Química

21 de outubro de 2008

Neutralizadores podem complementar tratamento

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página
    M

    esmo não sendo o coração de um sistema de controle de odor, mas apenas um complemento ou uma opção para problemas menores, os produtos químicos empregados para neutralização ou “encapsulamento” das moléculas responsáveis pelo mau cheiro têm nichos de mercado cujo potencial de vendas atrai novos competidores. Recentemente, pelo menos mais duas empresas passaram a comercializar no Brasil essas soluções: a Ecosorb, de São Paulo, especializada em atendimentos de emergência, e a Wastec, de São Caetano do Sul, ambas representando produtos estrangeiros.

    Química e Derivados, Produtos aspergidos podem neutralizar ou 'encapsular' odores,  Neutralizadores podem complementar tratamento

    Produtos aspergidos podem neutralizar ou 'encapsular' odores

    A Ecosorb começou em 2008 a vender no Brasil um produto norte-americano que, por coincidência, era seu homônimo, ou seja, também se chama Ecosorb, apesar de não possuir nenhum parentesco e ser de propriedade da empresa OMI. “Eles já comercializam o produto há quinze anos no mundo todo e apenas no ano passado fomos saber da sua existência”, revelou o gerente de desenvolvimento de negócios, Kleber Nascimento.

    A iniciativa partiu da necessidade da Ecosorb de contar com um produto próprio para seus clientes na área de emergências. “Muitos atendimentos que fazemos precisam de uma solução imediata para controlar o odor”, disse Nascimento. O produto, uma fórmula que reúne óleos essenciais de plantas, emulsificantes de grau alimentício e água ultrapura, tem a capacidade de aumentar em 300 vezes o poder de absorção da água. Com isso, ao ser aspergido o produto diluído, a água absorve as moléculas de odor. Quando caem no chão, as bactérias se encarregam de biodegradá-las. Segundo ele, trata-se de um encapsulamento.

    Química e Derivados, Kleber Nascimento,  gerente de desenvolvimento de negócios, Kleber Nascimento: produto Ecosorb é feito  com insumos atóxicos

    Kleber Nascimento: produto Ecosorb é feito com insumos atóxicos

    Uma vantagem do seu sistema, de acordo com Nascimento, é sua atoxicidade, o que ele sempre comprova aos seus clientes aspergindo o produto em sua boca como se fosse um antisséptico bucal. Aliás, a forma de aplicação contempla opções de alta pressão, quando a área é grande e demanda mais de 20 bicos; por baixa pressão, para áreas menores; por ventiladores; ou em água de lavadores de gases. Os sistemas de bombeamento e de bicos são montados pela Ecosorb e normalmente vendidos aos clientes. Para a diluição, a empresa recomenda água isenta de minerais e de cloro, ocasiões em que a proporção do produto pode ser minimizada. Mas, caso a água seja a de abastecimento público, não há problema: aumenta-se a concentração. A diluição média, que também se baseia no tipo do odor, é de 1:400.

    A outra nova concorrente da área, a Wastec, também representa uma empresa norte-americana, a Hinsilblon, que utiliza uma combinação de óleos essenciais e produtos etoxilados. Segundo o gerente-geral Antonio Öberg, seu neutralizador já foi nacionalizado, com base em uma fórmula com dez componentes, produzido por uma empresa terceirizada. O sistema de diluição e aplicação pressurizada (40 a 45 kgf) com bicos foi criado por sua equipe técnica, o qual normalmente é vendido para os clientes. As principais aplicações têm sido em tratamento de esgoto, para combate do odor do gás sulfídrico (H2S), na indústria agroquímica, de ração animal e em processadores de lixo hospitalar, que chegam a produzir o odor de cadaverina. “Neste último caso, instalamos nas chaminés, nas áreas das autoclaves e de recebimento”, disse.

    Química e Derivados, Antonio Öberg, gerente-geral, Neutralizadores podem complementar tratamento

    Antonio Öberg: produto também abate cadaverina de lixo hospitalar

    Para todas as aplicações, a Wastec emprega praticamente a mesma formulação (OC 915), em diluições de 1:5 a 1:200, dependendo da intensidade do odor, com preço médio de R$ 30 por quilo. Segundo Öberg, para provocar a neutralização do odor, a fórmula pode reagir de cinco formas: 1) por adsorção, na qual as moléculas odoríferas aderem às do neutralizador, passando a integrar uma molécula maior sem cheiro; 2) por absorção, quando o odor se dissolve e se torna parte de um composto, sem odor; 3) por pareamento de Zwaademaker, quando pares de moléculas, combinados no estado de vapor, cancelam o efeito de odor; 4) por combinação, quando no vapor as moléculas têm mais probabilidade de se colidirem e reagirem, formando compostos diferentes; e 5) por oxidação, íons hidróxido e oxigênio disponível no ar ionizam ou oxidam as moléculas de odor, tornando-as atóxicas, inofensivas e biodegradáveis.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next