Alimentos: Plataforma exibe melhores práticas de 33 empresas

O Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, lançou, em 23 de junho, a plataforma Indústria de Alimentos 2030.

Trata-se de um hub de conteúdo que apresenta, de forma didática e objetiva, as melhores práticas de 33 empresas para a promoção da saudabilidade dos alimentos e bebidas e da sustentabilidade do sistema alimentar.

As informações sobre estas ações estão distribuídas por temas, como Valor Nutricional e Segurança de Produtos, Sustentabilidade da Produção e Responsabilidade Social das Empresas.

O portal dá continuidade à publicação de mesmo nome lançada, há dois anos, na Anufood Brazil, em meio ao contexto do fortalecimento do ESG (Environmental, Social and Governance), conjunto de práticas de compromisso ambiental, social e de governança.

“Diferentemente do ESG, não consideramos tanto o aspecto da governança, mas consideramos muito mais as melhorias nutricionais que vêm sendo feitas”, explica Luis Madi, coordenador do projeto Alimentos Industrializados 2030 e diretor de Assuntos Institucionais do Ital.

Segundo Madi, uma das contribuições do portal é a divulgação do trabalho de redução de sódio que tem sido feito há anos por diversas indústrias, abrangendo as principais delas entre os setores de carne e de panificação e confeitaria.

Além disso, considerando o mesmo tema, traz ainda alguns desenvolvimentos inovadores (veja tabela em reportagem anterior).

“Através do hub, estimulamos as empresas participantes a ampliarem suas ações e as que não participam a se engajarem nesse processo”, afirma.

Este portal representa uma das frentes do projeto Alimentos Industrializados 2030, um conjunto de ações criado para disseminar informações técnicas e científicas que comprovam a importância desses alimentos para a sociedade brasileira.

Ele foi desenvolvido após a publicação do Guia Alimentar para a População Brasileira, pelo Ministério da Saúde (de 2014), que classificou parte dos alimentos industrializados como “ultraprocessados”, ao agrupá-los de acordo com o nível de processamento pelo qual passaram.

Madi enfatiza que, além de ser inadequada, essa classificação confunde o consumidor.

O embrião do Alimentos Industrializados 2030 é o projeto Brasil Food Trends 2020, que começou dez anos antes, praticamente com a Plataforma de Inovação Tecnológica (PITec), do Ital, criada para trazer as inovações e tendências dos principais setores de alimentos do mundo para o Brasil.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.