QUÍMICA.com.br – O Portal da revista Química e Derivados


Comércio e Distribuição de Produtos Químicos e Especialidades

Adesivos – Mercado prefere produtos sem aromáticos e os de base aquosa

Marcelo Furtado
15 de julho de 2012
    -(reset)+

    “Com o auxílio do efeito alfa é possível produzir adesivos de reticulação rápida, com velocidade comparada às supercolas comuns“, disse o gerente de negócios da Wacker, Paulo Suhorebri. A base dos polímeros são normalmente os propilenoglicóis, nos quais são integrados os grupos silanos reticuláveis por meio da reação com isocianatossilanos altamente reativos, gerando o alfa-isocianatodimetoximetilsilano.

    Química e Derivados, Adesivos, Gerente de negócios da Wacker, Paulo Suhorebri / gerente de vendas da empresa, Camila Dietrich - Da marca Geniosil

    Suhorebri e Camila: sistemas híbridos têm cura rápida

    “Graças ao processo de produção patenteado pela Wacker, com o auxílio dos STPEs é possível formular adesivos monocomponentes com cura rápida e com boas propriedades mecânicas e elásticas, nunca antes alcançadas com os antigos polímeros modificados com silanos”, disse a gerente de vendas da empresa, Camila Dietrich. De marca Geniosil, os polímeros terminados em alfa-silanos são mais amigáveis para o meio ambiente porque não empregam os cancerígenos isocianatos, como o concorrente poliuretano, por não precisarem de ftalatos para plastificação, não usarem catalisador de estanho como híbridos antigos de PP e por não usarem solventes. “Isso sem falar de suas vantagens técnicas: ele não tem o chamado tack (pega de sujeira) normal dos silicones, pode ser pintado e tem cura rápida, de 15 a 30 minutos, período no qual o substrato pode ser mexido para ajustar a colagem”, disse Camila. Bom ressaltar que a tecnologia tem não só na construção civil seu público-alvo, mas também o setor automotivo, moveleiro, naval, entre outros.

    A Wacker pode fornecer os adesivos e selantes já preparados para o cliente com os alfa-silanos para apenas envasá-los ou então fornecê-los como base para novas formulações. No primeiro caso, a linha contempla o Geniosil N25 e N35, selantes altamente elásticos, o adesivo multiuso elástico Geniosil N45 e os adesivos de alta resistência e sem plastificantes N70. Também há opções especiais como o produto híbrido adesivo e selante cristalino N35C (que pode ser usado em vidros sem deixar marcas e o adesivo resistente à alta temperatura N550. Lançado há cerca de dois anos na Alemanha, o produto foi efetivamente introduzido no Brasil no final de 2011. “Estamos com vários projetos em andamento”, revelou Suhorebri.

    química e derivados, adesivos, Gerente global de produto da unidade de negócios de emulsões, Pablo Cadavid - Clariant

    Cadavid: PVA reticulável cola madeira com alta resistência

    Base água – Outro exemplo de empresa envolvida com fornecimentos de opções mais verdes para o mercado de adesivos é a suíça Clariant. No seu caso, aliás, a opção é mais radical: seu foco é fornecer ao mercado apenas emulsões base água acrílicas, vinílicas e terpolímeros (vinil-acrílicos, estireno vinil-acrílicos). “Lá fora há mais tempo, e no Brasil a partir de 2005, resolvemos abastecer o mercado de adesivos somente com tecnologias que usam o solvente mais amigável e inofensivo de todos: a água”, afirmou o gerente global de produto da unidade de negócios de emulsões, Pablo Cadavid. De acordo com ele, os mercados de papel e embalagem, construção civil e moveleiro são os principais consumidores das alternativas.

    Segundo Cadavid, os esforços de pesquisa da empresa estão voltados para consolidar e expandir a tecnologia base água ao máximo de aplicações. Exemplo foi o recente lançamento do Mowicoll 1 K, um adesivo à base de dispersão aquosa de poliacetato de vinila reticulável. Como diferencial, trata-se do primeiro dessa versão para madeira com formulação monocomponente. Ele atende à norma europeia DIN EN 204, a chamada D4, com resistência à água em aplicações em madeira.

    Química e Derivados, Adesivos, Gisela Barona, Gerente de marketing da Clariant

    Gisela: polimerização core-shell confere propriedades distintas

    Indicado para madeira compensada e laminação a quente, o adesivo apresenta rápido desenvolvimento de resistência, atingindo valores acima de 10 N/m2, a temperatura ambiente, e de 6 N/m2, a 80ºC, obtendo estabilidade térmica superior aos adesivos de poliacetato de vinila convencionais. “Além disso, por ser monocomponente, não precisa de catalisador de isocianato e torna o manuseio e a limpeza muito mais fáceis”, disse o gerente.

    Segundo a gerente de marketing da Clariant, Gisela Barona, o produto foi obtido graças à tecnologia de polimerização dupla core-shell, que gera em suma dois polímeros em um só, com tamanhos de partículas diferentes entre 60 nm até 240 nm. “As cadeias poliméricas distintas dentro do adesivo têm funções distintas de penetração, adesão e hidrofobia. Podemos com a tecnologia criar grades diferentes, com mais de uma característica e menos de outra, conforme a necessidade da aplicação”, explicou Gisela. “Uma propriedade pode ficar na parte externa e outra na interna do adesivo”, complementou.

     



    Recomendamos também:








    2 Comentários


    1. JOSE MAURICIO DE MATOS

      PRECISO DE UMA COLA RESISTENTE A 450 GRAUS


    2. Claudio Barbosa

      Tomara que a Anvisa realmente obrigue as empresas a abolirem de vez os solventes entorpecentes das colas de sapateiros. É um absurdo que ainda não o tenham feito. Parabéns pela reportagem.



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *