Tintas e Revestimentos

ABRAFATI 2011 – Com demanda garantida, setor busca tecnologias eficazes e sustentáveis

Rose de Moraes
17 de dezembro de 2011
    -(reset)+

    Química e Derivados, Camila Dietrich, Wacker, Silicones,

    Camila: resinas de silicone ganham espaço em aplicações de proteção

    A área de silicones da Wacker também apresentou soluções para tintas e revestimentos arquitetônicos, visando à proteção de fachadas com tintas de emulsão de resinas de silicone. “Temos observado que a restauração e a manutenção das construções são as áreas que apresentam os maiores crescimentos nos últimos anos e que a baixa absorção de água, a permeabilidade a vapores, a aderência aos substratos, as propriedades de proteção contra poluentes e a durabilidade são requisitos-chaves para os revestimentos decorativos, requisitos atendidos pelas resinas de silicone”, considerou Camila Dietrich, gerente de vendas da área de silicones para a América do Sul da Wacker Química do Brasil.

    Outra novidade apresentada pela companhia ficou por conta da resina de silicone intermediária e fluida Silres IC 368. Isenta de solventes, torna os revestimentos industriais altamente resistentes às intempéries. Sua versatilidade abrange recomendações de uso em combinação com resinas que possuem quantidade muito elevada de sólidos e também para modificar resinas alquídicas, resinas acrílicas hidroxi-funcionais e resinas de poliéster hidroxi-funcionais, utilizadas em revestimentos industriais para madeiras e metais, e também para a pintura de bobinas metálicas. A nova resina de silicone também apresenta eficiência superior em comparação aos demais intermediários em base silicone.

    Tecnologia poliaspártica – Oferecer alta proteção anticorrosiva a substratos metálicos, cimentos e concretos é a finalidade da nova tecnologia poliaspártica destacada pela Bayer nessa Abrafati. Trata-se de sistema bicomponente, integrado por polímeros puros contendo grupos amínicos funcionais (Desmophen NH), que reagem com isocianatos puros (Desmodur-N), representando alternativa aos sistemas poliuretânicos convencionais.

    “Lançamos essa tecnologia há quatro anos, mas estamos introduzindo resinas que propiciam novas funcionalidades às tintas, como secagem rápida sem solventes, e ainda, numa única demão, permitem aplicar altas espessuras, até 400 micrômetros, formulando revestimentos com altíssimo teor de sólidos e com VOC praticamente igual a zero”, informou Alberto Hassessian, gerente geral da unidade de negócios Tintas, Adesivos e Especialidades para a América Latina da Bayer MaterialScience.

    A altíssima resistência à abrasão é também outra característica da nova tecnologia que foi utilizada na pintura do piso de toda a arquibancada de um estádio de futebol em Santiago do Chile, em 2010.

    Outra linha enfatizada pela companhia foi a Bayhydrol. Constituída de dispersantes poliacrílicos em base água (PAC) e de dispersantes de poliuretano (PUD), em combinação com reticulantes de poli-isocianatos hidrolizados (Bayhydur), possibilita formular sistemas de recobrimento de dois componentes em base água.

    Em adesivos de contato, coube destaque à linha de dispersões aquosas de policloropreno (Dispercoll C) e, em se tratando de adesivos termoativáveis, o destaque ficou por conta das dispersões de poliuretano (Dispercoll U), que oferecem propriedades de resistência ao calor.

    “Nossas soluções atendem às atuais necessidades de mercado com excelentes propriedades produtivas e resistência química comparáveis aos tradicionais sistemas de base solvente, porém de forma mais sustentável”, finalizou Hassessian.

    Centenária inova – Com experiência consolidada na área de polimerização de emulsões aquosas homopolímeras, copolímeras e terpolímeras, a Clariant destacou seu novo portfólio de emulsões Mowilith, marca que irá completar 100 anos em 2012, a contar desde o lançamento de sua primeira patente. Ambientalmente amigáveis, as novas emulsões foram desenhadas para atender os segmentos de tintas decorativas para usos interno e externo, vernizes, esmaltes e lacas para madeiras, revestimentos para metais, entre outros.

    Em terceira geração, o terpolímero Mowilith LDM 2466/2455 foi concebido para emprego em tintas para interiores e exteriores, linhas premium e econômicas, além de massas e texturas. Já o Mowilith LDM 2400 incorpora o novo conceito para formulação de tintas ecológicas de baixa emissão de contaminantes, enquanto os terpolímeros Mowilith LDM 2250/2251 apresentam novo sistema de polimerização de alta tecnologia (Core-Shell), para uso em revestimentos de alto desempenho, como esmaltes, vernizes e lacas para madeiras, tintas para exteriores, revestimentos para telhados, e tintas anticorrosivas para metais, aplicadas diretamente. Outra inovação em polimerização está em Mowilith LDM 2801, que propicia formulações em escala nano, oferecendo novo patamar de desempenho para seladores, fundos preparadores, stains para madeiras, alvenarias, gessos, cimentos queimados, entre outros. Outra inovação em nanomaterial está na linha Nipasafe, nova tecnologia em encapsulamento de biocidas em escala nano, para emprego em tintas para exteriores, com ação fungicida e algicida, sendo resistente à lixiviação.

    Segundo destacou Pablo Cadavid, gerente global de produto e gerente da unidade de negócios Emulsions para o Brasil, a nova geração de terpolímeros apresenta custo/benefício competitivo perante os acrílicos puros e estirenados.

    Extensor nacional de TiO2– As inovações em matérias-primas nacionais também despertam grande interesse dos produtores de tintas em virtude de maiores facilidades de oferta e de custos competitivos, a exemplo dos desenvolvimentos nas áreas de pigmentos brancos e de terpolímeros, realizados pela Oswaldo Cruz Química.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *