Meio Ambiente (água, ar e solo)

Achema: Versatilidade e eficiência marcam novos produtos

Quimica e Derivados
26 de junho de 2003
    -(reset)+

    Lançamentos revelam a incorporação de novas habilidades, sem perder de vista a necessidade de redução de custos e do tempo gasto com a manutenção das máquinas

    Química e Derivados: Achema: achema_abre.A primeira impressão que a 27a Achema, Internationaler Ausstellungskongreß für Chemische Technik, Umweltschutz und Biotechnologie (Congresso-Exibição Internacional de Engenharia Química, Proteção Ambiental e Biotecnologia), causa em seus visitantes é a de que seis dias são apenas parte do tempo necessário para percorrer os doze edifícios que integram o moderno centro de convenções da Messe Frankfurt. Próximos às margens do Rio Meno em Frankfurt am Main, na Alemanha, dez prédios ou Halls subdividos em outros tantos andares abrigaram 3.819 expositores de 48 países entre os dias 19 e 24 de maio, reunindo o estado da arte mundial em tecnologia de processos químicos.

    Química e Derivados: Achema: .Um centro de palestras e um entremeado de corredores com esteiras rolantes – a Via Mobile/Galerie – completavam o imenso complexo de mais de 140.000 m2, onde a cada três anos se realiza a principal feira comercial de processos da indústria química. A profusão de nacionalidades e idiomas em qualquer local por onde se circulasse na Messe reforçava o caráter global do encontro, prestigiado por cerca de 192.000 visitantes de mais de cem países.

    Mesmo assim, a Achema 2003 ainda teve forte predomínio do sotaque alemão.

    Química e Derivados: Achema: Serneels - fracionamento de até 20m com Vibrasonic .

    Serneels – fracionamento de até 20m com Vibrasonic .

    Precisamente 2.269 participantes eram empresas de origem alemã; Itália (245), Inglaterra (205), Suíça (174), Estados Unidos (150) e França (129) foram os outro cinco países com o maior número de empresas estrangeiras entre os expositores. A participação brasileira restringiu-se a dois representantes: a Divisa Engenharia, de São José dos Campos-SP (especializada em instalações de sala limpa) e o IMA (Instituto de Macromoléculas) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A presença deveras modesta emite um sinal de alerta para a indústria tupiniquim se observarmos que a Argentina, em profunda crise econômica, enviou três representantes à Frankfurt; a Colômbia, com sérias ameaças à ordem institucional nacional, teve dois expositores, e o México, parceiro prioritário dos norte-americanos, compareceu com mais de 60 representantes.

    O périplo da reportagem de Química e Derivados na Alemanha iniciou-se pelo Hall 6. Estabelecida desde 1934 em Londres, Inglaterra, a Russel Finex expôs o Vibrasonic Spiroscreen, sistema de desobstrução de peneiras à base de ultra-som próprio para pós-metálicos, pós para pintura eletrostática, produtos farmacêuticos, cerâmicos e alimentícios, por exemplo. A empresa introduziu o uso da tecnologia em 1973, segundo informações do gerente

    Química e Derivados: Achema: Trier - produção no Brasil diminui custos de clientes.

    Trier – produção no Brasil diminui custos de clientes.

    geral da unidade belga Luc Serneels: “O Vibrasonic facilita o movimento das partículas pelas peneiras, possibilitando o fracionamento com definição de até 20 mícra (635 mesh)”, disse. Um transdutor desenvolvido acusticamente gera uma distribuição de frequências ultra-sônica em forma de espiral, aplicada diretamente às telas das peneiras por um prato de transferência de velocidade.

    O sistema rompe as forças de Van der Waals (forças de atração de natureza elétrica entre partículas) e elimina a tensão superficial do material, assegurando o controle do tamanho de grão com precisão inédita e eliminando a obstrução das peneiras. Conseqüentemente, não há necessidade de paradas para a limpeza das peneiras, resultando em menores custos para o processo. Além disso, o controle do movimento dos grãos garante o uso de toda a superfície útil das telas das peneiras. “A principal característica dessa máquina é a combinação do aumento de capacidade do sistema de peneiração aliado ao aumento da eficiência do corte”, completa Serneels.

    Química e Derivados: Achema: Filtro tem ciclo de cerca de dois minutos diz Hughes.

    Filtro tem ciclo de cerca de dois minutos diz Hughes.

    A centenária Pallmann, com unidades na Alemanha, nos Estados Unidos e uma subsidiária no Brasil, exibiu sua linha de pulverizadores, com destaque para a família Turbofiner, máquinas de alta capacidade para a produção de pós de alta qualidade a partir de materiais moles ou de dureza média. O princípio de funcionamento desses pulverizadores baseia-se na redução de tamanho por micro vórtices em fluxo turbulento de ar.

    A matéria-prima é pré-dispersada em uma corrente de ar e transportada por diversas zonas de turbulência, com intensidade crescente dos vórtices. A redução de tamanho ocorre pelo impacto das partículas nas pás do rotor operando em alta velocidade, e também pelos choques das partículas entre si. Conforme explicou o gerente de exportações Herbert Trier, os equipamentos são produto do aperfeiçoamento do desenho das carcaças sob medida para algumas indústrias, particularmente os produtores de masterbatches (concentrados). “São máquinas de maior tamanho, com

    Química e Derivados: Achema: Wache - novidades da Kahl focam baixas capacidades.

    Wache – novidades da Kahl focam baixas capacidades.

    maior facilidade de manutenção e troca de carga”, disse. O interior desses pulverizadores é dotado de superfície com menor rugosidade que facilita a limpeza do equipamento. Próprios para a redução do tamanho de partículas nas indústrias de plástico, madeireira, química e alimentícia, as carcaças das máquinas da linha Turbofiner são manufaturadas em uma única placa, acarretando economia nos custos de fabricação. A empresa também destacou sua linha de pulverizadores equipados com moinhos de disco, que dispensam nitrogênio líquido e também se destinam aos produtores de masterbatches.

    Resinas sensíveis ao calor, como PS, PC e PA podem ser processados à temperatura ambiente nestas máquinas. A unidade brasileira da Pallmann providencia a construção de instalações industriais no País, segundo Trier. “Fomos para o Brasil para baratear custos, pois saía muito caro importar os equipamentos devido a problemas como a inflação e a instabilidade interna”, revelou.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *