Petróleo & Energia

19 de outubro de 2012

Sistema completo inclui pré-tratamento

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A unidade de remoção de sulfato, com as membranas de na­nofiltração, na verdade, constitui um sistema com algumas etapas de preparação da água do mar. Ao entrar na unidade, a água do mar é inicialmente filtrada por filtros grossos (filtro tipo cesto), nos quais o material orgânico e as partículas até 80 mícrons são retidas. Posteriormente, a água passa por filtros finos (cartuchos), onde ocorre um polimento da água a 5 mícrons. Uma bomba centrífuga de alta pressão é usada para transportar a água do mar através das membranas de nanofiltração para remoção de sulfato.

    Química e Derivados, Claudia Boechat, Gerente de tecnologia da Aker Solutions, Petróleo

    Claudia Boechat: unidade de água de injeção também demanda químicos

    Segundo explica Claudia Boechat, gerente de tecnologia da Aker Solutions, uma das empresas de engenharia capacitadas a construir essas unidades, o sistema de filtração das membranas é composto de dois estágios, para um maior aproveitamento da quantidade de água. “Consideramos que, da vazão total de água do mar na entrada nas membranas, 75% sai especificado no teor de sulfato desejado e será usado para a injeção nos poços, enquanto que 25% será descartado para o mar”, disse Claudia. Tendo especificado a água com relação ao teor de sulfato e ao teor de sólidos, a água do mar é direcionada para a injeção.

    Também faz parte da unidade de remoção de sulfato o sistema de limpeza das membranas, conhecido como CIP (cleaning in place). Esse sistema é especificado para limpeza das membranas com solução básica e ácida, removendo depósitos orgânicos e inorgânicos decorrentes da operação normal da unidade. Ele é composto de um tanque com aquecedor embutido para preparo das soluções químicas, bomba e filtro fino para recircular a solução preparada no tanque pelas membranas.

    O sistema de injeção de água é composto ainda de uma coluna desaeradora, que recebe a água tratada da unidade de remoção de sulfato, e reduz o teor de oxigênio dissolvido na água para valores menores que dez ppb (partes por bilhões). Após o teor de oxigênio ser reduzido, a água está pronta para a injeção nos poços. Para a injeção da água nos poços, a pressão necessária é alcançada por meio de uma bomba centrífuga de múltiplos estágios que eleva a pressão até 250 bar.

    Ainda de acordo com a técnica da Aker, para que o sistema de tratamento de água para injeção funcione plenamente, é neces­sária a injeção de produtos químicos para prevenir o crescimento biológico, incrustações, depósito de material nas membranas e equipamentos, redução do teor de oxigênio da água do mar e remoção de cloro residual. “Por isso, uma unidade de injeção de químicos é especificada para atender às necessidades do sistema, com vasos, bombas dosadoras e sistema de controle dedicado para cada produto químico.”

    Três produtos químicos são injetados: biocida, inibidor de incrustação e sequestrante de cloro e oxigênio. O biocida reduz o crescimento biológico e deve ser aplicado entre a filtração grossa e a fina e a montante da torre desaeradora. O inibidor de incrustação inibe o depósito de sólidos nas membranas e deve ser injetado antes das bombas centrífugas de alta pressão. Já o sequestrante de cloro e de oxigênio é o mesmo produto químico usado para remoção de cloro livre da água do mar, pois a pre­sença desse elemento danifica irreversivelmente as membranas e, no caso do oxigênio, ajuda a garantir o processo da coluna desaeradora, assegurando a redução do teor de oxigênio na água do mar para o nível necessário de dez ppb.

     



    Compartilhe esta página







      2 Comentários


      1. Mario Canedo Medeiros

        Um esclarecimento: a unidade desaeradora deve estar antes ou após a unidade de extração de sulfato ou deverão existir as duas. Isto ficou um pouco confuso nas exposições acima. No trabalho que participei, ficava antes da unidade de extração de sulfato,e não existia outra unidade após a extração de sulfato.


      2. Mario Canedo Medeiros

        Esclarecedor e bem desenvido técnicamente



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next