Abrafati – Feira e congresso internacional de tintas comemoram vinte anos em clima de expansão

Os vinte anos dos maiores eventos setoriais de fornecedores para tintas para revestir superfícies da América Latina, reconhecidos pelas exposições da Abrafati – Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas, deverão transcorrer em clima de prosperidade e otimismo.

A 10ª Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas e o 10º Congresso Internacional de Tintas, de 24 a 26 de outubro, tradicionalmente mobilizam grande número de profissionais e injetam ânimo no setor. Também abrem caminho às novas perspectivas e oportunidades em negócios e sugerem novas aplicações com qualidade comprovada aos mais de 300 produtores brasileiros, somados a outras dezenas de fabricantes sul-americanos que acorrem à famosa exposição bienal cada vez em maior número, em busca de novidades.

A Abrafati 2007 realmente deverá ser um marco comemorativo para seus organizadores, promotores e participantes, sejam expositores ou visitantes. Em duas décadas, a exposição e o congresso ganharam prestígio internacional, serviram de elo de integração e intercâmbio de informações e incentivaram inúmeras pesquisas no âmbito das tintas que dão cor e personalidade a marcas, aconchego e beleza às instalações e residências e valor estético aos bens e a uma infinidade de produtos.

Quinto maior pólo mundial de produção de tintas, com 968 milhões de litros produzidos no ano passado, o Brasil encontrará na Abrafati2007 aoportunidade ímpar para lançar e irradiar tendências tecnológicas.

Pela primeira vez neste ano, mais de 150 expositores, 900 congressistas e milhares de visitantes irão ocupar os 20 mil m² do Transamérica Expo Center, na Zona Sul da capital paulista.

“O Brasil é um dos cinco maiores mercados mundiais para tintas, tem amplo espaço para o crescimento do consumo e da produção, e vem se firmando como importante plataforma de exportação de insumos, equipamentos e serviços, especialmente para a América Latina”, afirmou Dilson Ferreira, presidente- executivo da Abrafati.

As vendas das indústrias de tintas no Brasil em 2006 superaram os US$ 2 bilhões. Em 2007, o desempenho no setor deverá seguir além, essa é a expectativa. De acordo com projeções feitas por especialistas, o setor de tintas deverá registrar 6,5% de crescimento no comparativo com 2006. Ou seja, em termos percentuais, irá mais do que dobrar os resultados alcançados no ano passado, mantidos à taxa mais modesta de 2,8%.

É inegável a importância da economia e do aumento no poder aquisitivo de camadas da população sobre os resultados esperados. O aquecimento da construção civil e a demanda em ascensão das tintas imobiliárias, responsável por cerca de 77% do volume total produzido no País, certamente oferecem importante parcela de contribuição.

Nesse cômputo, porém, não se deve deixar de lado a evolução no conhecimento e nas pesquisas dedicadas a gerar formulações mais vibrantes e coloridas, resistentes, menos agressivas e mais duradouras para os usuários de tintas, aspectos extremamente valorizados e incentivadores do consumo até por usuários que, embora não entendam de química, possuem senso estético e sabem valorizar bons produtos.

Mas se a economia e os novos desenvolvimentos e inovações são decisivos para o crescimento do mercado de tintas, o que dizer de iniciativas como as da Abrafati, que mobilizam todos os elos da cadeia para propulsionar a qualidade, o crescimento, o desenvolvimento e a inovação no setor. Muitas das respostas, vocês, leitores, vão encontrar na programação da exposição e do congresso de 2007.

“Neste ano, graças ao maior apoio dos patrocinadores, alguns deles que nos acompanham há vinte anos, como Basf e Bayer, e outros que estão se unindo a nós, como Águia Química, Bunge Biphor, Elekeiroz e Itatex, vamos oferecer maior conforto e melhor infra-estrutura em segurança, estacionamento, pontos de energia e maior facilidade para carga e descarga de materiais aos expositores nas instalações do Transamérica Expo Center, um complexo de exposições integrado ao hotel Transamérica, que permite a hospedagem de visitantes internacionais e de outros Estados. Na organização do novo espaço, preocupamo-nos em promover maior integração entre os expositores e os cerca de 900 profissionais até agora inscritos no Congresso que poderão transitar todos pelo mesmo pavimento, no piso térreo, favorecendo os contatos e os encontros”, informou Telma Florêncio, gerente administrativa da Abrafati e coordenadora dos eventos.

Um dos muitos convidados ilustres deste ano, o químico Edward J. Donnelly, presidente do International Paint and Printing Ink Council (IPPIC), é aguardado para presidir a sessão plenária inaugural do 10º Congresso Internacional de Tintas, a ser realizada no dia 24 de outubro, a partir das 9 horas. Donnelly irá traçar um panorama do atual estágio da indústria de tintas no mundo e comentar as perspectivas para os próximos anos.

Na segunda plenária, o engenheiro químico Luis Fernández, vice-presidente mundial e diretor da área de negócios de materiais para tintas e revestimentos da Rohm and Haas, irá abordar no dia 25, a partir das 9 horas, o desenvolvimento sustentável na indústria de tintas, abrangendo questões ligadas ao meio ambiente e à responsabilidade social.

Outro convidado especial é Haroldo Mattos de Lemos, presidente do Instituto Brasil PNUMA – Comitê Brasileiro do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, e professor de engenharia ambiental da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que irá discorrer no dia 26, também a partir das 9 horas, sobre o aquecimento global, encerrando a terceira e última sessão plenária prevista pelos organizadores.

Química e Derivados, Dilson Ferreira, Presidente-executivo da Abrafati, Abrafati - Feira e congresso internacional de tintas comemoram vinte anos em clima de expansão
Ferreira: Brasil se tornou plataforma de exportação

A Abrafati 2007 também levará ao conhecimento do grande público estudos premiados pela entidade em conjunto com a Petrobrás em dezembro de 2006. Trata-se de dois trabalhos que apresentaram relevante contribuição ao desenvolvimento da ciênciaem tintas. Oestudo premiado em primeiro lugar tem como co-autora Cláudia R. Gordijo, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo. Nesse trabalho, ela e os demais autores abordam os pigmentos termocromáticos baseados em nanopartículas de ouro incorporadas em matrizes inorgânicas de hidrotalcita, que proporcionaram um tipo interessante de pigmento para gravar informações ópticas.

O segundo estudo premiado, de autoria de Marcos Fernandes de Oliveira, da DuPont do Brasil, irá focalizar a alcalinidade do negro-de-fumo na prevenção da corrosão em tanques e embalagens em aço-carbono e sua influência na estabilidade e redução de voláteis em dispersões não-aquosas. Da DuPont Performance, Martin J. Mahon irá apresentar outro tema especialmente interessante sobre nanopartículas em tintas automotivas.

“Contaremos também com a participação de instituições de ensino e pesquisa de muito prestígio, como a da Eastern Michigan University, por intermédio da participação de Weidian Shen, que irá proferir palestra sobre a caracterização das propriedades tribológicas de tintas, especialmente sob os aspectos de resistência a riscos e danos”, destacou o doutor Jorge Fazenda, coordenador técnico do 10o Congresso e consultor científico da Abrafati.

Outro trabalho muito interessante sob o aspecto da inovação, na opinião do doutor Fazenda, versará sobre “O futuro da cura por UV/EB (feixe eletrônico) num mundo em transformação”, e será apresentado por David Harbourne, da Associação RadTech North America.

Pesquisadores da Cytec do Brasil também irão apresentar tema de grande importância para aplicações em embalagens contendo alimentos. Trata-se de produtos de baixa extração, baixo odor e curáveis por energia para aplicações em embalagens de alimentos. Também da Cytec Américas, pesquisadores irão focalizar o conceito de tintas em pó superduráveis, explorando um sistema com características consideradas excepcionais.

Porém a abordagem mais contemplada por dezenas de estudos no 10° Congresso traz à tona a preocupação dos fabricantes e fornecedores de matérias- primas para tintas com o meio ambiente. Isso se deduz pela observação de grande número de trabalhos destacando formulações em base aquosa e de estudos propondo a redução de compostos orgânicos voláteis (VOC) nas formulações.

Com o propósito de abrir o leque de oportunidades aos fabricantes de tintas para produzir e ampliar a oferta de tintas em base aquosa, pesquisadores da Bayer MaterialScience AG levarão ao conhecimento do público tintas poliuretânicas para madeira em base água.

As tintas em base aquosa também mobilizaram pesquisadores da Ciba Specialty Chemicals a destacar no congresso nova tecnologia de aditivo encapsulado – estabilizadores de luz baseados em “Neat” para aplicações em tintas em base água.

Especialista da Rohm and Haas irá destacar aos congressistas as melhores práticas mundiais em esmaltes à base de água, enquanto pesquisadores da Cytec Industries, da Áustria, colocarão em primeiro plano os estudos sobre tintas à base de água para sistemas anticorrosivos de cura em temperatura ambiente.

Ainda debruçados sobre o tema “tintas em base aquosa”, vários pesquisadores e professores do Instituto de Química da Universidade de Campinas, entre eles o professor Fernando Galembeck, irão apresentar o comportamento reológico de tintas aquosas sob diluição. Da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia igualmente surgirá uma das grandes contribuições para o meio ambiente. Trata-se de estudo que aborda a destinação inadequada de resíduos de tintas imobiliárias e recomenda que esse paradigma seja mudado para a sustentabilidade ambiental, a ser apresentado pelo pesquisador Valnêr Guimarães Júnior.

No rol de soluções propondo reduções de VOC, vários estudos oferecem contribuições à fabricação de tintas. Pesquisadores da Eastman Chemical Company irão apresentar o tema “Projetando um novo aditivo de desempenho para cumprir os desafios no mercado de clearcoat de repintura, adequado às exigências de VOC.

Da ExxonMobil Chemical, Ronald R. Hill abordará reatividade fotoquímica, um novo paradigma para regulamentação de VOC.

Da Croda do Brasil, Willian McNamee aprofundará o tema sobre a redução de VOC em tintas alquídicas, propondo uma redução potencial de custos nas formulações, sem afetar as propriedades do filme seco.

Convidado para o congresso, Thomas Zech, da Basf AG, virá ao País especialmente para apresentar as novas tendências para tintas poliuretânicas de dois componentes que atendem aos regulamentos de 2007 sobre VOC.

Da DuPont, Jean Meng irá proferir palestra destacando fluorsurfactantes multifuncionais em revestimentos arquitetônicos de baixo VOC.

Os visitantes da Abrafati 2007 também poderão se inscrever em cursos com duração de um dia, promovidos pela Sociedad Argentina de Tecnólogos en Recubrimientos (Sater) e pela Federation of Societies for Coatings Technology (FSCT). Se até lá, naturalmente, ainda houver capacidade para atender os interessados. No dia 24, a partir das 9 horas, Hugo de Notta apresentará pela Sater curso sobre reologia, com explanações sobre reometria, viscosidade e viscoelasticidade. No dia 25, também a partir das 9 horas, Hugo Haas e Jorge Rusconi também ministrarão pela Sater curso sobre tintas automotivas, focalizando desde a situação do mercado, materiais e processos de pintura, tintas para autopeças plásticas, até tintas para repintura automotiva.

Química e Derivados, Abrafati - Feira e congresso internacional de tintas comemoram vinte anos em clima de expansão
Telma: novo local favorece integração entre expositores

No dia 26, Graham A. Howarth apresentará pela FSCT projeto de resinas à base de água (Design of Waterborne Resins), ensinando como projetar resinas à base de água, epóxi, alquídicas, poliuretânicas, entre outras. Também no dia 26, Raymond Fernando, professor e diretor do Programa de Polímeros de Tintas do Departamento de Química e Bioquímica da conceituada California Polytechnic State University, ministrará o curso “Aplicações de nanotecnologia na indústria de tintas”, discorrendo sobre a tecnologia dos nanomateriais e evidenciando diferentes abordagens para a obtenção de nanocompostos orgânicos/inorgânicos ou ainda tintas nanoestruturadas.

Em duas décadas de exposições e congressos, a Abrafati realmente se esmerou ainda mais na organização dos eventos deste ano. Com isso, expositores, colaboradores e visitantes só terão a ganhar, seja acompanhando a programação técnico-científica ou visitando os estandes. A maior vantagem, contudo, ao participar da Abrafati é enxergar o mundo sob o prisma da cor, como faz o veterano doutor Jorge Fazenda, consultor científico da Abrafati: “O mundo atual só é policromático graças às tintas que oferecem possibilidades ilimitadas para se colorir tudo. E pintar é a forma mais eficiente e barata que encontramos para colorir o mundo artificial, na tentativa de imitar a natureza.” A seguir, apresentamos algumas novidades dos expositores da Abrafati 2007.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.