Ácido Polivinílico

Ácido Polivinílico: confira seus principais usos na indústria, características, manuseio e fornecedores no Brasil

O ácido polivinílico é um produto químico muito utilizado por diversas indústrias, como de adesivos, químico, embalagens, colas, têxtil, construção civil e farmacêutico. Destaca-se na fabricação de filmes e adesivos por ser um excelente aglutinante. Quer saber mais sobre ele? Vem com a gente descobrir mais aplicações importantes e outros detalhes! Boa leitura.

Acesso Rápido no post

O que é o ácido polivinílico?
Qual a fórmula química do ácido polivinílico?
Quais são suas características?
Para que serve o ácido polivinílico?
Como manipular o ácido polivinílico?
Onde comprar o ácido polivinílico?

O que é o ácido polivinílico?

O ácido polivinílico consiste em um polímero de álcool vinílico que tem a aparência de um pó branco e é utilizado em uma série de aplicações nos mais diversos processos industriais. Pode ser obtido por meio da polimerização do monômero acetato de vinila.

    Orçamento Rápido

    Informe os produtos que deseja receber cotação.

     

     

    Qual a fórmula química do ácido polivinílico?

    Possui a fórmula química: (C2H4O)n.

    Quais são suas características?

    • Estado físico: sólido (pó ou grânulos).
    • Cor: branco a amarelo.
    • Ph:  5-7.
    • Ponto de fulgor: > 93ºC.
    • Solubilidade: este produto é facilmente solúvel em água e em alguns solventes orgânicos. Esta propriedade é muito útil para a produção de colas solúveis em água ou filmes solúveis para embalagens.
    • Estabilidade: estável em condições de temperatura ambiente.
    • CAS: 9002-89-5.
    • Ele tem uma ótima aderência e pode apresentar diferentes níveis de flexibilidade e resistência.
    • É usado como aglutinante: o ácido polivinílico atua como um aglutinante principalmente em formulações de tintas, colas, adesivos, comprimidos farmacêuticos.
    • É aplicado como espessante: ele serve para dispersar e se hidratar em água, podendo aumentar a viscosidade de um líquido sem alterar suas propriedades.

    Para que serve o ácido polivinílico?

    Como vimos, o ácido polivinílico pode ser usado em uma série de segmentos industriais e comerciais. Confira abaixo suas principais aplicações e os setores que mais fazem uso deste produto químico.

    • Usado em resinas.
    • Setor de papel e celulose: ele pode ser aplicado na fabricação de papel como agente de brilho óptico, na engomagem de superfície, como agente de revestimento, entre outros.
    • Setor têxtil: aqui ele pode ser usado na engomagem de fios e tecidos, em estamparia e como agente de revestimento.
    • Setor químico: ele é usado para a produção de produtos químicos
    • Setor de construção: o ácido polivinílico é usado neste segmento em aditivos para cimentos e gesso.
    • Setor de embalagens.
    • Segmento agrícola.
    • Setor de cerâmica.
    • Setor de ferro e aço.
    • Na produção de eletrônicos.
    • Usado em galvanoplastia.
    • Setor cosmético.
    • Setor alimentício.
    • Fabricação de filmes e adesivos.
    • Setor farmacêutico: usado em revestimento de comprimidos.
    • Usado na fabricação de colas.
    • Aplicado na produção de tintas.
    • Usado em revestimento de sementes.
    • Utilizado na fabricação de produtos de Limpeza.

    Como manipular o ácido polivinílico?

    Por mais que ele não seja um produto químico classificado como perigoso de acordo com a legislação europeia são necessários alguns cuidados durante o seu manuseio. É preciso evitar o contato com a pele e com os olhos e que o produto levante poeira e, portanto, não seja respirado. O colaborador também não deve comer, bebe ou fumar durante a utilização deste produto.

    Além disso, este trabalhador necessita fazer uso de equipamento de proteção individual (EPI), ou seja, de um produto ou dispositivo de uso individual que tem a função de protegê-lo de riscos que possam ameaçar a sua segurança ou saúde no ambiente de trabalho. São exemplos de EPI: botas, luvas de proteção, óculos de segurança, máscara anti-poeira/ aerossol com filtro tipo P1.

    Medidas de primeiros socorros

    – Em caso de inalação: remova a pessoa para local ventilado e a mantenha em repouso e tranquila, numa posição que não dificulte a respiração. Se não estiver conseguindo respirar, dê respiração artificial. Acione imediatamente um médico.

    – Em caso de contato com a pele: remova sapatos e roupas contaminados pelo produto. Lave suavemente o local afetado com sabão e bastante água.  Se a exposição for severa, providencie a lavagem em chuveiro de segurança. Caso a irritação persista, procure atendimento médico.

    – Em caso de contato com os olhos: enxágue imediatamente os olhos com água em abundância por aproximadamente 15 minutos, abrindo as pálpebras com os dedos. Retire as lentes de contato, se possível. Caso a irritação ocular persista, procure um médico, de preferência, um oftalmologista.

    – Em caso de ingestão: se ingerido, procure atendimento médico com urgência. Não induza o vômito.

    Em todos os casos acima, é válido levar na assistência médica a Ficha de Segurança deste produto químico (FISPQ) e o rótulo do produto.

    A Ficha de Segurança deste produto químico (FISPQ) nada mais é do que um documento completo que traz informações sobre o produto, como perigos, riscos, ingredientes, medidas de primeiros socorros, medidas de combate a incêndio, manuseio e armazenamento, propriedades físicas e químicas, transporte, estabilidade e reatividade, controle de exposição e proteção individual e outras disposições.

    Sobre o armazenamento é essencial que ele ocorra em local bem ventilado, seco, coberto e protegido para evitar qualquer contato com a umidade. O recipiente do produto químico também precisa ser hermeticamente fechado. Outra medida de segurança é a sua colocação distante de bases fortes, agentes oxidantes, materiais incompatíveis, fontes de calor e fontes de ignição.

    Onde comprar produtos químicos?

    Para encontrar os principais fornecedores de produtos químicos no Brasil, não deixe de acessar o Guia QD, o mais completo guia eletrônico de compras e vendas do setor químico e importante ferramenta da editora QD para o desenvolvimento de negócios entre fornecedores e compradores.

    Neste portal, você tem acesso rápido a diversos fornecedores e ainda conta com a facilidade de realizar vários orçamentos de uma só vez para diversas empresas.

    Nenhuma ferramenta do mercado oferece um suporte tão grande como o Guia QD. Experimente essa incrível facilidade e veja como é possível ganhar tempo em suas cotações e agilizar suas compras.

    Leia Mais
    Demanda por produtos químicos cai em 2023
    Distribuição de Produtos Químicos – Política conservadora de estoques permitiu atender a demanda
    Conheça os benefícios do hidróxido de magnésio como agente de branqueamento sustentável para papel e celulose
    Têxtil: Insumos químicos ajudam a melhorar processos
    Têxtil: Mais expectativas do que visão clara
    Têxtil: Cadeia integrada permite disputar mercados
    FCE Pharma – Prévia: Setor farmacêutico aproveita ocasião para aprimorar sua produção e reforçar laços com todos os elos da cadeia
    Construção Civil – Soluções da química promovem eficiência energética em edificações – Abiquim 50 Anos
    Plásticos – Construção civil promete novo ciclo de expansão para 2015

      Orçamento Rápido

      Informe os produtos que deseja receber cotação.

       

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.