Analitica Latin America: Atualização da tecnologia das análises melhora o desempenho e a produtividade operacional

Química e Derivados, Analitica Latin America: Atualização da tecnologia das análises melhora o desempenho e a produtividade operacional

Fornecedores e usuários de produtos e serviços ligados ao campo das análises têm encontro marcado no São Paulo – Expo & Convention Center, de 26 a 28 de setembro, na Analitica Latin America. O maior evento do setor na região é realizado a cada dois anos e atende a uma ampla gama de segmentos de mercado, tanto da iniciativa privada, quanto de órgãos públicos, universidades e institutos de pesquisa.

Química e Derivados, Carvalho: feiras atuais devem gerar experiências exclusivas
Carvalho: feiras atuais devem gerar experiências exclusivas

“Esperamos trazer para a feira mais de 7,5 mil visitantes para conhecer as novidades da mais de 500 marcas expostas, superando os números alcançados em 2015”, comentou Diego Carvalho, diretor de portfólio da NürnbergMesse Brasil, organizadora da 14ª Analitica Latin America e do 5º Congresso Analitica, promovido paralelamente.

Carvalho salienta que o mercado de produtos e serviços analíticos sentiu os efeitos da crise econômica nacional, mas sinais de recuperação voltaram a ser emitidos nos últimos 14 meses. “Os expositores estão preparando uma quantidade grande de novidades para mostrar ao público, mesmo porque os clientes da área farmacêutica e de cosméticos são muito fortes e atuam no mercado global, requerendo avanços constantes em análises”, considerou.

O diretor de portfólio ressalta que o papel de uma feira de negócios não se resume a gerar encomendas, mas também de auxiliar a criação de uma rede de suprimentos, bem como de fortalecer relacionamentos entre pessoas. “Adotamos uma estratégia na qual os diversos agentes envolvidos tenham uma comunicação melhor entre eles, mais efetiva”, comentou.

Dessa forma, ficou estabelecido o Circuito do Conhecimento e Inovação, permitindo a troca de conhecimentos e experiências entre os participantes. Há também o Q-Lounge, local aberto e acessível com apresentações rápidas focadas em tendências de mercado e novas técnicas, com a possibilidade de realizar demonstrações práticas no espaço Live Lab, totalmente equipado para isso. A emergente nanotecnologia terá espaços próprios para expor tecnologias específicas (Nano Trade Show e NanoSoluções).

A MesseNürnberg também criou o serviço hospitality class, mediante o qual 500 clientes estratégicos selecionados pelos expositores terão acesso exclusivo e diferenciado ao evento, com contato direto e próximo com os expositores. Também será promovida a Insight Experience com 80 visitantes especialmente escolhidos para levantamento do conteúdo de interesse para eles e sua satisfação. Os participantes podem ser levados a um curso no exterior. “Atualmente, uma feira precisa ir além dos conceitos tradicionais e oferecer experiências exclusivas para diferentes públicos”, salientou.

Além da exposição, Carvalho ressalta a importância do congresso paralelo, que atrai pesquisadores, técnicos e estudantes. “O congresso terá palestrantes daqui e do exterior, com alta qualidade e atualidade dos temas”, disse. Como salientou, ainda há uma lacuna entre a química analítica nacional e o que se faz no exterior. E não se trata de falta de instrumentação, pois o Brasil foi o maior comprador de instrumentos analíticos do mundo em 2013. “O nosso problema está nos entraves burocráticos, os pesquisadores têm uma grande dificuldade para transformar o conhecimento por eles desenvolvido em negócios efetivos”, lamentou. Nesse sentido, a realização da Analitica tem o papel de gerar negócios e também alavancar a solução de problemas comuns.

Com base nos dados apontados pelo pré-credenciamento dos visitantes, Carvalho aponta que mais de 45% deles atuam em laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, dos quais 17% estão na indústria ou área comercial e 17% na academia. “Eles buscam inovações e fontes alternativas de suprimento de equipamentos, instrumentos, acessórios e insumos químicos, como reagentes”, afirmou.

Química e Derivados, Stauffenegger: parceria com a Pittcon estimula pesquisas
Stauffenegger: parceria com a Pittcon estimula pesquisas

Visão abrangente – Embora o Brasil tenha algum atraso em relação aos centros mais avançados, em alguns segmentos de mercado o país é considerado uma referência mundial. “É o caso do agronegócio, cujos avanços foram iniciados nas universidades e institutos como a Embrapa, além da mineração, atividade na qual há bons avanços na área analítica”, avaliou Sérgio Henri Stauffenegger, diretor do Grupo Vidy e membro do comitê organizador do Congresso Analitica Latin America.

Esses avanços brasileiros despertaram a atenção dos organizadores da Pittcon (Pittsburg Conference), o mais importante encontro da área analítica realizado nos Estados Unidos. “Temos uma parceria com eles, mediante a qual os trabalhos premiados no nosso congresso são levados a participar do congresso deles”, explicou. Além disso, a parceria facilita trazer ao Brasil conhecimentos nas áreas nas quais há alguma defasagem, a exemplo da nanotecnologia e biotecnologia, ramos novos do conhecimento.

A Vidy completou 60 anos de atuação em agosto, sendo especializada na construção, atualização e reforma de laboratórios completos em todos os tipos de clientes, das escolas e universidades às indústrias de vários segmentos. “Em nossa história, sempre tínhamos um setor que ia melhor que os outros e mantinha o faturamento, mas a crise atual atingiu todos eles”, lamentou Stauffenegger. Como citou, nos cinco anos anteriores ao início da crise, a área de petróleo e petroquímica absorveu a maior parte das atenções. A queda da Petrobras e dos projetos do Pré-Sal atingiram em cheio o setor analítico.

Ao mesmo tempo, os ramos de alimentos, farmacêutico e de mineração seguiram atuantes, com crescimentos consecutivos. “Mesmo assim, a crise fez reduzir entre 20% e 25% a nossa atividade em relação ao período anterior, mas sentimos uma recuperação recente, até mesmo na petroquímica e plásticos”, afirmou.

A Analitica, segundo ele, é importante para o setor por atrair um público diversificado, reunindo interesse mais amplo do que outras promoções. “Participamos desde a primeira edição e ela sempre alavancou negócios”, ressaltou. “O pessoal de pesquisa e desenvolvimento forma o maior contingente de visitantes, eles atuam na adaptação de formulações para as nossas condições, buscam novos ingredientes e novas aplicações”, comentou. Mas é crescente a procura por produtos voltados à biossegurança, acompanhando o desenvolvimento da produção de vacinas. “A nanotecnologia também é uma nova avenida para o conhecimento”, concluiu.

Química e Derivados, Demétrio destacará insumos para HPLC e o purificador de água Milli-Q IQ7000
Demétrio destacará insumos para HPLC e o purificador de água Milli-Q IQ7000

Muitas novidades – A divisão analítica da Merck aproveitará a Analitica para apresentar muitas novidades. “Todos os anos, lançamos entre 10 e 15 produtos, envolvendo instrumentos, purificadores de água e consumíveis”, informou Fábio Demétrio, head da área de life sciences da companhia no Brasil.

Como comentou, há tendências importantes nesse mercado que devem ser atendidas pelos fornecedores. “Do ponto de vista técnico, há um desejo de substituir a via úmida por fase sólida nas análises e isso tem várias implicações”, afirmou. Além disso, em todo o mundo a redução de espaço ocupado nos laboratórios e as iniciativas para automação dos processos estão avançando rapidamente.

“Quando se fala em economia de espaço, sempre se pensa em diminuição do tamanho dos instrumentos ou mudança de técnicas analíticas, mas não é só isso”, informou. Demétrio mostra que há outras opções. Sendo a Merck especializada em cromatografia, ele comentou que os solventes usados em HPLC ocupam um espaço muito grande. “São aquelas garrafas de vidro que dão trabalho para manusear”, disse. “É possível substituí-las por tambores retornáveis acoplados diretamente ou indiretamente aos instrumentos.” Nesse caso, os tambores ficariam do lado de fora dos laboratórios, sendo conectados aos cromatógrafos por tubulação. A alternativa exige algum investimento, mas é interessante.

Na cromatografia, a novidade da Merck é a integração dos produtos Supelco ao portfólio. “Além das colunas cromatográficas de excelente qualidade, a Supelco também fornece padrões analíticos e gases”, explicou. Dois pontos fortes para a companhia são o suprimento de solventes e de água com padrão analítico.

Neste ano, a Merck (detentora da marca Millipore) lançou o Milli-Q IQ 7000, purificador de água com total comando por tela de cristal líquido de sete polegadas, capaz de gerar grandes volumes ou muito pequenos, simulando conta-gotas. “Detemos mais de 80% do suprimento de água em laboratórios”, afirmou.

Química e Derivados, Purificador de água Milli-Q IQ7000
Purificador de água Milli-Q IQ7000

Atualmente a Merck reforça seu portfólio nas áreas de segurança alimentar e controle biológico, fornecendo testes rápidos, mediante a aquisição de companhias especializadas.
Água disputada – A Veolia vai engrossar a disputa pelos equipamentos de purificação de água para laboratórios. A companhia aproveitará a Analitica para lançar o Purelab Chorus, da linha Elga, sistema modular de fornecimento de todos os tipos de água purificada, com vazão escalável, em várias opções de armazenamento e distribuição. Além desse lançamento, a Veolia exibirá a linha completa de purificadores Elga em seu estande.

Química e Derivados, Veolia lançará o sistema modular Purelab Chorus
Veolia lançará o sistema modular Purelab Chorus

Avanço em HPLC – A Waters apresentará o sistema Acquity ARC, capaz de aumentar a produtividade dos laboratórios. Unindo a tecnologia Multi-flow Path com o gradiente Smart Start, ele permite que, além de trabalhar com metodologias oficiais, desenvolvidas em sistemas de HPLC convencionais, também consiga desenvolver novas metodologias, utilizando colunas modernas com diâmetros de partículas e diâmetro interno menores, proporcionando análises mais rápidas e eficientes.

A empresa explicou que o Acquity ARC permite alternar entre sistemas HPLC e UHPLC sem intervenção física, devido à tecnologia Multi-flow Path, que realiza a mudança com apenas um clique no Empower, selecionando Path 1 ou Path 2. Ao novo sistema podem ser acoplados detectores ópticos e espectrômetros de massa.

Insumos químicos – A Interlab, com mais de 40 anos de mercado, está reforçando a linha de insumos químicos e reagentes para laboratórios analíticos, além de ampliar o portfólio de ingredientes para o setor farmacêutico. “Mantemos parcerias com fornecedores qualificados de várias origens”, informou Angela Bueno Hidalgo assessora técnica da empresa.

Como comentou, houve um aumento recente de demanda por materiais para análises microbiológicas, especialmente para ensaios de controle de qualidade de entrada de insumos e saída de produtos nas indústrias, em quantidade superior à apresentada pelo segmento de pesquisa. “Houve também crescimento na demanda por meios de cultura”, disse. A Interlab também vende consumíveis de plásticos especiais, como placas de ensaio e bolsas de coleta.

“A empresa havia se preparado para enfrentar a crise, mas nossas vendas até cresceram e justificaram o reforço da estrutura interna”, afirmou. A participação na Analitica é importante por permitir contato direto com clientes de várias localidades. “É sempre bom saber com quem você fala, o relacionamento pessoal é muito valorizado”, comentou. Os contatos efetuados durante a feira abrem caminho para a validação de produtos em novos clientes e aplicações, resultando em negócios futuros.

Vidraria e equipamentos – A tradicional Laborglas, fundada em 1974, é conhecida fabricante e fornecedora de todos os tipos de produtos de vidraria laboratorial, atuando com as marcas Schott e Duran. Também comercializa materiais de plástico da Biologix para microbiologia e equipamentos da LGI Scientific. Em seu estande, os visitantes encontrarão novos dispensadores para dosificar reagentes agressivos, pipetadores automáticos, auxiliares de pipetagem construídos com materiais de alta qualidade e desenho ergonômico muito leve com bateria de longa duração e controle de velocidade de aspiração. A empresa também apresentará o controlador de pipetagem, macropipetador com controle por sistema de compressão por pera de sucção, oferecendo facilidade de manuseio, sendo prático e seguro, com opções de cores que se adaptam a qualquer ambiente do laboratório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.