Aditivos para Concreto – Química ajuda a construir estruturas mais resistentes com maior rapidez

Química e Derivados, Jaques Pinto, MC-Bauchemie, Aditivos para Concreto
Pinto: concreto não aditivado só pode ser trabalhado por 30 minutos

Com aditivos, lembra Curti, da ABCP, também é possível bombear concreto a alturas maiores. No Brasil, ele informou, o recorde de bombeamento ocorreu em um empreendimento paulistano denominado Centro Empresarial Nações Unidas, no qual o concreto foi elevado do solo a uma altura de 167 metros.

Também graças aos aditivos, salientou Alessandra, do IPT, há hoje o concreto autoadensável. “Entre outros benefícios, a utilização desse tipo de concreto elimina ruídos e reduz o consumo de energia”, disse.

No bairro paulistano da Vila Olímpia, a construtora Steel está utilizando o concreto autoadensável nas lajes do edifício Sky Corporate, programado para ser inaugurado no próximo ano, com 25 andares e área total de 46 mil m2. “O concreto autoadensável diminui a quantidade de mão de obra necessária ao trabalho”, explica Alexandre Luiz Thomaz Gonçalves Netto, engenheiro coordenador dessa obra na Steel.

Começam a ser utilizadas também argamassas autonivelantes para contrapisos. Como o nome revela, seu nivelamento sobre os pisos deve ser espontâneo. “Elas são altamente aditivadas, por exemplo, com plastificantes e aditivos compensadores de retração”, detalha Jaques Pinto, diretor-geral da operação brasileira da MC-Bauchemie.

Química e Derivados, Paul Houang, Weber Saint-Gobain Quartzolit, aditivos para cimento, concreto
Houang: aditivos permitem aplicar argamassas por bombeamento

Empresa de origem alemã focada em produtos químicos para construção com fábrica brasileira na cidade de Vargem Grande Paulista-SP, a MC-Bauchemie fornece diversos gêneros de aditivos. E se orgulha por sua participação em um marco na indústria brasileira do concreto: recentemente, produziu para o concreto usado num trecho do metrô paulistano um aditivo de policarboxilato capaz de manter sua trabalhabilidade por cerca de três horas. “No Brasil, esse tempo dura, em média, trinta minutos”, comparou.

Insumo obrigatório – As características de produtos que agilizam processos, melhoram o desempenho de cimentos e argamassas e abrem para estes novas possibilidades de uso constituem apenas uma das vertentes da crescente demanda por aditivos. Há também um conjunto de condições mercadológicas bastante favoráveis, como o elevado aumento – ligeiramente contido apenas na crise econômica de 2009 – da produção de cimento no Brasil (ver tabela 2).

Além disso, é cada vez menor a comercialização de cimento e argamassa no varejo, enquanto cresce o consumo por parte de empresas como concreteiras e grandes construtoras, nas quais os aditivos têm lugar cativo (ver tabela 3).

Nas concreteiras, “o aditivo é hoje tão usual quanto cimento, areia e brita”, observa Eliron Maia Souto Jr., gerente de tecnologia da Engemix, uma das principais produtoras de concreto do país. “Concreto é produto perecível, e pode enfrentar o trânsito complicado das grandes cidades ou problemas de utilização em uma obra. E assegurar a trabalhabilidade durante seu transporte é uma das funções dos aditivos”, justificou.

Química e Derivados - Tabela - Aditivos para concreto - Principais tipos de aditivos
Tabela 2: Clique para ampliar

Também a argamassa industrializada sempre inclui aditivos, comenta Paul Houang, diretor técnico da Weber Saint-Gobain (empresa controladora da marca Quartzolit). Segundo ele, argamassas industrializadas não constituem mais exclusividade do varejo, mas estão sendo crescentemente utilizadas também pelas construtoras: “A argamassa para colagem, por exemplo, quase não é mais feita nas obras, mas comprada pronta.”

Aditivos, conta Houang, permitem hoje à Weber Saint Gobain lançar novidades como produtos que quase não emitem poeira quando da abertura de suas embalagens, e a Cimentcola – marca comercial da empresa para argamassas colantes –, de espessura fina, para ser aplicada com um rolo de pintura. Abrem também novas possibilidades de aplicação da argamassa, em detrimento da colocação manual, por exemplo, com bombas projetoras, por enquanto pouco usadas no Brasil, país onde a mão de obra é ainda considerada um insumo de baixo custo. “Mas deve crescer o uso desses equipamentos, pois encontrar mão de obra qualificada é um problema
crescente desse setor”, projeta Houang.

Produção ampliada – Os poucos indicadores comerciais revelados pelos fabricantes de aditivos confirmam o momento de expansão desse mercado. Na Rheoset, o faturamento no decorrer deste ano – comparativamente a 2010 –, deve crescer pelo menos 10%, prevê Luiz Roberto Eiger, sócio-diretor dessa empresa nacional dedicada exclusivamente à produção de aditivos, criada em 2001, e que no ano passado inaugurou uma fábrica em Duque de Caxias-RJ.

Química e Derivados - Tabela 3 - Aditivos para concreto - venda de cimento no Brasil
Tabela 3: Clique para ampliar

Por enquanto, afirma Eiger, os aditivos de terceira geração ainda respondem por menos de 5% dos negócios da empresa, mas essa participação deve crescer: “Para concretos de alta performance é hoje quase obrigatório o policarboxilato.”

Na Dow, são ambiciosas as metas colocadas para a unidade de produtos para construção (responsável por negócios com aditivos e produtos como resinas epóxi, adesivos para vedação e poliureia, entre outros). “Nos próximos cinco anos, queremos duplicar os negócios dessa área na América Latina”, projeta Ana. “Nessa região, e talvez até no mundo, o Brasil é atualmente o país em que mais cresce o mercado de aditivos”, acrescenta.

E parece haver grandes oportunidades de expansão, por exemplo, no segmento dos impermeabilizantes, para o qual a Dow fornece emulsões estireno-acrílicas. “No Brasil, apenas 2% das obras novas são impermeabilizadas”, comentou Fabrizia Silva, gerente de contas da área de construção da Dow.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página
Mostrar mais

7 Comentários

  1. ola boa tarde! vou fazer estacas de concreto para cerca de arame liso, gostaria se alguem pode informa um tipo de cimento que inibe a oxidaçao da armaçao e a proporçao do concreto, areia, brita e o cimento indicado.

    grato Francisco Ediel

  2. Gostaria de saber se há um aditivo para colocar no concreto que será piso de um free stall, pois a urina das vacas é corrosiva. Portanto um anti-corrosivo para urina de vacas….agradeço e aguardo

    1. Rosângela, bom dia! Você pode fazer o concreto com um Cimento sulfo aluminoso ou, os tipos CP III – RS que contém altas quantidades de escória e o CP IV que é um cimento que tem Pozolana ( Cinzas Volantes)..Eles evitam que a urina das vacas corroam o concreto..Qualquer coisa, me contate via e-mail: moreira.Rubens@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios