Tintas e Revestimentos

24 de novembro de 2003

Tintas: Indústrias químicas reforçam programa de qualidade

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Treze fornecedores de matérias-primas – Basf, Bayer, Ciba, Clariant, Cognis, Degussa, Dow Química, DuPont, Millennium, Miracema, Oxiteno, Rhodia e Rohm and Haas – são os mais novos integrantes da comissão de combate à não-conformidade de tintas imobiliárias produzidas no País. Constituída junto ao Programa Setorial de Melhoria da Qualidade da Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), essa comissão participa de reuniões na sede da Associação, em São Paulo, com o intuito de colaborar para que os fabricantes de tintas assegurem ao consumidor final produtos de qualidade.

    Até a entrada dos treze, dez fabricantes de tintas participavam do programa – Akzo Nobel, Basf, Cortex, Eucatex, Renner Sayerlack, Sherwin-Willians, Sunshine, Tintas Coral, Universo e Killing.

    Química e Derivados: Tintas: Ferreira - programa garante satisfação do consumidor.

    Ferreira – programa garante satisfação do consumidor.

    Entre as providências adotadas, já foram analisadas amostras de tintas látex econômicas produzidas por 24 fabricantes de tintas imobiliárias. Coletadas em revendas de todo o País, essas amostras foram ensaiadas quanto ao poder de cobertura nos estados seco e úmido e de resistência à abrasão. As coletas ficaram sob a responsabilidade da Tesis Engenharia, órgão de gestão técnica, promotor de auditorias e inspeções, que descaracterizou a procedência das amostras e as enviou ao laboratório de ensaios do Senai Mário Amato, em São Paulo.

    Além desses ensaios, as informações contidas nas embalagens também são submetidas à avaliação, verificando-se a existência de instruções para o consumidor, como relativas à diluição ou a designação “pronta para uso”, bem como orientações para o preparo da superfície a ser pintada, datas de fabricação e validade, condições de armazenagem, entre outras.

    Na primeira fase do programa, serão identificadas e divulgadas apenas as empresas que produzem tintas imobiliárias em conformidade. Mas, após a aprovação das normas da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, a Abrafati passará a divulgar quais são os fabricantes que produzem tintas com qualidade inferior.

    Até o momento, duas normas técnicas foram aprovadas pela ABNT. Uma delas, a NBR 14942, determina qual deve ser o poder de cobertura da tinta em estado seco. A outra, a NBR 14943, estabelece o mesmo em relação à tinta úmida.

    Numa próxima fase, esmalte sintético, tintas a óleo e massa corrida também serão alvo das avaliações. “A proposta maior é atender às expectativas dos consumidores, melhorando o nível de qualidade das tintas imobiliárias no mercado brasileiro, por meio da eliminação da não-conformidade intencional, mas o programa será aplicado de forma gradual, visando oferecer oportunidade para que os fabricantes possam alcançar os níveis de qualidade estabelecidos”, afirmou o presidente executivo da Abrafati, Dilson Ferreira. O programa de melhoria da qualidade de tintas imobiliárias integra o Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat, do Ministério das Cidades.

    Exigências dos ensaios – O desempenho das tintas é verificado por intermédio de três ensaios. O ensaio pelo qual se mede o poder de cobertura de uma película de tinta seca leva em conta a área máxima aplicada (m²) por unidade de volume (L), devendo ser apresentada razão de contraste de 98,5%, enquanto o poder de cobertura deve apresentar no mínimo 4,0m²/L. Já no ensaio que mede o poder de cobertura da tinta úmida, a película deve apresentar a razão de contraste de no mínimo 55%. No ensaio de resistência à abrasão úmida e sem pasta abrasiva, mede-se a capacidade da película de tinta em resistir à ação de uma escova em presença de solução de detergente simples, devndo a película de tinta resistir no mínimo a cem ciclos.

    Já os conteúdos exigidos nas embalagens de tintas, galão ou lata, fabricados em material plástico ou metálico, devem conter informações legíveis identificando nome do fabricante e marca do produto, especificação de quantidade, data de fabricação, prazo de validade, composição básica, condições de armazenamento, instruções de diluição ou a designação “pronta para uso”, além de instruções de preparo da superfície e para a execução da pintura, envolvendo condições ambientais adequadas (umidade e temperatura do ar, condições de iluminação e ventilação), intervalo entre demãos, tempo de secagem e cuidados a tomar.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *