Tintas e Revestimentos

20 de junho de 2004

Tintas: Laboratório apóia avanço de sistema tintométricos

Mais artigos por »
Publicado por: Renata Pachione
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A fim de atender às necessidades do mercado sul-americano de tintas decorativas e industriais, o grupo alemão Degussa inaugurou o laboratório de colorantes, Colorants Service Lab, em seu parque industrial, localizado em Americana, SP.

    Química e Derivados: Tintas: Pinheiro - fórmulas adequadas à região. ©QD Foto - Divulgação

    Pinheiro – fórmulas adequadas à região.

    Indicado para suprir a demanda dos sistemas tintométricos, o empreendimento absorveu investimento de US$ 400 mil. De acordo com o gerente de produtos da unidade Tintas e Resinas para a América do Sul Gilmar Pinheiro, a idéia é oferecer soluções mais adequadas à região. “Trata-se de um laboratório para prover serviços, de acordo com a realidade local”, explicou.

    O laboratório foi equipado para realizar testes de estabilidade acelerada, certificação e padronização de bases, além de ensaios de compatibilidade entre sistemas, consultoria em formulações e desenvolvimento, e também ajuste de cores, entre outros serviços. Para o químico responsável pelo laboratório Jadel Baptista Filho, o principal diferencial é a tecnologia envolvida na execução das formulações. “São os equipamentos mais novos do mercado”, ressaltou. No Colorants Service Lab destacam-se o espectrofotômetro data color SF 600X, a cabine de luz e de pintura portátil, além dos misturadores automáticos, máquinas tintométricas, mini cowles, Karl Fisher e glossmeter.

    Para Pinheiro, o empreendimento oferece ao cliente, no caso, sobretudo os fabricantes de tintas, produtos sob encomenda. “Podemos fazer formulações adequadas às necessidades da região”, afirmou. Antes este serviço era realizado no laboratório central do grupo, nos EUA. O lançamento também vem ao encontro de uma demanda crescente. Na opinião de Pinheiro, o mercado de colorantes avança cerca de 10% ao ano, índice este capaz de embasar próximos investimentos da Degussa, como o de construir uma fábrica de colorantes na planta de Americana.

    O grupo alemão atua no mercado brasileiro desde 1953 e está organizado em 21 Unidades de Negócios, respondendo pelas divisões: Química para Construção, Química Fina & Industrial, Química de Performance, Tintas & Resinas, e Polímeros Especiais, além de seis unidades de serviços. Entre as linhas Degussa, o destaque fica por conta do sistema tintométrico Colortrend e do mais recente lançamento da marca, a Decotrend, específica para produtos econômicos.

    Química e Derivados: Tintas: Laboratório absorveu investimento de US$ 450 mil. ©QD Foto - Divulgação

    Laboratório absorveu investimento de US$ 450 mil.

    Sistemas Tintométricos – Levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (Abrafati) dá conta de 10 mil máquinas para sistemas tintométricos em uso no País. O modelo chegou ao Brasil, em 1992, por iniciativa da Tintas Coral, empresa do grupo britânico ICP Paints. Baseado na possibilidade de aplicar a cor à tinta no próprio ponto-de-venda, o conceito surgiu, como um complemento às tintas prontas, e também um substituto da mistura manual, realizada com o uso de bisnagas.

    Independente do modelo da máquina, o método funciona assim: o consumidor escolhe a cor, em um catálogo; em seguida, o revendedor digita na tela do equipamento as informações sobre o produto, como base, cor e tamanho da embalagem, para logo a seguir, colocar a tinta na máquina. Esta, por sua vez, vai dosar e agitar a massa, por alguns minutos, até a finalização do produto.

    Em geral, as máquinas operam com três a quatro bases (a diferença entre elas se dá por conta do teor de dióxido de titânio) e com 12 a 16 colorantes –também conhecidos como concentrados de pigmento. A partir daí, as combinações são as mais variadas. De acordo com o assessor técnico da Abrafati Jorge Fazenda, os colorantes são compatíveis com produtos à base de água ou à base de solvente, ampliando ainda mais a oferta de formulações.

    Entre as vantagens do sistema, figuram a extensa quantidade de cores, mas, sobretudo, a reprodutibilidade das mesmas. Outro benefício refere-se à possibilidade do revendedor trabalhar com estoques reduzidos, pois não precisa armazenar grande volume de tintas prontas na loja. Na opinião do gerente de marketing da Tintas Coral Dennis Campeás, responsável pelo lançamento do projeto na América do Sul, o sistema tintométrico também age como forte ferramenta de marketing, pois, a partir de sua implantação, o lojista pôde melhorar a ambientação do ponto-de-venda, aumentando a freqüência dos consumidores. “As lojas passaram a atrair arquitetos, decoradores e até donas de casa”, comentou.

    Química e Derivados: Tintas: Campéas - Sistema para a lojas de tintas. ©QD Foto - Divulgação

    Campéas – Sistema para a lojas de tintas.

    Inovações – O carro-chefe da Tintas Coral, o sistema tintométrico Language of Colors, permite a criação de mais de 6 mil cores. O equipamento trata-se da mais nova geração do Coral Color Service, sistema lançado pela empresa, no início dos anos 90. Recentemente, o grupo apresentou ao mercado brasileiro o Colour Futures – Tendência Internacional de Cores.

    Esse acessório é um manual de referência ao consumidor, pois seleciona entre as tonalidades disponíveis no Language of Colors, uma coleção de 95 cores, consideradas por especialistas internacionais, como as principais tendências do mercado. “É uma ferramenta que ajuda o consumidor na escolha da cor”, disse a gerente de produto de sistema tintométrico da Tintas Coral Fernanda Figueiredo. A cada ano, as sugestões do Colour Futures se renovam.

    Outro diferencial da empresa refere-se ao espectrofotômetro Minolta, lançado em 1996. Trata-se de um aparelho capaz de ler e reproduzir a cor de amostras retiradas de substratos, como papel, madeira, alvenaria, tecido e plástico. “O equipamento produz a tinta de maneira personalizada. Se o cliente quiser a parede da mesma cor do sofá, por exemplo, é possível reproduzir”, explicou Campeás. A Tintas Coral produz cerca de 1.500 itens, num total de 150 milhões de litros/ano. De acordo com Campeás, das vendas totais da empresa, o sistema tintométrico responde por 20%.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *