ABRAFATI – Tintas assumem novas funções para mercados em recuperação

“A associação dos dois processos tecnológicos, incluindo também soluções como microgéis e o aditivo Solus 2300, revelou desempenho superior do sistema em todas as propriedades em testes envolvendo aplicações voltadas às tintas automotivas, sendo que essa tecnologia pode também ser estendida para outros segmentos como os de tintas para plásticos, tintas para madeiras, tintas para repintura automotiva e tintas industriais.

Vantagens dos isocianatos alifáticos – Atuando fortemente na oferta de commodities como acetatos de etila e de butila e de especialidades como os isocianatos alifáticos para os mercados de tintas, a divisão química industrial do grupo M.Cassab participou da Abrafati deste ano, destacando parcerias com a Perstorp, Oxiteno, Lanxess, Basf, Solvay, entre outras firmadas com fabricantes de matérias-primas especiais para a fabricação de tintas e vernizes.

Química e Derivados, Paulo Amorim, Diretor da divisão química industrial do grupo M.Cassab, ABRAFATI
Paulo Amorim: isociantos alifáticos conferem acabamento excelente

“Além das atividades de distribuição que demandam expertise em logística, atendimento, ampla cobertura geográfica e suporte técnico, oferecemos soluções próprias em dispersões pigmentárias, blends de solventes, aditivos e sistemas para PU, liderando a comercialização de solventes especiais oxigenados para o setor de tintas, adequados ao conceito de produtos amigáveis”, destacou o diretor Paulo Amorim.

Com ampla aplicação na substituição aos isocianatos aromáticos, os isocianatos alifáticos da Perstorp oferecem vantagens de performance e de adequação às necessidades de preservação ambiental. “Os isocianatos alifáticos agem como catalisadores, fornecendo desde filmes foscos até com alto brilho para os mercados de pintura original e repintura automotiva, encontrando também aplicações nas indústrias moveleiras, em madeiras, e nas indústrias de pisos e carpetes de madeira, para as quais oferecem efeitos vítreos incomparáveis”, afirmou Amorim.

Fábrica do futuro – O conceito da fábrica de tintas do futuro, traduzido em maquete, tornou-se a grande atração no estande da Ipel Itibanyl. “Criamos um conceito, um conjunto de procedimentos e de normas de ‘Boas Práticas de Fabricação’, abrangendo a correta utilização de microbicidas, maior grau de sanitização das instalações industriais e um sistema de gerenciamento para o controle de contaminação microbiológica na fabricação de tintas que está fazendo o maior sucesso entre os clientes e que representa um protocolo para a fabricação de tintas com maior proteção microbiológica, visando o menor uso de biocidas”, explicou Luiz Wilson Pereira Leite, diretor de negócios internacionais.

Química e Derivados, Luiz Wilson Pereira Leite, diretor de negócios internacionais da Ipel Itibanyl, ABRAFATI
Luiz Wilson Pereira Leite recomenda adotar sistemas de baos práticas de produção

Entre as várias medidas a ser adotadas pelas fábricas de tintas do futuro, principalmente sob o aspecto de controle microbiológico, destaca-se a higienização de equipamentos e áreas críticas mais comuns, como tanques, tubulações, curvas de tubos, entre outros pontos sujeitos a incrustações, para evitar a formação de biofilmes e placas bacterianas nas partes internas, o que pode ocorrer mesmo com o uso de preservantes. Outro aspecto muito importante é selecionar os sanitizantes corretos, conhecendo-se inclusive as alternativas em biocidas que atendem aos requisitos regulatórios ambientais e ocupacionais, exigindo o uso de produtos não-agressivos.

Como exemplos, a linha de preservantes para a proteção de formulações em estado úmido inclui itens para sistemas aquosos, envolvendo tintas, revestimentos, slurries e polímeros em emulsão (Ipel BP 508), com ação bactericida e leveduricida de amplo espectro; massas corridas, tintas e revestimentos (Ipel BP 509), também com ação bactericida/leveduricida; tintas, revestimentos e slurries (Ipel BP 550), todos com baixíssima geração de VOC, e isenção de etoxilados e de metais pesados, destacando-se ainda o preservante Ipel BP 560 que, além de todas essas características, também é isento de derivados halogenados, estando de acordo com as normas europeias.

Vários lançamentos feitos pela empresa para integrar a linha de preservantes incluíram ainda formulação em base aquosa emulsionada com ação fungicida e algicida para aplicações em estado seco em exteriores, voltada à preservação de tintas em base água, texturas e revestimentos.

Tratamento de plásticos – As características e particularidades dos processos de flambagem, plasma e de aplicação de poliolefinas cloradas para tratar superfícies plásticas, previamente às pinturas realizadas no setor automotivo, também foram temas tratados com destaque no congresso, durante a apresentação feita por Marcos Fernandes de Oliveira, químico especialista do laboratório automotivo da DuPont do Brasil.

Por causa de sua natureza química, os plásticos apresentam baixa energia de superfície, característica que tende a dificultar a aplicação de diversos sistemas de pintura, mas, entre as alternativas viáveis, as mais comuns são as flambagens e a aplicação de poliolefinas cloradas, processos mais difundidos pelo custo mais baixo, embora o processo de plasma também se apresente como um dos mais eficientes para polímeros como polietilenos, polipropilenos, poliésteres e poliamidas.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8Próxima página

Um Comentário

  1. boa tarde, gostaria de saber quando será a ABRAFATI 2013, se possível adoraríamos participar das cotações dos projetos de stands deste evento..
    aguardo e obrigado
    Rogerio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios