Adesivos, Colas e Selantes

Adesivos: Mercado em potencial mantém ritmo de investimentos apesar da redução dos lucros

Marcelo Furtado
4 de maio de 2001
    -(reset)+

    Química e Derivados: Adesivos: Espeleta - adesivos tendem a ser mais 'inteligentes'.

    Espeleta – adesivos tendem a ser mais ‘inteligentes’.

    Nessa vertente de dupla funcionalidade, de acordo com Espeleta, a 3M consome parte dos 2,5% do faturamento (US$ 16,7 bilhôes em 2000) sempre voltados para pesquisas no centro tecnológico em Saint Paul, nos EUA, onde trabalham 40 PhDs. Mas os esforços não se detêm só nessas pesquisas. Outro exemplo é a chamada tecnologia microrreplicada de produção de adesivos. “Isso possibilita ao adesivo ter estrutura com várias réplicas iguais de formas geométricas por cm², o que torna sua aderência uniforme, sem bolhas, entre outras vantagens”, diz.

    Também vale destacar uma família de produtos aditivada com nanocompósitos para melhorar a resistência à temperatura ou ainda os chamados adesivos universais. Estes últimos, blendas poliméricas, possuem várias faixas diferentes de adesivos para combinar propriedades. Dessa forma, têm a capacidade de colar qualquer tipo de material, desde plásticos até metais.

    Em razão da maioria desses adesivos da 3M ainda estarem em pesquisa ou em processo de patenteamento, Espeleta não deixa escapar muitos pormenores. Porém, levando-se em conta o conceito de adesivos inteligentes revelado pelo gerente, já se pode prever um futuro bastante promissor para o mercado, a fazer jus às previsões otimistas.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *