Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Nanotecnologia aplicada aos cosméticos – ABC Cosmetologia

Quimica e Derivados
14 de maio de 2016
    -(reset)+

    Microscopicamente, os lipossomas são pequenas esferas gordurosas, descobertas em 1961 por Alec D. Bangham, no Institute for Minai Physiology, em Cambridge, Inglaterra.

    Enquanto estudando a influência dos fosfolipídios na coagulação sanguínea, Bangham aplicou um filme formado de fosfolipídio com água sobre uma lâmina de vidro. Tempos depois ele verificou que pequenas vesículas fechadas de fosfolipídio contendo água se formaram, as quais podiam ser observadas através do microscópio.

    Desde então, as propriedades destas esferas, bem como as possibilidades de utilização em diversos campos tem sido investigadas. Atualmente, são estudadas a aplicação na farmacologia, biologia e na medicina, no sentindo de aumentar a solubilidade de substâncias insolúveis e constituir um sistema de proteção para substâncias ativas.

    Como definição mais ampla, os lipossomos são partículas compostas de duas ou múltiplas cadeias de fosfolipídios, contendo no seu interior solução aquosa. Correspondem assim ao modelo primitivo de membrana celular.

    TIPOS DE LIPOSSOMAS

    Os lipossomas possuem variações em seu tamanho, podendo ser vesículas unilamelares ou multilamelares.

    Química e Derivados,

    FIG. 1. – Lipossoma unilamelar e multilamelar

    FORMAÇÃO DAS LIPOSSOMAS

    É explicada pela da estrutura dos fosfolipídios.

    Ex.: Estrutura dos fosfolipídios, como a lecitina

     

    Suas moléculas atuam como um tensoativo, ou seja possuem regiões hidrofílicas e lipofílicas respectivamente na molécula.

    Esquematicamente são representadas como se segue:

    Química e Derivados,



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *