25ª Feira Internacional da Mecânica: Estrangeiros somam metade da exposição

A mais antiga feira setorial do Brasil comemora 45 anos com número recorde de expositores internacionais

Química e Derivados: Feira: abre_feira_mecanica. ©QDA 25ª Feira Internacional da Mecânica, a mais antiga e tradicional feira setorial do País, confirmou prognóstico dos organizadores, ao receber mais de 110 mil visitantes, no pavilhão de exposições do Anhembi, de 18 a 22 de maio, em São Paulo. Realizada há 45 anos pela Alcântara Machado, a Mecânica teve sua primeira edição realizada em 1959. Mas a cada evento supera as expectativas dos promotores, atraindo grande diversidade de segmentos industriais. Só neste ano foram mais de 25, abrangendo áreas como automação e controle de processos, válvulas, bombas, compressores, equipamentos hidráulicos e pneumáticos, entre outros. Nesta mostra, vale ainda observar que o número de expositores estrangeiros quase se equiparou ao das empresas nacionais. Do total de 1.845 expositores, 943 eram de procedência nacional, enquanto 902 partiram de 33 países, como Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Holanda, Itália, Dinamarca, Espanha, Argentina, Alemanha, China, Itália e Taiwan, este ano com grande representatividade na feira.

“Os Estados Unidos, a Alemanha e a Itália lideraram a lista dos que apostam no potencial de negócios da Mecânica, trazendo 253, 192 e 137 expositores, respectivamente”, afirmou Evaristo Nascimento, diretor da feira, cujo número de expositores nacionais e internacionais cresceu 120% desde 1992 até hoje.

Entre todos os expositores do exterior, os Estados Unidos constituem o principal mercado comprador de máquinas e equipamentos do Brasil, respondendo por 29,52% das exportações. No caso dos latino-americanos, quem compra mais dos brasileiros é a Argentina, seguida do México, Chile, Paraguai e Colômbia.

Com tantos parceiros internacionais, o Brasil é hoje considerado o sexto maior produtor mundial de máquinas e equipamentos. Contando com o impulso das exportações brasileiras que estão aquecidas, a Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos prevê investimentos no valor de R$ 6 bilhões em 2004. Em 2003, a indústria de máquinas e equipamentos apresentou faturamento de R$ 34,9 bilhões e vendas externas de US$ 4,9 bilhões. “Em 2003, registramos crescimento de 33,5% nas exportações e o comportamento do mercado nos dá sinais de que teremos um ano promissor”, considerou Luiz Carlos Delben Leite, presidente da entidade, parceira na organização da Mecânica 2004.

Os recordes nas exportações em 2003 posicionaram o setor de máquinas e equipamentos na segunda colocação no ranking dos principais exportadores industriais de manufaturados do País. Mas em 2004, segundo prevê a Abimaq, o desempenho exportador brasileiro estará mais potencializado, contando-se com as atividades implementadas pelas rodadas internacionais de negócios, apoiadas pela Apex-Brasil, a Agência de Promoção das Exportações.

Realizada durante a Mecânica, essa rodada contabilizou US$ 12,5 milhões que deverão ser gerados a partir de negociações entabuladas e efetivadas na feira, reunindo importadores e distribuidores de máquinas e equipamentos de 12 países, incluindo compradores tradicionais – Estados Unidos, Alemanha, Argentina, México, Itália, França e Colômbia – e novos mercados, como Austrália, Nova Zelândia, Turquia, África do Sul e Portugal.

Conheça as novas máquinas

Química e Derivados: Feira: Robôs ABB - processos rápidos e com os ciclos mais curtos. ©QD Foto - Cuca Jorge
Robôs ABB – processos rápidos e com os ciclos mais curtos.

AALBORG

Especializada na fabricação de equipamentos geradores de vapor e aquecedores de fluido térmico, a empresa, sediada em Petrópolis-RJ, divulgou a linha de caldeiras flamotubulares, ambi-tubulares (aqua e flamotubulares), fabricadas em um único equipamento, além de aquecedores de fluido térmico e recuperadores de calor, dimensionados para os mais variados tipos de combustível, desde fluidos, como óleo BPF, diesel, xisto, passando por gasosos, como GN e GLP, até sólidos, como lenha, cavaco e biomassa. Classificadas por capacidade de produção, de 0,5 toneladas a 34 toneladas de vapor/hora, e também por tecnologias, com sistema “wet back” para caldeiras de 2 toneladas até 34 toneladas de vapor/hora, cuja oferta pode alcançar até 91% de rendimento, ou com sistema de fundo refratário para gerar 2 toneladas de vapor/hora, esses equipamentos utilizam os mais diversos combustíveis fluidos e gasosos.

Aquecedores de fluido térmico de 800.000 kcal/h até 8.600.000 kcal/h, aquecedores de água até 400.000 kcal/h, caldeiras de recuperação para motores de 20 MW e turbinas até 10 MW foram outros segmentos de produtos apresentados. No entanto, o maior destaque ficou por conta das caldeiras ambi tubulares para combustíveis sólidos de 3000 toneladas de vapor/hora até 24.000.

ABB

A quinta geração de robôs desenvolvida pela Asea Brown Boveri, representada pelo controlador de robôs de alta performance IRC5, estará disponível ao mercado brasileiro a partir de outubro. Fabricado na Suécia, o equipamento foi concebido com tecnologia avançada de robótica, sendo composto de central de processamento (CPU Pentium) e software com linguagem rapid de programação, que tornam os processos mais rápidos e com tempos de ciclo mais curtos. Sua principal funcionalidade, no entanto, é poder exercer controle simultâneo de até quatro robôs com movimentos sincronizados ou independentes, viabilizando aplicações impossíveis em outras circunstâncias, como a operação de vários robôs direcionada a objeto movimentado por um posicionador de um ou vários eixos. Simples de configurar e com módulos padronizados, o equipamento ainda possui unidade portátil de interface, FlexPendant, com layout Windows e opera via tela touch screen, soluções voltadas à economia de custos na operação de projetos em rede. Outra novidade conferida pelo público foi o software para monitoramento remoto S4 Anywhere, viabilizando comunicações via Internet e soluções de problemas via telefone.

ANTARES

Desenvolvida em versões standard, a nova linha de acoplamentos Antac foi a principal atração exposta pela empresa. Fabricados em borracha natural e com partes metálicas em aço carbono SAE-1020, os novos acoplamentos resistem a ácidos, inclusive ao ácido nítrico, óleos, graxas, derivados de petróleo, temperaturas até 120°C, óleos, graxas, derivados de petróleo, podendo trabalhar imersos em óleo, solventes polares como acetona, MEK, acetato de etila e intempéries.

APEMA

O tradicional fabricante de trocadores de calor exibiu ampla linha de produtos destinados às trocas térmicas, destacando modelos com placas desmontáveis e brasadas, além de radiadores industriais, cascos e tubos e resfriadores de óleo hidráulico, para aplicações nas indústrias de papel e celulose, alimentícia, química, petroquímica e de bens de capital.

Participando de todos esses setores, a empresa incluiu entre os seus fornecimentos mais recentes a entrega de equipamentos para a Aracruz Papel e Celulose.

BURGMANN

Ampla variedade de juntas de expansão e selos para vedação foram os destaques apresentados por essa empresa, envolvendo desde juntas de expansão simples, fabricadas com uma única camada de tecido, elastômero ou plástico, até juntas multicamadas, para uso em dutos de ar e gases de combustão, instalados em termelétricas a carvão, cimenteiras, plantas petroquímicas, indústrias de papel e celulose, entre outros, onde as exigências de temperatura não ultrapassem 575°C. Para operações especiais, o fabricante deu ênfase às juntas em multicamadas com malha e reforço interno em aço inoxidável, garantindo estabilidade a temperaturas até 1.200°C.

Química e Derivados: Feira: Conversor VLT - com fieldbus. ©QD Foto - Divulgação
Conversor VLT – com fieldbus.

DANFOSS

O novo conversor de freqüência VLT Automation Drive FC300, com potência de 7,5 kW, já vem com comunicação fieldbus, sincronismo/posicionamento, PLC IEC 61131-3, antes opcionais, display gráfico otimizado, envolvendo ajuste automático de motor e menu em até seis idiomas. Desenvolvido para controlar vasta gama de aplicações padrão até servo-acionadas, em quaisquer linhas de produção, o equipamento promove gerenciamento inteligente de calor por dissipação por convecção forçada, onde um ventilador irá soprar o ar frio através de aletas da base de aluminío para remover o calor, ou por dissipação “cold-plate”, ou seja, dissipação externa, executada pela parte traseira da base de alumínio, onde um direcionador irá conduzir o ar para os componentes eletrônicos, garantindo dissipação adicional.

DAY BRASIL

A participação objetivou destacar visores e protetores fabricados em PETG, policarbonato e acrílicos, para emprego em vários tipos de máquina. Para poder fabricar e desenvolver peças especiais confeccionadas em plásticos de engenharia, a empresa investiu na construção de moderno centro de usinagem, que opera com CAD, recebendo os desenhos nos formatos DWG e DXF, para depois convertê-los e transmiti-los para as máquinas via CAM, visando a execução final das peças. Como exemplos de peças usinadas, são executadas buchas, engrenagens, chapas, sapatas e calços laminadores, roletes, perfis e guias de desgaste, anéis de vedação/flanges e roldanas para cabos. Na oportunidade, foram também exibidas as linhas de fitas adesivas, desenvolvidas para atender aos setores elétrico, gráfico, de embalagens e indústrias em geral, destacando-se fitas isolantes em PVC, para emendas, usos industriais e de concessionárias de energia e telecomunicações; fitas anti-corrosivas em PVC , para proteção de dutos; fitas para fechamento de caixas de papelão; fitas em polipropileno e adesivos hot melt, apropriados para aplicações manual e automática em seladoras de caixas, além de fitas dupla-face de alta adesividade.

DOVER

Novos componentes para controle das linhas de ar comprimido foram destacados pela empresa, como o pressostato Skillair, equipamento para monitorar as pressões do ar comprimido, com ou sem lubrificação dos sistemas pneumáticos, que possui pressão máxima de alimentação de 15 bar, faixa de regulagem de 0,5 a 10, com diferencial fixo de 0,4 a 0,8, proporcional à faixa de pressão regulada, e se aplica a tensões de trabalho até 250 volts. Entre as soluções para controle direcional do desvio de fluxo de ar comprimido, o destaque ficou por conta das válvulas da série HDM heavy duty multimach. Com corpo principal protegido por invólucro em polímero reforçado para absorver choques e evitar a penetração de impurezas, além de design em formato externo arredondado para evitar a deposição de resíduos, essas válvulas possuem grau de proteção IP 65, assegurando resistência a impactos e vibrações, podendo contar ainda com conexões do tipo engate rápido, em diâmetros de 4 mm, 6 mm e 8 mm.

ESFERAS DOUGLAS

Projetadas para dar cobertura a superfícies líquidas, as esferas Douglas, divulgadas na feira, reduzem em até 85% as emissões de vapores, proporcionando isolamento térmico. Pós aquecimento, podem reduzir em até 65% a energia utilizada para manter as substâncias sob adequada temperatura de trabalho, sendo produzidas em materiais termoplásticos em vários diâmetros e versões, apresentando resistência química a diversos produtos e podendo ser utilizadas sob temperaturas até 100°C.

Química e Derivados: Feira: Motor de passo HGDS - rotativa. ©QD Foto - Divulgação
Motor de passo HGDS – rotativa.

FESTO

O motor de passo MTR-ST e o controlador SEC-ST, em exibição ao público, representam solução única e completa para a execução de movimentos com velocidades controladas, paradas intermediárias de precisão e controles de rampas de aceleração/desaceleração.O MTR-ST opera em duas fases, com alimentação de 24Vcc a 48Vcc, permitindo ajustes na resolução do passo, envolvendo desde passos completos até décimos de passo. Já o controlador SEC-ST é acionado por sinal, que pode ser gerado por um SPC-200, com cartão de motor de passo, ou qualquer outro CLP com cartão de motor de passo disponível no mercado. Com tecnologia Festo também foi desenvolvido o HGDS, com garra e atuador rotativo em uma única unidade, e sistema de sensores magnéticos do tipo SME-10 ou SMT-10, permitindo fácil acesso às peças manipuladas e ajustes de rotação de 0o a 210º.

GEFRAN

O grupo Gefran, detentor da marca italiana amplamente conhecida no segmento de automação industrial, oficializou o início em maio do processo de nacionalização do novo modelo de controlador de temperatura: Gefran 600. O indicador controlador digital microprocessado Gefran 600 é

Química e Derivados: Feira: Controlador Gefran - em nacionalização. ©QD Foto - Divulgação
Controlador Gefran – em nacionalização.

totalmente configurável, tem ação de controle PID, sintonia automática e adaptativa, possuindo funções para controle automático/manual com transferência amortecida, além de funções off-set, alarme LBA de quebra de loop com ajuste da potência de saída, duplo display de 4 dígitos para indicação de set-point e variáveis de medição, além de sonda aberta e ligação invertida, indicação do estado da saída e alarme através de led, bem como entrada configurável para sinais de termopar tipo J/K/N/S/R/T, termoresistência PT100 a 2/3 fios, 0-10Vdc, 0-20/4-20mA, e 4 saídas, podendo ser a relé, com capacidade de 5A/220Vac, lógica (24Vdc), e analógica (4-20/0-20mA). Possui também configuração para aquecimento/ resfriamento, frontal para painel de 48mm x 48mm (1/16DIN), com grau de proteção IP65, profundidade de 100 mm e alimentação de 90-260Vac, 50/60Hz.

LUPATECH

Entre os destaques selecionados pela divisão Microinox e Steelinject esteve a válvula de esfera da Metalúrgica Nova Americana. Com passagem plena, duplo bloqueio com dreno, corpo tripartido, é flangeada e possui padrão API 6D, nas classes 150, 300, 600, além de corpo, tampas e esfera confeccionados em aço forjado ASTM A 105, esfera (obturador) ASdouble piston efTM A 182 Gr F6 A, com opcionais “fire safe” e construção “double piston efect”, com várias opções de acionamento pneumático, elétrico e redutor de engrenagem, nos diâmetros de 6″ até 32″.

Química e Derivados: Feira: Bomba Nemo da Netzch. ©QD Foto - Divulgação
Bomba Nemo da Netzch.

NETZSCH DO BRASIL

Pertencente ao grupo familiar alemão Netzsch, a unidade brasileira constitui a maior filial fora da Alemanha, sendo responsável pelo atendimento das Américas, incluindo a América do Norte, Central e do Sul. Sua presença na feira evidenciou bombas e filtros prensas, além de fortalecer sua liderança no mercado de bombas helicoidais, com cavidades progressivas, bem como de fusos. A participação também abrangeu a linha de bombas dosadoras de diafragma e pistão, bombas centrífugas sanitárias, bombas de lóbulos e pneumáticas.

NIAGARA

Em meio à ampla variedade de válvulas e equipamentos expostos e divulgados na feira, a empresa acrescentou à sua linha purgadores, filtros, válvulas de redução de pressão, válvulas termostáticas, eliminadores de ar, separadores de condensado, visores, entre outros, fabricados peal Spirax Sarco, com a qual firmou recente parceria. Além destes, foram destacados no estande equipamentos da Dinatécnica, FKB, Asco, Firestone, Fluid Dynamics, Dresser, Samson, Valloy, W.Burger, bem como a linha de válvulas de controle auto-operadas, redutores de pressão, reguladores de vácuo e filtros, desenvolvidos pela própria empresa.

OMEL

Pioneira em tecnologias de bombeamento e medição de fluxo em líquidos e gases, a empresa destacou a linha de bombas especiais para as mais variadas condições de trabalho, produzidas de acordo com a NBR-ISO 9001:2000, conforme critérios BVQI. Também foram apresentadas soluções inovadoras e produtos como bombas de vácuo de anel líquido, dosadoras, com critérios HI e API, centrífugas de processo para serviços leves, em conformidade com a norma ANSI, centrífugas de processo para serviços pesados ( norma API 9ª edição), centrífugas herméticas, além de sopradores do tipo roots, rotâmetros para medição de fluxo e válvulas de diafragma para aplicações especiais.

Química e Derivados: Feira: Bomba PE - com pistões. ©QD Foto - Divulgação
Bomba PE – com pistões.

PARKER

Os destaques ficaram por conta das válvulas de controle da série 63, operadas pneumaticamente, para aplicações envolvendo fluidos viscosos e com impurezas, encontradas em processos de refino de petróleo e usinas de açúcar e álcool, bem como das válvulas de expansão termostática da série B5, dimensionadas para facilitar a seleção do melhor fluxo para os sistemas. No segmento de contadores de partículas, o equipamento portátil a laser LCM20, com capacidade para monitorar em tempo real os níveis de limpeza do fluido e a unidade portátil de purificação de óleo, conhecida como PVS, ao ser aplicado em sistemas hidráulicos e lubrificantes, gera grandes reduções de custos devidas à ausência de descartes. Para aplicações hidráulicas, envolvendo elevadas pressões de trabalho, o destaque coube à mangueira 792TC.

No segmento de bombas, a série PE, desenvolvida com pistões, tem tecnologia diferenciada e possui sistema de compensação de pressão, para reduzir o efeito ripple (pulsação na linha de pressão). Outro equipamento em evidência foi o controlador portátil de partículas a laser. Desenvolvido para monitoramento em tempo real, o LCM20 conta partículas através de ondas de diodo a laser infravermelho, possuindo processador de 16 bits, para monitorar os níveis de limpeza dos fluidos e checar a eficácia dos sistemas hidráulicos e/ou lubrificantes.

Química e Derivados: Feira: Compressor de parafuso - até 200 hp. ©QD Foto - Cuca Jorge
Compressor de parafuso – até 200 hp.

RTS

O tradicional fabricante de válvulas exibiu ampla variedade de produtos totalmente ou semi-revestidos com teflon e providos de acionamentos manual, pneumático ou elétrico. Entre os lançamentos, destacaram-se válvulas do tipo borboleta e atuadores eletromecânicos com capacidades que variam de 35 Nm até 15000 Nm, para aplicações em válvulas do tipo borboleta, esfera, macho, dampers, venezianas, globo, gaveta, registros radiais, desviadoras, guilhotina, comportas e dispositivos em geral, que possuem sistema de acoplamento em padrão ISO.

No segmento de válvulas, as do tipo borboleta apresentam tripla excentricidade e geometria elíptica de selagem, resultando na ausência de atrito entre a sede e o selo do disco. Com assentamento por torque, apresentam também características otimizadas de vazão e modulação, abrangendo desde aplicações criogênicas até altas temperaturas, além de alto controle de emissões fugitivas. Na linha de atuadores, foram destacados modelos pneumáticos com dupla ação e regulagem interna nos dois sentidos, envolvendo abertura e fechamento, para aplicações em transporte pneumático, válvulas de desvio e válvulas de 3 vias, além de atuadores de retorno com mola dosadora para instalação em serviços de dosagem grossa ou fina, envasamentos, enchimento ou mistura de pós, granulados e fluidos viscosos.

SCHULZ

A empresa promoveu o lançamento de dois novos compressores rotativos de parafuso com potências de 100 hp e 200 hp. O modelo de 100 hp oferece vazão efetiva de 356 p.c.m. e pressão máxima de trabalho de 11 bar, enquanto o modelo de 200 hp apresenta vazão efetiva de 927 p.c.m. e pressão máxima também de 11 bar. Ambos possuem unidade compressora de parafuso lubrificado, motor elétrico trifásico blindado de 220V ou 380V ou 440V, válvula de admissão com controle proporcional, acionamento por chave estrela-triângulo, painel eletrônico microprocessado, resfriador posterior incorporado, proteção dos motores por sonda térmica, entre outros componentes, permitindo operar em temperaturas ambientes até 45°C.

SUNNYVALE

A empresa expôs equipamentos para codificação ink jet, a laser e a micropuncionamento. As codificadoras ink jet e a laser, da marca Domino, garantem qualidade de identificação e maior rastreabilidade, sendo representadas com exclusividade pela Sunnyvale no Brasil. Na feira, outro destaque ficou por conta do modelo A200 de impressora ink jet, que imprime até 4 linhas simultaneamente. De alta confiabilidade para textos, logos, gráficos, códigos seriais, códigos de barras, códigos bidirecionais, essa impressora possui relógio em tempo real. Já o modelo a laser S200 foi desenvolvido para marcações permanentes e de alta resolução, sendo capaz de imprimir até 300 caracteres, com programação feita diretamente no teclado touch screen, operando em ambiente windows e outros. Outro equipamento em evidência foi a codificadora por micro puncionamento da SIC Marking. Desenvolvidas para fazer gravações indeléveis e permanentes em materiais plásticos, aços, entre outros, oferecem alta flexibilidade, podendo ser operadas manual ou automaticamente graças ao controlador programável que dispõe de porta de comunicação serial do tipo RS 232 e entradas /saídas digitais (I/O).

SUPER FINISHING

Especializada no tratamento de superfícies com níquel duroquímico, revestimento aplicado por deposição de reduções químicas a partir de compostos de fósforo co-depositados com o níquel, para conferir características especiais aos materiais, a empresa divulgou processos que proporcionam qualidade no acabamento de cantos vivos, furos, canais profundos e roscas, mantendo as características de textura das superfícies de base. Resistente à corrosão e abrasão, o níquel químico além de garantir uniformidade às superfíces, evita usinagens ou retificações após o tratamento. As camadas de liga Ni-P, de 7% a 12%, atingem durezas de 500 HV a 550 HV, equivalentes a 48 RC a 50 RC, passíveis de transformação em até 950 HP, após a aplicação do tratamento térmico, gerando dureza que se equipara à do cromo duro.

Química e Derivados: Feira: Manifold Kenmac; design compacto reduz tensão. ©QD Foto - Divulgação
Manifold Kenmac; design compacto reduz tensão.

TECFLUX

O distribuidor exclusivo da Swagelok Company para o Brasil exibiu válvulas de duplo bloqueio e purga, da Kenmac, que proporcionam transição suave entre o processo e a instrumentação. Disponíveis desde 1/2″ até 2″, possuem conexões por flange que seguem as normas ASME 16.5 RF e RTJ, e podem trabalhar em temperaturas desde -46°C até 204°C, em faixas de pressão conforme a norma ASME 16.34, envolvendo desde classe 150 lb até classe 2500 lb. Com sede central em Sólon, Ohio, EUA, a Swagelok Company é um dos maiores fabricantes de tecnologias para sistemas de fluidos para laboratórios de pesquisa, instrumentação analítica, instrumentação de processos, farmacêutico, petróleo e gás, petroquímica e semicondutores. Outra novidade foi o manifold monoflange Kenmac. Com design compacto, substitui complexas montagens com várias válvulas por um único equipamento, minimizando pontos de vazamento e reduzindo a tensão criada por peso elevado dos sistemas. Além deste, ampla gama de manifolds monoflange foi divulgada, incluindo manifolds de bloqueio, bloqueio e purga e duplo bloqueio e purga, fornecidos para as classes de pressão de 150 lb até 2500 lb, de acordo com ANSI B16,5.

Outro equipamento destacado foi a nova válvula de agulha F10 Swagelok. Concebida com corpo forjado para trabalhar com pressões até 10.000 psig (689 bar), é fornecida em configurações reta, obliqüa e a 90°, possuindo haste não rotativa com ponta de maior dureza, que proporciona fechamento positivo, manípulo em aço inox com acionamento perpendicular da haste e trava, podendo o material de vedação ser confeccionado em PFTE ou grafite.

TYCO

Novidades foram apresentadas no segmento de válvulas, envolvendo as do tipo vanessa, que apresentam 1/4″ de volta de alta performance, sendo confeccionadas em metal/metal, com disco triplo excêntrico, e flange ou conexão para solda, enquadrando-se na classe de pressão ANSI 150#, 300#, 600# ou 900#, diâmetros de 2″ a 36″, bem como em se tratando de válvulas borboleta neotecha. Dos tipos wafer, lug ou flangeada, possuem corpos bipartidos, revestidos externamente em poliéster e haste/esfera em peça revestida em PFA, sede em PTFE, nos diâmetros de 1/2″ a 6″, com opção para meia esfera (C-BALL), para controle e uso em cloro. Já as válvulas de esfera neotecha possuem diâmetros de 1 1/2″ a 24″. Entre os lançamentos, destacaram-se as válvulas borboleta K-LOK, em produção no País. De alta performance, possuem disco duplo excêntrico, tipo wafer ou lug, ANSI 150# ou 300#, e corpo em aço inox ou aço carbono, nos diâmetros de 2″ até 36″.

WHITE MARTINS

A líder no mercado de gases industriais e medicinais destacou tecnologias de última geração, presentes na nova linha de máquinas com CNC – Comando Numérico Computadorizado -, equipadas com processo de corte a plasma de alta performance, solução que possibilita ganhos consideráveis em velocidade e qualidade aos usuários. Também destacou a nova mistura para corte de aços inoxidáveis Starplasma SS que, além de gerar ganhos na velocidade de corte, permite obter maior excelência nos acabamentos e reduzir custos de processo.

Foram ainda apresentadas as linhas de inversores portáteis para soldagem TIG e máscaras de proteção com lentes eletrônicas fotosensíveis, desenvolvidas para oferecer maior segurança às atividades de solda e corte. Outros destaques ficaram por conta das linhas Soltig e Kemppi de máquinas inversoras portáteis para processos Mig/Mag, Tig e arame tubular, além do sistema “Cores”, para utilização em chapas finas revestidas, galvanizadas ou aluminizadas.

UNIVAL

No rol dos maiores distribuidores de válvulas e conexões para líquidos, gases e vapor, a empresa divulgou estar concentrando grande estoque de conexões tubulares em sua sede de 3 mil m², em São Paulo, visando dar atendimento ágil e eficaz a diversos setores industriais, comprovados por padrões de qualidade certificados pela ISO 9001:2000.

VALLAIR

Produtos e soluções desenvolvidos para que as indústrias possam dar fim a sérios problemas relacionados com fluidos de alta viscosidade, alto teor de sólidos em suspensão e fluidos com várias fases, constituem o foco da atuação dessa empresa que divulgou as linhas de bombas de duplo diafragma com acionamento pneumático, bombas dosadoras de alta precisão, equipamentos para controle de PH, condutividade e oxi-redução, bombas peristálticas de alta precisão de dosagem, filtros reguladores de alta precisão e transdutores I/P , P/I, e E/P, bem como cilindros pneumáticos, além válvulas de diafragma do tipo angular, reta e de retenção, com acionamento manual, pneumático e eletrônico, revestidas com materiais como teflon ou vidro, bem como válvulas de guilhotina, utilizadas em mineração e saneamento.

Química e Derivados: Feira: Protótipo de acoplamento da Voith. ©QD Foto - Cuca Jorge
Protótipo de acoplamento da Voith.

VOITH

Um exemplar em miniatura da linha de acoplamentos hidrodinâmicos ou turbo acoplamentos a água foi exibido ao público. Concebidos para transmitir potência de forma gradativa por meio da força dinâmica de fluidos em circulação dentro do acoplamento, esses equipamentos são aplicados a sistemas mecânicos, moinhos, transportadores de correia, elevadores de caneca, ventiladores, centrífugas, picadores, desfibradores, britadores, trazendo a vantagem de utilização de água, ao invés de óleos, em estrito cumprimento às normas ambientais. Isento de vibrações quando corretamente dimensionados, esses equipamentos promovem aceleração suave de grandes inércias, empregando motores com rotor em curto-circuito, partida e aceleração do motor sem carga, operando em faixas de potência de 50 kW a 1.100 kW.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.