Tecnologia Ambiental

25 de abril de 2003

Separadores: Sistema permite o reuso de água em indústrias

Mais artigos por »
Publicado por: Fernando C. de Castro
+(reset)-
Compartilhe esta página

    U

    m grupo de engenheiros de Minas e Energia está desenvolvendo, em Porto Alegre-RS, um sistema para a reutilização de água para lavagem de superfícies contaminadas por óleo. Trata-se do Aquaflot, baseado na aplicação de processos físico-químicos de separação sólido-líquido com o objetivo promover a remoção das partículas em suspensão. Segundo Jailton da Rosa, um dos projetistas do equipamento, de uma forma geral a operação começa pela coleta da água por meio de piso adequado, canaletas e tanque de separação de sólidos grosseiros.

    Química e Derivados: Separadores: Da Rosa - vantagem econômica incentiva empresas a adotar reuso de água.

    Da Rosa – vantagem econômica incentiva empresas a adotar reuso de água.

    Em seguida o efluente é bombeado para uma etapa de floculação-flotação, onde as partículas finas em suspensão, juntamente com floculante e ar comprimido injetado em linha, são aglomeradas em flocos, formando o que se denomina floco aerado. Conforme da Rosa, a etapa final é a flotação em si, em que os flocos aerados são separados por diferença de densidade, resultando numa espuma sobrenadante, automaticamente raspada da superfície do tanque. Na seqüência, a água clarificada é removida no fundo do tanque e direcionada novamente ao sistema de lavagem. As partículas sólidas, então, são retiradas do sistema pelos raspadores. Após sofrerem um processo de redução do teor de água, são encaminhadas para um aproveitamento adequado.

    O Aquaflot inicialmente destinava-se às aplicações em empresas de transporte coletivo, transportadoras, empresas de aviação e postos de lavagem de automóveis. Contudo, uma mineradora de Siderópolis, na Grande Florianópolis-SC, está testando o processo para lavar a borra de carvão que se origina das chuvas. O objetivo é impedir que a água contaminada pelo mineral atinja os rios e mananciais daquela região.

    De acordo com da Rosa, o mercado atual está sendo ditado pelo custo que o insumo água representa no processo do usuário final, ou por sua escassez. Ele argumenta que, em algumas localidades, o custo de um metro cúbico de água está sendo taxado em até R$ 7,00, enquanto o custo do mesmo metro cúbico tratado pelo sistema Aquaflot fica abaixo de R$ 1,00. Em outras regiões, o fator que determina a atratividade do sistema é a pouca disponibilidade de água, seja por condições de carência sazonal, seja por deficiência do sistema de abastecimento. “Notamos que a preocupação no atendimento da legislação ambiental ainda não é um fator determinante na decisão da implantação de um sistema de reuso, ou seja, o que mais sensibiliza ainda é o peso no bolso do empresário”, assinala da Rosa.

    Química e Derivados: Separadores: Aquaflot separa óleo da água com baixo custo.

    Aquaflot separa óleo da água com baixo custo.

    Para Roberto Beal, parceiro de Jailton no desenvolvimento do Aquaflot, o aumento da preocupação com o meio ambiente, em especial, com o uso dos recursos hídricos, resultou na valorização da água potável como bem de consumo. Ele adverte, que os órgãos ambientais têm aplicado a legislação com maior rigor e, ao mesmo tempo, a tarifa da água potável vem sofrendo aumentos progressivos, especialmente para os consumidores de maiores quantidades.

    Em nível internacional, destaca Beal, a principal tendência nas empresas e indústrias é a implementação de sistemas para a recirculação e reuso da água gerada em seus processos. Estes sistemas funcionam de maneira integrada com o processo que gera o efluente visando a redução de desperdícios. Para tanto, é necessário um processo de alta eficiência e baixo custo para o tratamento dos efluentes líquidos. Beal enfatiza que o principal resultado da implementação de sistemas eficientes de reuso de água é a redução de custos operacionais. “Ao mesmo tempo, ocorre a redução em até 98% da emissão de efluentes, de tal forma que a empresa passa a atender a legislação, reduzindo custos e beneficiando o meio ambiente”, finaliza Beal. O investimento inicial para aquisição de um sistema do gênero fica entre R$ 15 mil e R$ 40 mil.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next