Tintas e Revestimentos

11 de março de 2002

Resinas: Metacrilatos entram nas tintas de altos sólidos

Mais artigos por »
Publicado por: Marcio Azevedo
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A

    Degussa quer consolidar-se como a principal fornecedora de monômeros metacrílicos para a produção de resinas com alto teor de sólidos do mercado automotivo brasileiro. Focada na produção de especialidades químicas, a líder mundial na produção e tecnologia de metacrilatos pretende ser a primeira opção para fabricantes interessados em produzir tintas com menores teores de solventes em suas formulações. Para isso, a empresa trouxe ao Brasil o especialista em aplicações técnicas de metacrílicos Werner Abraham, da Degussa AG, que realizou a palestra “Metacrilatos para Resinas de Alto Teor de Sólidos” na tarde de 15 de abril, no auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

    A penetração das formulações alto sólidos não é grande no País: os monômeros utilizados na produção dessas resinas ainda não são produzidos em larga escala e custam cerca de duas vezes mais que os produtos convencionais. Já o verniz produzido com formulações alto sólidos pode ser 20% a 30% mais caro que o verniz comum. Como, então, a Degussa planeja vender seus metacrilatos em terras tupiniquins?

    “Estes produtos não entram no mercado sem algum tipo de pressão”, explica Ralf Ahlemeyer, gerente de negócios de Tintas & Resinas da subsidiária brasileira da empresa. Normas regulando o nível de compostos orgânicos voláteis presentes em tintas obrigam produtores a criar linhas alternativas. Além disso, às empresas montadoras de veículos interessa produzir carros por processos menos prejudiciais ao meio ambiente, como forma de propaganda para atrair clientes ecologicamente engajados. “Não tenho conhecimentos profundos sobre a legislação do País, mas no Brasil a pressão vem das montadoras”, afirma Ahlemeyer.

    Os metacrilatos são resinas poliolefínicas relacionadas ao ácido metacrílico (CH2C(CH3)COOH). O metacrilato de metila é o monômero mais importante dessa família e o processo mais utilizado industrialmente na sua produção é o aquecimento de acetocianidrina com ácido sulfúrico, que produz sulfato de metacrilamida. A reação do sulfato com água e metanol produz o metacrilato de metila.

    Os metacrilatos são utilizados para a produção de resinas ditas acrílicas aplicadas na pintura e repintura automotiva. A resina é um dos componentes do clear coat, a camada do revestimento responsável por propriedades como brilho, filtragem de raios ultravioletas, resistência mecânica e resistência a intempéries.

    O uso de metacrilatos na produção de resinas para a indústria de tintas e vernizes possibilita uma fração de sólidos de até 85%; em resinas comuns esse valor usualmente não passa de 40%. O aumento da fração de sólidos da resina reduz a porcentagem de componentes voláteis presentes na fórmula do revestimento, que ao ser aplicado ao veículo libera menos componentes voláteis para o ar.

    As tintas convencionais, entretanto, são constituídas por resinas de alto peso molecular, de modo a conferir propriedades satisfatórias de formação de película. Segundo o especialista Werner Abraham, a redução pura e simples dos conteúdos voláteis acarretaria forte aumento na viscosidade da tinta, causando probelmas na aplicação. É necessário, então, reduzir-se o peso molecular das resinas.

    Essa diminuição prejudica as propriedades mecânicas do revestimento. Werner Abraham explicou que a utilização de polímeros com baixo peso molecular, mas com grupos funcionais reativos (como hidroxiésteres) contorna o inconveniente. Esses grupos podem reagir entre si, estabelecendo ligações transversais que convertem as resinas de baixo peso molecular em redes tridimensionais de alto peso molecular, com as propriedades químicas e físicas desejadas.

    Mas a introdução de polímeros com grupos laterais volumosos também provoca mudanças na viscosidade da resina em solução e no estado fundido. O problema pode ser evitado utilizando polímeros que possuam alta temperatura de transição vítrea, que produzirão uma resina com propriedades semelhantes.

    Dentre os metacrilatos para a produção de alto sólidos oferecidos pela Degussa, destacam-se o isobornilmetacrilato e o cicloexilmetacrilato. Durante a produção da resina, os monômeros proporcionam grandes reduções na viscosidade da solução, aliadas a altas temperaturas de transição vítrea.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next