Água – Setor discute como eliminar o risco de desabastecimento

Água ou escassez: qual o futuro que queremos? Em torno dessa interrogação gira o tema central do Encontro Técnico AESabesp, 27º Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente, que acontecerá paralelamente à 27ª Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan), nos próximos dias 16 a 18 de agosto, no Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte, na capital paulista.

Fenasan - Água - Setor discute como eliminar o risco de desabastecimento
Fenasan – Água – Setor discute como eliminar o risco de desabastecimento

Espera-se a presença de cerca de 20 mil visitantes, entre executivos, técnicos, empresários, gestores e pesquisadores de órgãos públicos e privados, acadêmicos e outros interessados.

Química e Derivados, Sachs: crise hídrica não terá fim só com as chuvas de 2016
Sachs: crise hídrica não terá fim só com as chuvas de 2016

Para o presidente da AESabesp (Associação dos Engenheiros da Sabesp), Olavo Alberto Prates Sachs, a expectativa é que a Fenasan “continue sendo a maior feira de saneamento ambiental da América Latina, uma verdadeira vitrine desse mercado”. Em que pese a crise econômica nacional, o evento atraiu grande número de expositores do Brasil e de grupos internacionais.

A AESabesp organiza anualmente, desde 1990, o Encontro Técnico – Congresso Nacional. Os principais objetivos são a apresentação de trabalhos técnicos, a troca de informações, a discussão de políticas públicas e o fomento ao desenvolvimento tecnológico do saneamento ambiental e de produtos empregados em sistemas difundidos no Brasil e do exterior.

Engenheiro da divisão de planejamento, gestão e desenvolvimento operacional da produção – MAGG/Sabesp, Sachs afirma que o congresso é “um importante polo de informações” e de “busca de soluções para as necessidades do setor”.

O tema deste ano “é pertinente às medidas que precisamos adotar, se quisermos a perenidade do saneamento”. Trata-se, prossegue Sachs, “de uma apologia ao uso racional da água para as gerações futuras. A frase foi sugerida pela engenheira Sonia Nogueira e Silva, integrante da comissão organizadora, e foi adotada com a concordância de todos”.

Sachs comenta que o maior legado do evento “ainda será o enfrentamento da crise hídrica, pois essa realidade não saiu da pauta das evidências, em que pese 2016 ser um período de maiores precipitações pluviométricas do que em 2014 e 2015”. E adverte: “A ameaça continua, se não adotarmos uma mudança de cultura do uso dos recursos hídricos e de emprego de tecnologias de ponta, como técnicas de reuso, de filtração por membranas, gerenciamento de perdas, de precisão nos sistemas de medição, entre outros tópicos que prospectam um saneamento de qualidade”.

No dia 16, a palestra magna com o tema “Água ou escassez: qual o futuro que queremos?” ficará a cargo do secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Benedito Braga, às 11h. Às 17h30, o cantor e compositor Guilherme Arantes discorrerá sobre a ONG Planeta Água, fundada por ele, e fará apresentações musicais. No dia 17, haverá palestra especial do presidente da Sabesp, Jerson Kelman, às 17h30.

Química e Derivados, Fenasan - Prévia 2016: Setor discute como eliminar o risco de desabastecimentoO programa contempla a realização de mesas redondas, nas quais serão abordados oito temas da atualidade por importantes profissionais, nos dias 17 e 18, das 11h às 12h30: Contratação de serviços para otimização do sistema de água e esgoto por remuneração vinculada a desempenho; Aedes aegypti: desafios para o saneamento; Lições aprendidas com a crise hídrica; Fórum da qualidade de empreendimento; Segurança de barragens e sistemas de gestão de riscos; Irrigação na agricultura com medidas tecnológicas para evitar o desperdício de água; Desafios da regulação do setor de saneamento; Recursos financeiros do sistema de recursos hídricos: a importância do Fehidro para o setor de saneamento.

Entre as palestras institucionais, destaque para:

– Direitos da natureza (Maria Mercedes Sanchez – ONU Harmony With Nature; Vanessa Hasson – PUC/SP/Universidade Estácio; e Eduardo Tuma – FMU/Câmara de Vereadores de São Paulo), no dia 17, às 15h.

– Avanços e perspectivas do biogás em estações de tratamento de esgoto (Ernani Ciríaco de Miranda – SNSA; Hélina Moreira – Probiogás; Carolina Cabral – Rotária do Brasil; Heike Hoffmann – Rotária do Brasil; e Gustavo Possetti – Sanepar), dia 18, às 14h.

– O que os líderes precisam fazer para mudar o saneamento no Brasil? (Mário Augusto Bággio – Hoperações Consultoria), dia 16, às 15h.

– Saneamento, segurança da água e as consequências para a saúde (Jamyle Calencio Grigoletto – Ministério da Saúde), dia 16, às 15h.

Química e Derivados, Maria Aparecida: setor uniu forças e elevou nível técnico
Maria Aparecida: setor uniu forças e elevou nível técnico

O número de trabalhos inscritos (180) para o congresso é superior em 80% ao do ano passado. Segundo a diretora cultural da AESabesp e coordenadora do Encontro Técnico, Maria Aparecida Silva de Paula, “além de maior quantidade, neste ano tivemos trabalhos com um nível de conteúdo mais elevado do que nos anos anteriores. Os autores têm se esmerado e se superaram na transferência dos conhecimentos adquiridos e na forma de compartilhar essas informações”.

Maria Aparecida declarou que a Comissão de Avaliação, formada por profissionais de alta qualificação técnica, analisou todos e qualificou 88 para compor a grade do Encontro Técnico de 2016 (quatro a mais do que em 2015). A referida comissão ainda contou com o apoio de diversos especialistas no segmento de saneamento e meio ambiente, além da participação de professores doutores de universidades:

“Esse engajamento permite, a cada ano, aumentar a qualificação técnica, mediante a imparcialidade na seleção e pontuação dos trabalhos que serão apresentados no Congresso, além da maior integração entre as universidades por meio do seu corpo docente”, observou.

Diretores da Sabesp também apresentarão trabalhos: Implantação de empreendimentos e as realizações de compensações ambientais no âmbito da diretoria de sistemas regionais – R/Sabesp (Celso Eduardo C. Osse), às 15h do dia 17; Água e esgoto – desafios na RMSP e na Baixada Santista (Edison Airoldi), às 14h do dia 18. Crise hídrica (Paulo Massato), às 15h do dia 18.

O prêmio Jovem Profissional, lançado em 2014, está mais concorrido. Foram inscritos 80 trabalhos (eram 32, no ano passado). Maria Aparecida ressalta: “Foram selecionados cinco trabalhos para a fase final do prêmio, na qual os autores apresentarão os seus trabalhos em 15 minutos, para serem avaliados por professores e profissionais da área. Essa etapa acontecerá na sala Vila Maria, dia 18, das 9h às 10h40”. Os finalistas serão informados do resultado no mesmo dia, durante a cerimônia de encerramento, às 17h. Ainda no dia 18, das 9h às 18h, se desenvolverá o curso “Utilização do software Allievi”, por um dos maiores nomes do setor, o prof. dr. Edmundo Koelle.

Exposição – A 27ª Fenasan reunirá cerca de 220 empresas nacionais e estrangeiras – como representantes dos Estados Unidos, Espanha, Índia, Israel, Alemanha, Itália, Dinamarca, Turquia e China (dobrou a sua participação, com seis estandes) – que apresentarão muitas novidades em produtos e serviços.

A Aquamec divulgará as suas soluções para o tratamento de contaminantes, visando a otimização de recursos e o desenvolvimento sustentável. Entre as novidades, o sistema de monitoramento e automação para o uso do ácido peracético no tratamento de água e esgoto, municipal e industrial, amplamente utilizado na Europa e nos EUA. A utilização de cloro para desinfecção da água é muito comum no Brasil, mas estudos internacionais realizados pela Ausepa (United States Environmental Protection Agency) investigam, desde 1974, a relação entre a exposição aos subprodutos da desinfecção e o câncer.

A Tecniplas anunciará os gigantescos reservatórios que fabrica em Cabreúva-SP. Feitos de compósitos em PRFV (plástico reforçado com fibras de vidro) de alta performance, os megatanques podem armazenar até 4,5 milhões de litros. Possuem diversas vantagens em relação aos tradicionais reservatórios de concreto, como maior estanqueidade e vida útil superior.

“Por ser muito poroso, o concreto requer a impermeabilização com borracha. Além de elevar o preço do tanque, esse revestimento tem vida útil limitada. Então, depois de três ou quatro anos, a água começa a atacar a estrutura de aço presente no concreto, exigindo investimentos pesados em manutenção ou até mesmo a troca do reservatório”, explica Giocondo Rossi, diretor da Tecniplas. Os compósitos em PRFV, por sua vez, são imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável.

A Grundfos mostrará diversas tecnologias de ponta na distribuição de água. O caixa eletrônico de água inteligente AQtap é o grande destaque do estande. Nesse produto, frequentemente utilizado pela empresa ao redor do mundo para levar água para comunidades que enfrentam crises hídricas, insere-se um cartão e retira-se uma quantidade de água pré-programada.

A Grundfos também irá mostrar soluções de dosagem como o skid de bombas dosadoras e o DID, um sistema de medição e controle de cloro. Outra inovação é o Dedicated control, um painel para controle automático de bombas submersíveis e não submersíveis em elevatórias de água e esgoto, no qual o controle se dá pelo nível de um reservatório; esse produto possui várias funcionalidades específicas para o segmento, podendo inclusive ser utilizado em bombas de outros fabricantes.
A Pentair vai expor as suas tecnologias para tratamento de águas e efluentes. Dependendo das especificações, o sistema horizontal Xiga ou o vertical Aquaflex são as membranas de ultrafiltração escolhidas para a produção de água potável e de polimento de efluentes. De acordo com a empresa, a tecnologia de membrana de ponta fornece uma solução simples e confiável para produção de água que atende aos mais altos padrões de turbidez e microbiologia. Eleva-se a produção e qualidade do permeado enquanto o custo de ciclo de vida, área ocupada, consumo de energia e produtos químicos são reduzidos.

A ADI Systems, líder mundial no tratamento de águas residuais, apresentará inovações e projetos. Dentre os cases que poderão ser conhecidos pelos visitantes, estão as atuais sete plantas em operação e em construção em países latinos. Quatro delas com o carro-chefe da marca, o reator ADI-BVF – tecnologia que possibilita menor índice de consumo químico, baixa utilização de energia e mão de obra, além de pouca geração de lodo.

Além disso, destaca-se a implantação de uma das maiores estações de tratamento de efluentes do mundo, na Laticínios Bela Vista (Piracanjuba). No projeto, foi utilizado o reator ADI-BVF, onde o efluente é tratado em meio anaeróbio e o biogás formado é captado e enviado para duas caldeiras que utilizarão esse combustível para a geração de vapor. A eficiência no tratamento dos resíduos chega a 99%, com a possibilidade de reaproveitamento, também, da água. O biogás formado pela digestão anaeróbia de efluentes líquidos, como por exemplo, a vinhaça, pode ser convertido em energia elétrica. A ADI Systems possui diversas tecnologias para a digestão da vinhaça e a utilização do biogás.

A Huesker Brasil exibirá o sistema SoilTain DW, geoforma linear para confinamento e dessecagem de lodo ou lama. A tecnologia pode ser utilizada na dessecagem e confinamento de efluentes industriais ou domésticos de estações de tratamento de água ou esgoto (ETAs e ETEs). Garante o aumento significativo do teor de sólidos do lodo armazenado, de maneira a possibilitar a remoção mecanizada e/ou o confinamento dos sólidos com menores demandas de espaço e em volumes reduzidos.

A empresa esclarece que o sistema é fácil de instalar e de operar, e requer baixa manutenção. E o mais importante, representa uma alternativa eficiente e ambientalmente correta para a disposição de resíduos, com vantagens significativas em comparação com os métodos tradicionais.

“O lançamento dos efluentes líquidos resultantes do tratamento convencional de resíduos representa grande potencial de degradação do meio ambiente. A técnica de dessecagem de lodos por formas têxteis tubulares (FTTs) reduz drasticamente este risco. A geoforma SoilTain DW certamente está entre as soluções mais eficientes na redução do teor de sólidos, sendo aplicada no tratamento dos resíduos líquidos de ETAs, ETEs e da grande maioria dos efluentes industriais”, comenta o engenheiro Eduardo Guanaes. Outra vantagem da técnica é a economia de água que pode ser muito representativa, dependendo do processo utilizado. Em algumas estações de tratamento a redução pode ser de até 65% no processo de limpeza dos filtros.

A Bauminas Química, líder nacional em coagulantes para o tratamento de água e efluentes, irá informar seus esforços em pesquisa, feitos por acreditar que a inovação constante é a melhor maneira para se manter no topo. Já iniciou as obras para a construção da nova unidade de produção de PAC (policloreto de alumínio), no complexo fabril de Salvador-BA. O investimento total na ampliação será de R$ 18,7 milhões e a capacidade instalada será de 34 mil t/ano. A previsão é de inauguração em janeiro de 2017. Uma das principais matérias-primas para a produção do PAC, o ácido clorídrico, também será produzido pela Bauminas, como subproduto da fabricação de sulfato de sódio e potássio, na sua unidade fabril de Camaçari-BA, que será inaugurada no início do segundo semestre deste ano.

Além dos projetos no Estado da Bahia, que ainda contará com a ampliação da unidade fabril de Mucuri para atender a demanda do sul daquele Estado e do Espírito Santo, serão inauguradas mais três unidades produtivas no segundo semestre de 2016: Rio de Janeiro-RJ, Luziânia-GO e Manaus-AM. Com tudo isso, a empresa passará a ter 15 unidades fabris estrategicamente localizadas no Brasil, fortalecendo um dos seus principais diferenciais, a logística estruturada e inteligente, e ampliando a oferta de coagulantes inorgânicos da nova geração.

A Bürkert apresentará a sua mais recente inovação para monitoramento de água potável. Com o sistema de análise online tipo 8905, adicionará um completo, compacto e modular sistema de análise de água em sua gama de produtos. Esse sistema foi projetado para estações de tratamento e de distribuição de água, para monitoramento contínuo da água tratada e não tratada, armazenando os mais importantes parâmetros de medição antes que a água entre na rede de abastecimento.

A B&F Dias informará sobre um sistema pioneiro no mercado de tratamento de esgoto, lançado no início deste ano. O B&F Energy é um sistema de energia misto, composto pelo fornecimento da eletricidade convencional e solar, responsáveis pelo acionamento de comportas e sopradores de ar. A geração de energia é obtida pela irradiação solar em contato com placas fotovoltaicas. Possibilita grande redução do consumo da energia elétrica paga. O sistema conta com um kit especial formado por placas fotovoltaicas, sistema de controle e suportes para as placas. Ele é desenvolvido e adaptado de acordo com as especificidades de cada projeto.Com o objetivo de combater a crise hídrica, a Schneider Electric trará soluções e tecnologias para a indústria de saneamento, que envolvem o controle automático do processo em campo, o controle automático das pressões na rede de distribuição por meio de modelagem hidráulica online e a gestão de perdas. Calcula-se que a indústria de saneamento perde de 40% a 75% de água durante o processo de tratamento e distribuição.

“A Schneider Electric possui um amplo portfólio de soluções que garantem uma gestão de processos mais sustentável, evitando o desperdício de água e diminuindo o uso de energia elétrica. O cenário atual é preocupante em relação à conservação e eficiência de recursos naturais associados a uma busca cada vez maior por novas fontes de água”, afirma André Marino, vice-presidente da empresa.

No estante da Netzsch do Brasil, o visitante conhecerá a sua linha de bombas voltadas para as indústrias alimentícia, farmacêutica, meio ambiente, energia, química, papel e celulose, petróleo e gás e sistemas. Líder mundial no mercado de bombas helicoidais (cavidades progressivas), complementa a sua linha com bombas centrífugas, sanitárias, de lóbulos Tornado, de fusos, para massas de alta viscosidade, verticais e dosadoras, trituradores, sistemas e cabeçotes de acionamento para o segmento petróleo e gás. A unidade brasileira é responsável pela produção e comercialização de bombas de cavidades progressivas para as três Américas. A produção está concentrada na fábrica de Pomerode-SC.

Química e Derivados,

A Nutrenzi Soluções Ambientais marcará presença com o “que há de melhor, mais inovador e acessível em soluções biotecnológicas”, 100% nacionais, para: tratamento biológico e físico-químico de águas e efluentes industriais e domésticos; processos de limpeza; biorremediação de vazamentos de produtos, bem como produtos e serviços para a indústria de papel e celulose. O seu estande contará, entre outras surpresas, com a apresentação de cases de sucesso (técnico e econômico) por técnicos especializados que, além de detalharem os inúmeros benefícios e vantagens das soluções biotecnológicas oferecidas e serviços a elas agregados, farão demonstrações, bem como disponibilizarão amostras gratuitas de alguns produtos para testes.

No dia 18, entre 16h30 e 18h, serão entregues troféus para as 10 empresas expositoras que mais se destacarem nos critérios melhor estande, atendimento a cliente, inovação tecnológica e destaque Fenasan. A diretora Maria Aparecida pondera que estas empresas serão avaliadas com metodologia reconhecida internacionalmente, série ISO, por meio do projeto Ecoeventus, também reconhecido no meio acadêmico internacional.

Química e Derivados, Pentair
Pentair

A Pentair, especialista mundial em gerenciamento de água, fluxo, temperatura e proteção de equipamentos, com faturamento anual de US$ 7 bilhões, aproveitará a Fenasan para divulgar sua tecnologia avançada de membranas de ultrafiltração Pentair X Flow, que podem ser dispostas no sentido horizontal (sistema Xiga) ou vertical (Aquaflex). As membranas avançadas oferecem elevada produção de permeado, ocupando menos espaço, energia e produtos químicos. No estande da empresa, também poderão vistos sistemas MBR aeróbios e anaeróbios com membranas tubulares de ultrafiltração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.