Gases

14 de outubro de 2002

Segurança: Gás fluorado substitui o Halon dos extintores

Mais artigos por »
Publicado por: Fernando C. de Castro
+(reset)-
Compartilhe esta página
    A

    DuPont está introduzindo no Brasil a sua última geração de agentes extintores de incêndio para ambientes de alta tecnologia, via importação de suas unidades na América do Norte e Europa. Trata-se dos gases fluorados da linha FE, em substituição aos halogenados Halon, estes últimos abolidos em obediência ao protocolo de Montreal. Neste 24 de outubro, os novos produtos foram apresentados no Merco Fire, congresso técnico sobre tecnologias para combate a sinistros, realizado em Porto Alegre. Os agentes químicos gasosos atuam na proteção de salas de controle, equipamentos de laboratórios, aeronaves comerciais e militares, embarcações e carros blindados. Servem ainda à proteção de salas de museus em todo o mundo, onde estão expostas obras de arte valiosas.

    Química e Derivados: Segurança: Alessandra - linha FE protege bens valiosos.

    Alessandra – linha FE protege bens valiosos.

    “São aplicações para a defesa de patrimônios de altíssimos valores. Num banco o valor é a informação, se você apagar o fogo com espuma ou água, destruindo os equipamentos, o seu patrimônio principal estará perdido”, explica Alessandra Capobianco, especialista da área de combate a incêndios da DuPont. “São produtos nobres. Num prédio ou em tanques de óleo você usa água ou espuma. Se você jogar esses produtos numa rede de computadores perde o equipamento.

    Os gases extinguem o fogo sem causar qualquer dano às superfícies às quais se destinam proteger”, compara Alessandra. Ela acrescenta que esses produtos não afetam a pintura de um quadro. “Numa obra de arte, se o fogo não atingiu a tela, basta atuar na área de fogo. Se as chamas já estiverem atacando, o gás vai exterminá-las e ficarão na tela apenas os danos causados pelo fogo”, assinala.

    A pesquisa para obtenção da linha FE durou dez anos. Há mais de seis é empregada na Europa e EUA. No Brasil, a comercialização da linha de produtos dependia de um problema de patentes solucionado em maio último. A concorrência é praticamente inexistente por tratar-se de produto extremamente delicado. “Poucas empresas têm estrutura financeira para bancarem uma pesquisa de um produto tão crítico, porque se você colocá-lo num incêndio e o fogo não apagar, a reputação do fabricante ficará altamente prejudicada”, adverte a técnica da DuPont.

    A principal vantagem apontada pelo fabricante é que os agentes extintores de incêndio da linha FE não são corrosivos, não danificam as superfícies e podem ser pulverizados na presença de pessoas, sem ocorrência de intoxicação, diferentemente do gás carbônico que, embora não danifique superfícies, é altamente tóxico. Os estudos mostraram que sob efeito do FE o resfriamento das chamas ocorre pela retirada da energia de combustão, a partir do retardo da chama pela substituição de radicais livres. Além disso, os gases se expandem em ação tridimensional, aumentando a eficiência da operação, sem degradar a camada de ozônio e nem os materiais plásticos, podendo ser usados, em alguns casos na presença de pessoas, inclusive em sistemas de inundação total.

    Segundo a DuPont, a família FE de agentes extintores limpos, juntamente com fabricantes de equipamentos de supressão ao fogo, oferece uma solução total para aplicações de explosão e de inertização, sendo reconhecidos e aprovados por entidades e agências internacionais reguladoras, como agentes extintores limpos para uso em sistemas de inundação total e extintores portáteis.

    A linha de produtos é formada pelo FE 227, FE 46, FE 13 e FE 25. O FE 227 é o agente extintor limpo para substituição do Halon 1301 em aplicações de inundação total, tais como salas de processamentos de dados, de telecomunicações, salas limpas e museus. Já o FE-36 é apresentado ao mercado como “excepcional alternativa ao Halon 1211, para extintores portáteis em aplicações comerciais, industriais e militares. Pode ser utilizado em outras aplicações, tais como sistemas de inundação total também em substituição ao Halon 1301, em supressão de explosão e inertização de explosão. Além disso, atua em outros tipos de supressão de fogo, em que outros agentes químicos seriam inadequados por deixarem resíduos como nas áreas hospitalar, de aviação, centrais eletrônicas e laboratórios”.

    O FE 13 é considerado o mais seguro em ambiente ocupado por pessoas, em salas de bombas, plataformas petrolíferas, salas de equipamentos de telecomunicações. Por último, há o FE-25 desenvolvido como agente de inundação total para áreas normalmente não ocupadas, como compartimento de motores e áreas subterrâneas, atuando como elemento supressor de explosões em elevadores de grãos, interrompendo a propagação das chamas, se adequando bem para apagar o fogo nos propulsores de aeronaves, escritórios em subsolos e na armazenagem de produtos agrícolas. No Brasil o material já foi testado e aprovado pelo Inmetro, tendo como parâmetro as normas ABNT.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next