Logística Transporte e Embalagens

14 de setembro de 2002

Transporte químico: Logística leva clientes ao transporte Intermodal

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados: Transporte: Linha da MRS - vários projetos com a química.

    Linha da MRS – vários projetos com a química.

    O

    transporte intermodal começa a ser mais aproveitado no país, principalmente com a modernização de ramais ferroviários importantes, que facilitaram operações integradas com os caminhões. A tendência é uma das armas para atender a demanda Da indústria por redução de custos logísticos.

    O transporte de produtos químicos começa a entrar em um período de mudança estrutural. Para atender a demanda por redução de custo operacional dos clientes, os operadores estão “vestindo a camisa” do transporte intermodal, conceito que integra e aproveita as melhores opções de movimentação de cargas, entre caminhão, trem e navio. Embora o modal rodoviário ainda seja predominante, a redução do custo portuário, no caso do sistema hidroviário, e os investimentos das concessionárias privadas para modernizar as ferrovias brasileiras têm estimulado a interligação dos transportes.

    A tendência intermodal atende a uma evolução mais ampla do mercado. A busca por opções integradas, mais ágeis e baratas, é a solução encontrada pelas transportadoras para fazer cumprir seu cada vez mais novo papel na cadeia industrial. Sob pressão dos diversos setores, inclusive o químico e petroquímico, as transportadoras estão se transformando em operadores logísticos, na acepção correta do termo. Isto é: além do simples transporte ganharam novas responsabilidades, como por exemplo entamboramento de cargas, controle de estoque, armazenagem e entrega do produto transformado em pontos de consumo.

    Essa dinâmica do mercado, que transfere em cascata a necessidade de redução de custos para os fornecedores, fez não só o setor de transportes se reestruturar como buscar os modais ferroviário e de cabotagem para combater o alto frete do rodoviário, sobretudo na longa distância. Casos de intermodalidade passaram a se repetir com freqüência e devem tornar-se prática mais comum nos próximos anos.

    Química e Derivados: Transporte: transporte01.Numa primeira fase, a tendência ocorre em empresas de transporte responsáveis por cargas de clientes de grande porte. São normalmente transportadoras que acompanharam a evolução do setor químico e petroquímico no Brasil, respondendo ao longo dos anos pelas novas demandas de modernização. Encontram-se exemplos de operações logísticas e de aproveitamento de intermodalidade em companhias como Gafor Transportes, Ultracargo, ALL-Delara, MRS Logística, só para ficar nas mais conhecidas.

    No cliente do cliente – Na Gafor, de São Paulo, há experiências interessantes no ramo. Para a Rhodia, a empresa gerencia a logística completa da resina PET, desde o desembarque por navio da matéria-prima para-xileno em Santos-SP, vindo da Bahia ou via importação. No porto, caminhões da Gafor levam a carga até Paulínia para, no site da Rhodia, ser processada em ácido tereftálico (PTA).

    Química e Derivados: Transporte: Terminal Tequimar em Paulínia - trem vem de Camaçari.

    Terminal Tequimar em Paulínia – trem vem de Camaçari.

    Daí o intermediário segue para a RhodiaSter, em Poços de Caldas-MG, onde é feita a reação com monoetileno glicol (MEG), também trazido de Santos pela transportadora, para a obtenção do etileno-tereftalato e sua polimerização final. A logística prossegue pelo transporte do PET, em carretas de granel sólido, para vários clientes transformadores de porte, equipados com silos instalados pela própria operadora logística.

    Outro exemplo acontece na mesma rota do para-xileno. Além desse suprimento de matéria-prima via Porto de Santos, para a Rhodia, o grupo Ultra gerencia o terminal ferroviário Tequimar, em Paulínia-SP, que recebe o insumo aromático da Copene, da Bahia, via linha da concessionária FCA, e o direciona à Rhodia por caminhões da Ultracargo, transportadora do grupo. Contando ainda com outros insumos armazenados, o fluxo do terminal é de cerca de 25 mil t/mês.

    Química e Derivados: Transporte: Aymard - responsável até o cliente do cliente.

    Aymard – responsável até o cliente do cliente.

    Ainda na filosofia de se responsabilizar pelo “cliente do cliente”, como no caso do PET, a Gafor, de acordo com o seu gerente comercial, Phillipe Aymard, também firmou contrato com a Exxon. Em seu terminal no bairro do Jaraguá, em São Paulo, a transportadora embala solventes da Exxon em tambores, armazena, controla o estoque e entrega o produto para clientes diversos. “Adequamos nosso serviço a uma demanda das empresas de cortar custos”, afirmou Aymard.

    Para o gerente, aliás, a tendência crescente é seus outros clientes, a maior parte deles grandes indústrias, aderirem à logística. Não por coincidência, o setor químico lidera essa nova onda na empresa, visto que cerca de 60% do seu faturamento de R$ 130 milhões vem dessas indústrias. Outro exemplo de operação logística intermodal para a química, feito pela Gafor, envolve a Basf. Em cooperação com a MRS Logística, concessionária responsável pela operação de boa parte da malha ferroviária da região Sudeste, a Gafor gerencia para o grupo alemão uma operação ferroviária que interliga seu complexo industrial de Guaratinguetá com o Porto de Santos.

    Química e Derivados: Transporte: transporte02.Para o site multipropósito da Basf naquela cidade do interior paulista, vários insumos químicos deixaram de vir de caminhão do porto e passaram a ser transportados pelos trens da MRS, em uma rede recuperada recentemente. Trata-se de trajeto aproximado de 250 quilômetros. Com custo total empatado com o antigo transporte totalmente rodoviário, a opção da Basf nesse caso levou mais em conta o aspecto segurança, tanto no caso dos acidentes na estrada como em roubo de cargas, segundo afirmou Phillipe Aymard.

    Apesar de a operação principal Guará-Santos ser por trem, ainda conta com a movimentação de cargas por caminhões dentro do porto e no complexo da Basf, onde se situa o terminal, para direcionar os produtos às várias unidades fabris.


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next