Tecnologia Ambiental

13 de março de 2000

Tratamento de Efluentes: Siderurgia investe em ambiente

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Exportando cada vez mais, a indústria siderúrgica tem sido responsável por grande parte das vendas dos fornecedores de sistemas para controle ambiental. Em expansão depois de privatizadas, essas companhias estão sendo cobradas pelos órgãos ambientais, que condicionam a concessão de “habite-se” para obras de ampliação ao total enquadramento nos padrões limpos de produção.

    Química e Derivados, Tarabini: vendas em controle atmosférico

    Tarabini: vendas em controle atmosférico

    Há várias concorrências já concluídas e outras em andamento para fornecimentos de estações de tratamento de efluentes, para sistemas biológicos de coqueria e para contenção de poluição atmosférica, em indústrias como Usiminas-Cosipa, CSN, Açominas e Acesita. Na Usiminas-Cosipa, de Cubatão-SP, por exemplo, há uma concorrência de US$ 18 milhões para a coqueria no qual disputam três consórcios: Enfil/RAG, US Filter/Advent e Thyssen. Só uma obra na Companhia Siderúrgica Nacional envolverá US$ 100 milhões.

    Só para se ter uma idéia da importância desse mercado, a Enfil, especializada em despoluição atmosférica, ao contrário de quase todo o setor, que teve em 1999 um ano estagnado, bateu seu recorde de negócios, faturando R$ 38 milhões no fornecimento de sistemas de despoeiramento. “Em 5 anos de empresa, foi o nosso melhor desempenho”, diz o diretor da Enfil, Franco Tarabini. Além de uma instalação na indústria de papel e celulose VCP, os responsáveis pelo sucesso foram CSN e Companhia Vale do Rio Doce.

    Na CSN foi instalado nos canais de corrida do alto forno 2 um processo da japonesa Nippon Steel que se utiliza de exaustores e filtros de manga para o despoeiramento. Entre vários sistemas, a Enfil também se utiliza de precipitadores pressostáticos para retirar as impurezas atmosféricas por meio de placas com corrente elétrica.

    Química e Derivados, Obras são para conseguir habite-se

    Obras são para conseguir habite-se

    Outra empresa fornecendo bastante para siderurgia é a Baker Hughes, multinacional americana com escritório em São Paulo. Fabricante, entre outros equipamentos, de clarificadores e filtros robustos para efluentes, a empresa, segundo o gerente de vendas, Mauro Oliveira, neste primeiro ano de atuação (ver QD-369) conseguiu se manter com o mercado siderúrgico. “Química e petroquímica, ao contrário, não compraram nada”, diz.

    O gerente da área de siderurgia da Baker, Armindo Gomes, cita como fornecimentos interessantes clarificadores e filtros de áreia e vácuo para a Cosipa e filtros para lavagem de gases na CST. “Já que também atuamos na área de processo e por sermos especializados em equipamentos para operações agressivas, a siderurgia, a mineração e papel e celulose são grandes clientes”, diz. Bom ressaltar que a Baker normalmente fornece para as empresas de engenharia e não para os clientes finais.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *