Tintas e Revestimentos

Abrafati: Insumos avançados aumentam desempenho, sem elevar custos

Marcelo Fairbanks
27 de setembro de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados - Picinini: foco ajustado para atender as tintas imobiliárias

    Picinini: foco ajustado para atender as tintas imobiliárias

    Reforço de portfólio – A distribuidora quantiQ, do Grupo GTM, aproveitará a Abrafati 2019 para apresentar novas distribuídas e produtos para tintas imobiliárias e para indústria em geral. “Neste ano, estamos atuando com o foco bem direcionado no setor imobiliário, que representa quase 80% das vendas de tintas no Brasil”, afirmou Felipe Picinini, líder de marketing de Coatings, Adesivos e Construção. “E estamos crescendo, apesar da situação difícil de mercado”.

    Picinini comentou que a distribuidora obtém bons resultados em 2019, com crescimento orgânico. “Crescemos pouco, mas crescemos”, afirmou. Detentora de amplo portfólio de produtos e de segmentos atendidos, a distribuidora tem encontrado boa receptividade em nichos específicos, com especialidades químicas. “São insumos que fazem a diferença no produto final”, considerou.

    A importância da Abrafati é explicada pelo fato de 92% de seus clientes participarão ou visitarão a exposição e o congresso. “O evento tem credibilidade e é muito bom para relacionamento com os tradicionais e novos clientes”, disse.

    Além de reforçar a divulgação de seu portfólio de mais de 250 itens para o setor de tintas e revestimentos, a quantiQ/GTM apresentará sua nova distribuída, a italiana Sapici. “Eles produzem isocianatos para sistemas mono e bicomponentes, alguns inovadores, com ênfase nas aplicações sobre madeira”, explicou.

    A Evonik já é parceira tradicional da distribuidora e conta com estande próprio na feira. Mas a quantiQ também enfatizará os novos agente de cura para epóxi da linha Ancamine, indicados para aplicações em pisos. Além disso, estarão disponíveis no estande da distribuidora informações sobre os novos crosslinkers derivados de isoforona produzidos pela companhia química de origem alemã. Isso engloba os poliisocianatos Vestanat para formular sistemas mono e bicomponente de elevada resistência, o solvente Vestasol de baixa taxa de evaporação, e a amina cicloalifática Vestamin para cura de sistemas epóxi.

    De olho no futuro – O consultor técnico de aditivos da Basf para a América do Sul, Marlon Braidott, relatou que, durante o primeiro semestre, não se obteve a recuperação econômica esperada, mas ele acredita em um discreto movimento positivo no segundo semestre, com a possível melhoria do cenário econômico. Por isso, nas tintas decorativas, a companhia ainda percebe nos clientes o foco no custo-benefício, com redução do custo final de formulação. “Em linha com essa demanda, promoveremos produtos que colaboram para aumentar o desempenho sem incrementar os custos, inclusive sendo este o tema de uma de nossas palestras no congresso e também do que será apresentado pela equipe técnica e de vendas aos visitantes do nosso estande”, informou.

    De outro modo, no segmento automotivo, houve aumento da produção local de carros, apesar da queda nas exportações para Argentina. O setor de repintura, como apontou Braidott, tem mantido os números de vendas crescentes, graças ao aumento da compra de veículos usados e à manutenção do carro como meio de transporte. “É válido comentar que, no segmento automotivo, temos notado grande pressão sobre matérias-primas de alto valor, principalmente as importadas e precificadas em dólar. Por isso, temos focado em alternativas de alta performance que permitam redução do custo total”, comentou.

    Sobre as tintas industriais, a expectativa da Basf é de crescimento acima da média do setor, justificado pelas vendas de máquinas agrícolas e de infraestrutura industrial. “Enxergamos oportunidades de desenvolvimento que proporcionem maior durabilidade ao substrato, como tintas para metais e madeira, e vamos promover alguns produtos para estes segmentos na Abrafati”, finalizou.

    Química e Derivados - Torres: urbanização desafia limites tecnológicos do setor

    Torres: urbanização desafia limites tecnológicos do setor

    Sílvio Torres, líder da unidade de negócios de Revestimentos, Adesivos e Especialidades da Covestro para a América Latina, ressalta que as cidades são especialmente fascinantes. A combinação de oportunidades de emprego, qualidade de vida e infraestrutura moderna é uma tentação para muitas pessoas, que acabam escolhendo viver nas grandes cidades, acelerando a urbanização. As grandes regiões metropolitanas atuam como o motor da inovação, mas elas também representam um grande desafio no que diz respeito ao controle sustentável de recursos, do clima e do meio-ambiente. É pensando nisso que a Covestro levará para a Abrafati 2019 o conceito de Sustainnovation (união entre sustentabilidade e inovação). “A proposta é promover inovações para desenvolvimentos sustentáveis capazes de desafiar limites em todas as indústrias em que atuamos”, explicou Torres. “O estande da Covestro estará dividido em quatro distritos, nos quais apresentaremos propostas de soluções para os segmentos de Mobilidade, Infra-estrutura, Living, Esportes e Lazer”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *