Alimentos & Bebidas

14 de Janeiro de 2018

Alimentos: Consumidor prefere Clean Label

Mais artigos por »
Publicado por: Antonio C. Santomauro
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Química e Derivados, Airton Vialta, pesquisador do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital)

    Airton Vialta, pesquisador do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital)

    Mais que novos aditivos, os consumidores hoje demandam alimentos com quantidades menores de aditivos como conservantes, corantes e aromas, ou mesmo sem eles, informa Airton Vialta, pesquisador do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital). “É a busca por produtos ‘sem’, ou ‘livre de’, também conhecida como clean label”, destaca o pesquisador. A expressão clean label – rótulo limpo, em inglês – decorre da obrigação de informar a presença de aditivos nos rótulos dos alimentos.

    Conservantes, por exemplo, podem ser eliminados com o emprego de determinados gêneros de embalagens ou processos (ou com o uso de ambos). “Casos das embalagens dos produtos UHT, que passam por um processo de esterilização comercial e são colocados em embalagens multicamadas em ambiente asséptico”, especifica o pesquisador. Além disso, o aumento da preocupação com a saúde valoriza alimentos e bebidas capazes de suprir eventuais deficiências do organismo, entre eles, os produtos enriquecidos ou fortificados com vitaminas e sais minerais, bem como os alimentos funcionais: prebióticos, probióticos, com ômega 3, com fitosteróis, entre outros.

    Como outra tendência do atual mercado de alimentos ele cita ainda a busca pelo ‘natural’ – embora esse conceito não esteja ainda definido com muita exatidão –, também expressa em rótulos que informam ‘sem corantes artificiais ou com corantes naturais’, ou ‘sem aromas artificiais ou com aromas naturais’. Mas Vialta ressalta: “Não há nenhuma justificativa científica para uso dos aditivos naturais em vez dos sintéticos. O aroma artificial de baunilha, por exemplo, é feito através de síntese química, e sua molécula é idêntica à do aroma natural”.

    Para divulgar essas características dos alimentos industrializados, no final do ano passado, o Ital lançou o sítio alimentosprocessados.com.br, onde há diversas informações sobre eles. O mesmo instituto desenvolveu também a publicação Brasil Ingredients Trends 2020, no qual analisa tendências e novidades do mercado brasileiro de aditivos e ingredientes para alimentos (disponível em www.brasilingredientstrends.com.br).



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *