Tintas e Revestimentos

ABRAFATI – Tintas assumem novas funções para mercados em recuperação

Rose de Moraes
17 de outubro de 2009
    -(reset)+

    Segundo Shah, países europeus e os Estados Unidos estão implementando ações inteligentes que despertem uma maior consciência dos usuários e consumidores em relação a químicos e ingredientes que possam ocasionar algum tipo de risco. Condutas desse tipo estão coibindo, por exemplo, o uso de alquilfenóis. “Os alquilfenóis não estão proibidos por legislações, mas não estão sendo mais empregados nas fórmulas porque, caso fossem, exigiriam rotulagens especiais, contendo advertências aos usuários”, informou. Assim, os produtos com rotulagens especiais acabam sendo rejeitados por parte dos compradores, tal qual vem ocorrendo com os produtos industrializados na área de alimentos, obrigados a informar nas rotulagens a presença de gorduras trans, colesterol, ou se o alimento é transgênico.

    Além de o consumidor realizar compras com maior consciência ambiental, o diretor da Cognis também apontou a influência atual de grandes redes de distribuição sobre o consumo. “A rede Walmart, nos Estados Unidos, não aceita a presença de alquilfenóis em detergentes e o mesmo procedimento também deverá se estender às tintas”, afirmou o diretor Shah.

    Poliéster de ácido dimérico – Uma das grandes novidades da Croda foi apresentada na nova linha de resinas poliésteres, baseada em ácidos diméricos, e que permite aplicações em tintas poliésteres, poliuretanas, epóxis, adesivos em PU, entre outras.

    Com amplo portfólio de matérias-primas para a produção de resinas alquídicas – epóxis, poliuretanas, poliésteres e poliamidas –, advindo da aquisição da Uniqema, em 2006, a empresa destacou os benefícios dos ácidos diméricos para várias aplicações.

    “Os ácidos diméricos, produzidos em nossa fábrica na Holanda, e que constituem matéria-prima principal para a produção de poliamidas em vários grades, agregam às resinas benefícios de flexibilidade, hidrofobicidade, excelente absorção de pigmentos e resistências térmica, oxidativa e à hidrólise”, informou Richard Pino, gerente regional de vendas da área de especialidades industriais da Croda Miami, dos Estados Unidos.

    Química e Derivados, Richard Pino, Gerente regional de vendas da área de especialidades industriais da Croda Miami, dos Estados Unidos, ABRAFATI

    Richard Pino: resinas naturais vêm de ácidos dimétricos

    Com diferentes graus de pureza que vão desde 80% até 99%, os ácidos diméricos são derivados de ácidos graxos de várias origens oleoquímicas, constituindo, portanto, matéria-prima natural e com alto conteúdo de carbono renovável, integrando a composição de poliamidas para sistemas epóxis, destinadas à fabricação de tintas flexográficas, poliamidas para a fabricação de adesivos hotmelts e para a fabricação de tintas automotivas poliuretanas e/ou poliésteres.

    Outra inovação da Croda contemplou a área de surfactantes poliméricos não-migratórios, a fim de contribuir para a redução e/ou eliminação de VOC em tintas à base de resinas alquídicas, que encontram nas tintas imobiliárias decorativas o seu maior mercado, segundo destacou Pino.

    Entre os surfactantes para emulsões alquídicas destacados estão LoVOCoat e Maxemul. “O surfactante LoVOCoat apresenta baixo VOC e alto desempenho para revestimentos em base solvente, reduzindo em 30% a quantidade de solvente em geral utilizada”, informou o diretor. Já o surfactante Maxemul elimina totalmente a geração de VOC. “A tecnologia avançada de Maxemul, para emulsificação de resinas alquídicas, permite a eliminação total de solventes em revestimentos à base de alquídicos”, acrescentou o diretor.

    Nova geração de emulsificantes – A fabricação de tintas imobiliárias no Brasil com alquilfenóis como nonilfenol e octilfenol ainda é permitida, mas a Clariant já antecipa a oferta de emulsificantes isentos dessas substâncias, baseados em alcoóis graxos e etoxilados provenientes de óleos vegetais, para atender às exigências dos próprios clientes.

    O portfólio de emulsificantes não iônicos e aniônicos para processos de polimerização oferecido ao mercado é bastante amplo, mas um dos grandes destaques da empresa nessa Abrafati ficou por conta da nova geração de dispersantes isenta de alquilfenóis e com baixo teor de VOC.

    Química e Derivados, Andreas Hardt, Gerente de negócios da divisão Functional Chemicals – Coatings & Construction Chemicals, ABRAFATI

    Andreas Hardt: aditivos livres de VOC e alquilfenóis

    “O aditivo Genapol ED 3060 é o grande destaque para essa feira porque traz vários benefícios para as tintas imobiliárias em base água, aumentando o seu poder tintorial e ajudando a melhor dispersar os pigmentos concentrados na base branca, conferindo maior brilho e economia de custos”, informou Andreas Hardt, gerente de negócios da divisão Functional Chemicals – Coatings & Construction Chemicals. Com funções umectante e dispersante, o novo aditivo também apresenta baixa formação de espuma, deixa as tintas mais estáveis e oferece maior lavabilidade.

    Em matéria de pigmentos, a empresa destacou a linha 70, composta por orgânicos Easily Dispersible (ED), com alto poder de cobertura, e que pode substituir pigmentos inorgânicos à base de metais pesados, mantendo o mesmo desempenho das tintas. Essa linha atende desde esmaltes sintéticos, como também aplicações automotivas originais (OEM), nas cores amarelo, vermelho, laranja, entre outras.

    Os pigmentos da linha ED podem ser dispersados em sistemas em base solvente, utilizando apenas um “dissolver”, e vários pigmentos podem ser combinados na base de moagem ou codispersados em conjunto com pigmentos inorgânicos ou, ainda, em moinhos convencionais.

    Dispersante eleva poder tintorial – Tintas gráficas para impressão offset, flexográfica, serigráfica, rotográfica e ink-jet, curadas por radiações UV, já podem contar com novo dispersante reativo desenvolvido pela Lubrizol Advanced Materials, e apresentado na feira pela quantiQ, parceira na distribuição de mais uma matéria-prima do fabricante internacional.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. boa tarde, gostaria de saber quando será a ABRAFATI 2013, se possível adoraríamos participar das cotações dos projetos de stands deste evento..
      aguardo e obrigado
      Rogerio



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *