Tintas e Revestimentos

Abrafati: Avanços em aditivos e pigmentos

Marcelo Fairbanks
11 de março de 2016
    -(reset)+

    Química e Derivados, Bonaldi: GBU de pigmentos vai se tornar empresa independente

    Bonaldi: GBU de pigmentos vai se tornar empresa independente

    Paleta completa – Com linha ampla de resinas, pigmentos e dispersões, a Basf levou muitas novidades para a Abrafati 2015. Agora com produção de ácido acrílico e acrilato de butila em Camaçari-BA, a companhia pode garantir o suprimento ao mercado local, mas enfrenta um período de preços baixos em âmbito global. “O dólar ficou mais caro no Brasil e isso poderia nos favorecer, porém a demanda mundial está fraca e os preços, especialmente na Ásia, seguem baixos, pressionando bastante nossa posição”, afirmou Anderson Bonaldi, diretor de negócios em coatings da divisão de dispersões e pigmentos da Basf na América do Sul.

    No mercado brasileiro, a demanda também segue em baixa, porém ele recomenda olhar com atenção cada segmento de mercado, pois há variações importantes entre eles. “Em 2014, as vendas foram ruins, mas o setor de embalagens aproveitou a Copa do Mundo para crescer e isso puxou a venda de tintas e vernizes para latas de bebidas, por exemplo”, disse. Neste ano, no setor de coatings, as linhas para embalagens seguem em melhor situação que as demais, seguidas pelo setor cosmético.

    A indústria de tintas avança por duas tendências distintas, a primeira com foco no preço e a outra de olho na qualidade e nas inovações, buscando diferenciação. “Nós atuamos nessas duas vertentes”, afirmou.

    “Temos a BS 701, dispersão acrílica em água para formulação de esmalte sintético com alto desempenho, sem amarelar, indicada para tintas para madeira e telhado”, salientou Paulo Rafael Penteriche, gerente de vendas de coatings, da mesma divisão. Essa dispersão tem a característica de não apresentar pega (aderência), aspecto muito desejado quando se pintam portas, janelas e seus respectivos batentes.

    Para as tintas decorativas imobiliárias, a companhia apresentou pigmentos com efeito perolizado (linha Glacier) e toque suave (Firemist). A linha Lumina se destaca por apresentar elevada saturação cromática, obtida pela distribuição mais estreita das suas partículas. As tintas industriais ganharam uma opção de pigmento isento de chumbo, o Irgazin Scarlet L 3553 HD.

    Bonaldi ressalta que a companhia adquiriu vários fabricantes internacionais de pigmentos e suas tecnologias, a exemplo da Ciba, Engelhard, Cognis, Johnson Polymer. “Esse negócio cresceu tanto, que a companhia decidiu criar uma unidade global de negócios só para ele, que deverá ser separado como empresa independente, um processo que já está em andamento”, explicou.

    Nos ligantes, destaque para o Acronal ECO, indicado para tintas decorativas, com um apelo mais amigável aos usuários.

    “A partir de problemas relatados pelos clientes, desenvolvemos dois novos antiespumantes, mais eficazes, capazes de estourar as microbolhas e evitar o aparecimento de um defeito conhecido como olho de peixe”, comentou Penteriche. É o caso do Foamstab 2410, que começou a ser produzido no site de Jacareí-SP. O aditivo é feito com base em óleo mineral especial, patenteado pela Basf.

    Bonaldi comentou que a companhia mudou em 2012 o foco de abordagem no mercado de tintas industriais, buscando maior aproximação com mercado, obtendo interação mais efetiva. “Desde então, um único profissional atende cada cliente em todas as suas necessidades, contando com o apoio de uma equipe de especialistas”, disse.

    Química e Derivados, Blanco: consumo automotivo é fundamental para negro de fumo

    Blanco: consumo automotivo é fundamental para negro de fumo

    Nova estrutura regional – A Birla Carbon, empresa do grupo indiano Aditya Birla, reorganizou suas atividades globais em quatro regiões: América do Norte, América Latina, Europa/Oriente Médio e Próximo/África, e Ásia (Extremo Oriente). “Com isso, o México passou a integrar o grupo dos países latino-americanos, ficando a região da América do Norte apenas com Canadá e Estados Unidos”, explicou Robert M. Blanco, diretor de vendas de special blacks para a América Latina. A mudança foi atribuída à maior proximidade cultural entre os países latinos, que facilitará o intercâmbio de produtos e experiências.

    A Birla possui três fábricas de negro de fumo na América do Norte (duas nos EUA e uma no Canadá), além de duas unidades na América Latina, ambas no Brasil (Cubatão-SP e Camaçari-BA). “Os tipos descritos nas normas ASTM, usados em pneus e artefatos de borracha, são supridos pela produção interna de cada região, por serem negociados em grandes volumes”, comentou Blanco. “Por sua vez, os negros de fumo especiais são comercializados em pequenas quantidades, sendo produzidos em poucas fábricas altamente especializadas ao redor do mundo, equipadas para realizar tratamentos específicos.”



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *