Fispal Tecnologia – Feira gera negócios de R$ 4,8 bilhões –

Química e Derivados: Fispal: Emblistadeira Bosch produz até 400 blisters s. ©QD Foto - Cuca Jorge
Emblistadeira Bosch produz até 400 blisters.

Representada pela divisão de sistemas de empacotamento, a norte-americana 3M apresentou seus mais recentes lançamentos no segmento de sistemas de identificação e de fechamento de caixas: a impressora de mesa Print & Apply PA 2000 LC e a fechadora automática TB 1452 TF. A primeira, segundo Walter Bragatto, profissional de marketing da divisão de sistemas de empacotamento, representa uma solução de baixo custo voltada para o mercado brasileiro e vem equipada com sistema de impressão por termo-transferência.

Durante o evento, a impressora operou com etiquetas 3M de polipropileno biorientado (BOPP) identificando caixas transportadas por esteira provenientes do estande da Packintec, parceira da 3M na feira.

A outra novidade da 3M foi a fechadora automática TB 1452 TF, um equipamento aplicador de fita adesiva para caixas “tampa e fundo” específicas para o mercado frigorífico.

Química e Derivados: Fispal: Transferência integrada para a encartuchadeira é nova, diz Röpke. ©QD Foto - Cuca Jorge
Transferência integrada para a encartuchadeira é nova, diz Röpke.

Também do grupo alemão Bosch, a Robert Bosch apresentou a emblistadeira Servac P4, com selagem com placas em movimento contínuo, desenvolvida pela equipe brasileira da empresa com apoio tecnológico da matriz alemã.

O diferencial da máquina, além da selagem contínua e com placas, segundo o gerente técnico industrial Alexander Röpke, é a transferência integrada para a encartuchadeira, que permite velocidades de até 400 blisters por segundo. “Não há concorrentes nacionais capazes de atingirem essa velocidade”, garante Röpke.

No estande da Lonigo, empresa de Mogi das Cruzes-SP especializada em sistemas de pesagem, ensaque e moagem de cereais, foram duas as principais atrações. A fabricante expôs uma tarara distribuidora com menor consumo de energia, possibilitado por uma nova forma construtiva. O equipamento possui um alimentador capaz de otimizar a distribuição de cereal em toda a largura da máquina, de modo que o fluxo de ar necessário para realizar a operação é menor. De acordo com as informações do projetista Djalma de Faria, o equipamento possibilita a diminuição do custo relacionado à utilização de ar, permitindo aumentar a capacidade de limpeza sem aumentar a demanda por ventiladores.

Química e Derivados: Fispal: Desintegrador pode produzir até 4.000 kg h de cremes. ©QD Foto - Cuca Jorge
Desintegrador pode produzir até 4.000 kg h de cremes.

Outro produto exposto foi um filtro de mangas com exclusivo sistema de engate. O equipamento pode ser facilmente desconectado com um pequeno giro na gaiola da manga, cuja seção quadrada favorece o desprendimento de produto e torna a superfície da manga mais limpa. O equipamento opera com sistema de limpeza por pulsos de jatos de ar, e o corpo do filtro pode ser bipartido, com fundo plano ou cônico de acordo com as exigências da aplicação.

A Tropical Food Machinery, de Pouso Alegre-MG, dedica-se a industrializar frutas tropicais e apresentou um novo desintegrador de resíduos. O equipamento, com capacidade de produção de 4.000 kg/h, pode ser utilizado, por exemplo, em combinação com uma máquina refinadora de tomate.

O desintegrador recebe os resíduos provenientes da refinadora e promove sua desintegração, transformando-os em um creme homogêneo composto por partículas muito finas. Esse material pode ser então reutilizado na produção de molhos, ou em outros produtos. A desintegração é realizada por um rotor girando em alta velocidade, que centrifuga o produto e submete-o a uma ação de cisalhamento entre as facas e o estator, ambos construídos em aço inoxidável temperado.

Química e Derivados: Fispal: Embaladora combina robustez a preço atrativo, segundo Ruiz. ©QD Foto - Cuca Jorge
Embaladora combina robustez a preço atrativo, segundo Ruiz.

A Swisspack, que, apesar do nome, é uma empresa brasileira, também apostou na produção nacional como diferencial de custo, e expôs a linha de embaladoras flowpack de macarrão instantâneo. Segundo o colaborador Antônio Carlos Ruiz, a máquina se destaca pela tecnologia de ponta aliada à robustez e ao preço atrativo.

De acordo com Ruiz, as embaladoras flowpack se encaixam em três nichos: as máquinas para pequenas produções, robustas mas sem grande avanços tecnológicos; os equipamentos com maior nível tecnológico, mas com durabilidade questionável; e as máquinas com tecnologia de alto nível e robustez, com capacidade de produção contínua durante 24 horas. Nesse último segmento, as máquinas da Swisspack se destacam, segundo ele, pois são fabricadas no Brasil, com tecnologia desenvolvida pela empresa, e equiparável ao que há de melhor no segmento.

A divisão Behn da Haver & Boecker também apresentou novidades na feira, entre elas o sistema de selagem de sacos valvulados por ultra-som com capacidade para até 300 sacos/hora. O sistema se adequa a vários tipos de produtos, e permite sacos limpos e totalmente selados que podem ser expostos sem risco de contaminação do produto ou sujeira do ambiente. Também favorece instalações compactas e isentas de pó, uma característica desejável quando se manejam produtos pulverizados. A estação de selagem pode ser integrada à ensacadeira, e as ensacadeiras existentes podem ser facilmente ajustadas para o sistema.

Química e Derivados: Fispal: Otaviani crê no sucesso do PEAD. ©QD Foto - Cuca Jorge
Otaviani crê no sucesso do PEAD.

A divisão Behn também destacou as diversas soluções de sistemas de ensacagem, entre elas ensacadeiras pneumáticas, ensacadeiras por rosca, ensacadeiras por gravidade e por turbina, e estações de enchimento de big bags.

Aposta no plástico – Primeira empresa instalada no Brasil a produzir racks metálicos, a Longa Industrial, de Osasco-SP, inovou mais uma vez lançando racks de plástico. “As prateleiras de plástico foram desenvolvidas para substituir prateleiras de madeira e ferro. No caso de laticínios, por exemplo, pode haver problemas com ferrugem”, explicou Rafael Otaviani, gerente geral da Longa. Segundo ele, a presença na Fispal 2004 e as consultas então realizadas confirmaram as expectativas da empresa, de que o lançamento tem potencial para substituir produtos concorrentes em material metálico.

Para confirmar a aposta no plástico, a Longa também expôs outra novidade – pallets de polietileno de alta densidade. Entre as vantagens do produto, destaca-se o volume 75% menor dos pallets quando empilhados, em relação aos concorrentes, possibilitado por pés de apoio ocos e cônicos que permitem o encaixe das peças. Os pallets possuem capacidade de carga de 1.400 kg (carga dinâmica) ou 2.600 kg (carga estática distribuída).

Página anterior 1 2 3 4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios