Tratamento de Água

Água: Normas mais rígidas de qualidade estimulam as vendas de floculantes

Hamilton Almeida
24 de outubro de 2017
    -(reset)+

    O executivo adiciona que a empresa realiza investimentos globais constantes em inovação. Recentemente, foi inaugurado em Paulínia-SP o Centro de Tecnologia para atender a América Latina. Possui, aproximadamente, mil m2 de área construída e estrutura para gerenciar as necessidades de aplicações dos clientes da região e o desenvolvimento de novos produtos. Este é o 7º centro de tecnologia da companhia no mundo. Os outros seis estão localizados em Wilmington (Estados Unidos), Krefeld (Alemanha), Barendrecht (Holanda), Shanghai (China), Drammen (Noruega) e Terrassa (Espanha).

    A inauguração do novo laboratório amplia, como explicou Fernando, a capacidade de estabelecer parcerias estratégicas com o fornecimento de especialidades químicas para o tratamento de águas industriais e aditivos para processos nas unidades de celulose e papel, açúcar e álcool e mineração.

    Química e Derivados, Freitas: mineração própria gera vantagem competitiva

    Freitas: mineração própria gera vantagem competitiva

    Planos – Indagado sobre o lançamento de algum novo produto, Ricardo Fernandes responde que a Kurita “sempre busca lançar floculantes com melhor desempenho, assim como equipamentos que permitam o controle e o monitoramento de suas aplicações”.

    Entre os planos da empresa está a orientação de “investir cada vez mais no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis e competitivas com foco no reuso e reciclo de efluentes”. A razão é óbvia: “ A escassez de água de boa qualidade deverá se tornar uma realidade cada vez mais frequente nos próximos anos e a melhor utilização das correntes existentes na indústria certamente será um diferencial competitivo”.

    A meta da Bauminas é, de acordo com Igor Freitas, manter-se na liderança e na vanguarda das novas tecnologias em produtos, propiciando que os clientes adicionem cada vez mais qualidade e eficiência no tratamento de água e efluentes com “excelente custo-benefício”, contribuindo para o maior acesso da população brasileira à água tratada e de qualidade.

    “A Basf entende que o mercado de águas é um dos pilares do desenvolvimento humano mundial e trabalha constantemente no desenvolvimento de tecnologias, seja em polímeros ou em outros tipos de produtos e equipamentos”, expõe Gustavo Fernandes. “A demanda por água tem mudado muito ao longo do tempo e tecnologias como reuso, dessalinização, entre outras, ganham força e participação ao longo do tempo. A Basf está inserida em todos esses segmentos, com portfólio de produtos e tecnologias”.

    A Solenis enxerga um importante potencial de crescimento na América do Sul. Fernando Agostinho faz questão de especificar que, “atualmente, a empresa investe 2,2% do seu faturamento anual em P&D. Além disso, 25% dos novos produtos comercializados têm menos de 5 anos de vida, demonstrando o compromisso com a entrega da inovação de que o setor necessita”.

    No momento, o grupo Kurita aplica, anualmente, quase 2,5% do seu faturamento em P&D. Possui centros de tecnologia no Japão, Alemanha e Singapura. “A empresa também tem investido em equipamentos de controle e monitoramento das aplicações de floculantes”, conclui Ricardo.

    A Bauminas Química investe em pesquisa e acredita que a inovação constante é a melhor maneira de manter posição e destaque onde atua. Para tanto, criou o CTB – Centro Tecnológico Bauminas, voltado à P&D de novos produtos. “Contamos com profissionais experientes e moderna estrutura para realização de testes comparativos e análises técnico-laboratoriais”, relata Igor Freitas. Cada unidade fabril possui um laboratório coordenado pelo CTB, que alinha as diretrizes de P&D de novos produtos, de modo a garantir que eles sejam amplamente testados e avaliados.

    A Basf faz investimentos em diferentes aplicações, “como polímeros naturais e biodegradáveis, produtos mais eficientes e de menor consumo”, cita Gustavo.

    A filosofia da GE é a seguinte: toda inovação deve estar em todos os clientes ou nos novos clientes em, no máximo, cinco anos. Com isso, Alexandre quer dizer que os centros de pesquisas da empresa em todo o mundo trabalham constantemente.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *