Petróleo & Energia

15 de novembro de 2009

Santos Offshore – Feira atrai interessados nos investimentos bilionários da Petrobras na Baixada Santista

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, Santos Offshore

    A

    Baixada Santista ganhou importância nesse começo de século com a descoberta de reservas gigantes de petróleo e gás natural na camada do pré-sal, comparáveis às dos países do Golfo Pérsico, região que abriga 69,3% das reservas mundiais conhecidas. A Petrobras elegeu Santos como sede operacional da exploração do pré-sal, atraindo técnicos, empresários e visitantes de várias origens para a 3ª Santos Offshore Oil & Gas Expo and Conference.

    Organizada pela AGS3 Promoções e Eventos, a exposição ocupou o Mendes Convention Center, em Santos, entre 21 e 23 de outubro, com a participação de mais de 250 expositores. Presença destacada nesta terceira edição, a Petrobras prevê investir mais de US$ 174 bilhões até 2020, nas áreas de pesquisa, exploração, produção, logística, naval, dutos, refino, petroquímica e biocombustíveis. Desse total, US$ 111,4 bilhões, segundo a companhia, deverão ser aplicados nas atividades de exploração e produção no pré-sal, sendo US$ 98,8 bilhões destinados especificamente à Bacia de Santos, além de outros US$ 12,6 bilhões para a Bacia de Campos.

    Os vários projetos em andamento prevêem contratações de sondas de perfuração, unidades de produção, arranjos submarinos, bombas, dutos, linhas flexíveis, entre muitos outros componentes e equipamentos. A estratégia da companhia voltada à exploração nas camadas pré-sal é a de padronizar os projetos de produção, abrangendo navios-plataforma FPSO, para produzir, processar, armazenar e escoar todo o óleo e o gás extraídos naquela bacia para os centros de refino e de consumo.

    A exploração de petróleo e de gás no pré-sal exige grandes esforços tecnológicos e de planejamento para reduzir custos e aumentar a eficiência e a produtividade nas plataformas, principalmente tendo em vista as complexas condições de extração, conduzidas a mais de 5 km de profundidade, e as grandes distâncias entre o continente e as áreas de exploração, que chegam a mais de 300 km.

    Química e Derivados, Quase R$ 100 bilhões serão aplicados na Bacia de Santos, Santos Offshore

    Quase R$ 100 bilhões serão aplicados na Bacia de Santos

    O primeiro poço de pré-sal da Bacia de Santos, batizado Parati, consumiu US$ 240 milhões e foi seguido de novas descobertas nos poços de Tupi e Iara. A primeira carga de petróleo extraída da camada pré-sal da Bacia de Santos, em 1º de maio de 2009, em Tupi, confirmou as previsões de pesquisadores, geólogos e geofísicos, feitas no passado, de que sob a extensa camada de sal que contorna a costa brasileira existe uma grandiosa camada de acúmulo de hidrocarbonetos.

    A Petrobras espera alcançar em 2010, nessa área, a produção de 100 mil barris diários de óleo e 5 milhões de m3 de gás. Em 2017, a produção advinda do pré-sal santista deverá ultrapassar 1 milhão de barris diários de óleo, alcançando 1,8 milhão de barris/dia em 2020.

    A ordem de grandeza das atuais descobertas tem atraído vários interesses nacionais e internacionais e propulsionado vários investimentos da companhia, que seguem em sentido ascendente. Em 2009, a empresa planeja concluir investimentos no valor de mais de US$ 35 bilhões. Em 2008, a companhia alocou na contratação de bens e serviços US$ 7 bilhões para a compra de equipamentos, químicos e acessórios. Também no ano passado, um total de US$ 25,8 bilhões foi destinado à contratação de serviços nas áreas sísmica, de perfuração e de transportes, que vieram somar-se a mais US$ 12,4 bilhões alocados na construção e renovação de plataformas e refinarias.

    Com base nos investimentos planejados, e divulgados a comunidades empresariais, a produção total de petróleo da Petrobras deverá crescer, de acordo com as últimas projeções, em 1.255 mil boed até 2013, apresentando crescimento médio anual de 8,8%.

    Os níveis de investimento programados pela companhia ocupariam, assim, patamar privilegiado, classificando-se como o segundo maior no ranking de todos os investimentos realizados no mundo no campo da pesquisa e do desenvolvimento petrolífero, suplantados apenas por investimentos programados pela Shell.

    Fronteira tecnológica – Pioneira na fabricação de trocadores de calor com ligas de aço inoxidável super duplex, material que agrega ligas austeníticas e ferríticas, altamente resistentes à corrosão e à erosão, especialmente desenvolvidas para a Petrobras, em 2006, para suprir as necessidades das explorações em plataformas mais recentes como as P-50, P-51, P-52, P-53, P-54, P-55 e P-56, todas na Bacia de Campos, a Jaraguá Equipamentos Industriais estreou na 3ª Santos Offshore com o intuito de prestigiar o evento e mostrar novos desenvolvimentos tecnológicos não só em trocadores de calor, como também em reatores, separadores de óleo e água, depuradores, geradores de vapor, aquecedores, colunas, esferas, entre outros equipamentos.


    Página 1 de 512345

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next