Stauffenegger: parceria com a Pittcon estimula pesquisas

    Visão abrangente – Embora o Brasil tenha algum atraso em relação aos centros mais avançados, em alguns segmentos de mercado o país é considerado uma referência mundial. “É o caso do agronegócio, cujos avanços foram iniciados nas universidades e institutos como a Embrapa, além da mineração, atividade na qual há bons avanços na área analítica”, avaliou Sérgio Henri Stauffenegger, diretor do Grupo Vidy e membro do comitê organizador do Congresso Analitica Latin America.

    Esses avanços brasileiros despertaram a atenção dos organizadores da Pittcon (Pittsburg Conference), o mais importante encontro da área analítica realizado nos Estados Unidos. “Temos uma parceria com eles, mediante a qual os trabalhos premiados no nosso congresso são levados a participar do congresso deles”, explicou. Além disso, a parceria facilita trazer ao Brasil conhecimentos nas áreas nas quais há alguma defasagem, a exemplo da nanotecnologia e biotecnologia, ramos novos do conhecimento.

    A Vidy completou 60 anos de atuação em agosto, sendo especializada na construção, atualização e reforma de laboratórios completos em todos os tipos de clientes, das escolas e universidades às indústrias de vários segmentos. “Em nossa história, sempre tínhamos um setor que ia melhor que os outros e mantinha o faturamento, mas a crise atual atingiu todos eles”, lamentou Stauffenegger. Como citou, nos cinco anos anteriores ao início da crise, a área de petróleo e petroquímica absorveu a maior parte das atenções. A queda da Petrobras e dos projetos do Pré-Sal atingiram em cheio o setor analítico.

    Ao mesmo tempo, os ramos de alimentos, farmacêutico e de mineração seguiram atuantes, com crescimentos consecutivos. “Mesmo assim, a crise fez reduzir entre 20% e 25% a nossa atividade em relação ao período anterior, mas sentimos uma recuperação recente, até mesmo na petroquímica e plásticos”, afirmou.

    A Analitica, segundo ele, é importante para o setor por atrair um público diversificado, reunindo interesse mais amplo do que outras promoções. “Participamos desde a primeira edição e ela sempre alavancou negócios”, ressaltou. “O pessoal de pesquisa e desenvolvimento forma o maior contingente de visitantes, eles atuam na adaptação de formulações para as nossas condições, buscam novos ingredientes e novas aplicações”, comentou. Mas é crescente a procura por produtos voltados à biossegurança, acompanhando o desenvolvimento da produção de vacinas. “A nanotecnologia também é uma nova avenida para o conhecimento”, concluiu.

    Química e Derivados, Demétrio destacará insumos para HPLC e o purificador de água Milli-Q IQ7000

    Demétrio destacará insumos para HPLC e o purificador de água Milli-Q IQ7000

    Muitas novidades – A divisão analítica da Merck aproveitará a Analitica para apresentar muitas novidades. “Todos os anos, lançamos entre 10 e 15 produtos, envolvendo instrumentos, purificadores de água e consumíveis”, informou Fábio Demétrio, head da área de life sciences da companhia no Brasil.

    Como comentou, há tendências importantes nesse mercado que devem ser atendidas pelos fornecedores. “Do ponto de vista técnico, há um desejo de substituir a via úmida por fase sólida nas análises e isso tem várias implicações”, afirmou. Além disso, em todo o mundo a redução de espaço ocupado nos laboratórios e as iniciativas para automação dos processos estão avançando rapidamente.

    “Quando se fala em economia de espaço, sempre se pensa em diminuição do tamanho dos instrumentos ou mudança de técnicas analíticas, mas não é só isso”, informou. Demétrio mostra que há outras opções. Sendo a Merck especializada em cromatografia, ele comentou que os solventes usados em HPLC ocupam um espaço muito grande. “São aquelas garrafas de vidro que dão trabalho para manusear”, disse. “É possível substituí-las por tambores retornáveis acoplados diretamente ou indiretamente aos instrumentos.” Nesse caso, os tambores ficariam do lado de fora dos laboratórios, sendo conectados aos cromatógrafos por tubulação. A alternativa exige algum investimento, mas é interessante.

    Na cromatografia, a novidade da Merck é a integração dos produtos Supelco ao portfólio. “Além das colunas cromatográficas de excelente qualidade, a Supelco também fornece padrões analíticos e gases”, explicou. Dois pontos fortes para a companhia são o suprimento de solventes e de água com padrão analítico.

    Neste ano, a Merck (detentora da marca Millipore) lançou o Milli-Q IQ 7000, purificador de água com total comando por tela de cristal líquido de sete polegadas, capaz de gerar grandes volumes ou muito pequenos, simulando conta-gotas. “Detemos mais de 80% do suprimento de água em laboratórios”, afirmou.

    Química e Derivados, Purificador de água Milli-Q IQ7000

    Purificador de água Milli-Q IQ7000

    Atualmente a Merck reforça seu portfólio nas áreas de segurança alimentar e controle biológico, fornecendo testes rápidos, mediante a aquisição de companhias especializadas.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *