Logística Transporte e Embalagens

27 de julho de 2003

Logística: Belgas investem em central de embalagem em Paulínia

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    O

    grupo belga Katoen Natie investiu US$ 5 milhões na construção da primeira plataforma avançada de embalagens da América Latina, em Paulínia-SP.

    O empreendimento representa uma expansão nas operações do Centro de Distribuição Multimodal já mantido pela empresa, que resulta na instalação de doze novos silos, com capacidade ampliada de estocagem de mais 2.000 toneladas de produtos a granel, e na oferta de novos serviços de embalagem, incluindo ensacamento automático, secagem, homogeneização, blendagem, etc.

    Química e Derivados: Logística: A central conta com doze silos.

    A central conta com doze silos.

    O grupo ainda pretende consolidar um megaprojeto no País, consumindo recursos da ordem de US$ 50 milhões, para construir e instalar 70.000 m2 de armazéns, 188 silos com capacidade unitária de estocagem de 340 m3, além de 30.000 m2 reservados às áreas de pátio para a movimentação de contêineres, que terão suas operações interligadas a três ramais ferroviários para embarque e desembarque de materiais.

    Com 150 anos de atuação no mundo, a Katoen Natie tem sede na Antuérpia, na Bélgica, onde controla todas as operações do maior e mais avançado centro de distribuição multimodal de resinas plásticas do mundo, dispondo de 1.000 silos e um 1.000.000 de m2 de área para armazéns dentro de um complexo que envolve área total de 130 hectares.

    Além de realizar operações portuárias de grande vulto, o grupo atua em outras áreas de negócios junto às indústrias automotivas, de química fina, bens de consumo, eletroeletrônicos, projetos de engenharia e commodities petroquímicas em 22 países.

    No Brasil, o Centro de Distribuição Multimodal de Paulínia, instalado em área total de 214.000 m2, conta hoje com 24.000 m2 de armazéns com capacidade para mais de 20.000 paletes, 24 silos de 340 m3, 30.000 m2 de pátio para contêineres, dispondo ainda de um ramal ferroviário próprio com bitola mista.

    Além da sede em Paulínia, opera filiais em Alagoas, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. É mais reconhecida nas operações on-site de 28 plataformas logísticas, como a da planta da Polibrasil, inaugurada em março último, e a plataforma programada para a Rio Polímeros, em Duque de Caxias–RJ, que deverá estar concluída em 2004.

    Na primeira fase de implantação da nova plataforma de embalagens, as atividades serão complementadas com a instalação de doze silos de 340 m3, comportando volumes de 2.000 toneladas. As indústrias petroquímicas contam não só com a armazenagem de produtos a granel, mas também com a prestação de serviços automatizados de ensacamento em embalagens de 25 quilos e big-bags, blendagem, secagem, moagem, homogeneização, separação, peneirização, adição de catalisadores, etc.

    Química e Derivados: Logística: Bravo - plano é movimentar 2 milhões de toneladas.

    Bravo – plano é movimentar 2 milhões de toneladas.

    “Hoje, temos condições de movimentar cerca de 600.000 toneladas/ano, mas pretendemos chegar a 2 milhões de toneladas/ano ao finalizar o novo projeto”, afirmou o diretor presidente da Katoen Natie do Brasil, José Henrique Bravo Alves. Para ele, o mais importante, no entanto, é oferecer ao mercado a versatilidade dos modais de transporte e de formas de embalagem, bem como serviços especiais para atender às demandas específicas dos transformadores de plásticos com respeito a produtos homogeneizados e blendados, capacitando o mercado de commodities a oferecer novas especialidades a seus clientes.

    Desde o início de suas operações em 2001, o Centro de Distribuição Multimodal da Katoen Natie atende a clientes do setor petroquímico e da transformação plástica, como Braskem, Plastipak, Ipiranga, Polibrasil, Policom, Politeno, Solvay, Rhodia, Rhodiaco, Polietilenos União, Riopol, Dow Química, entre outros. A escolha de Paulínia para abrigar a primeira plataforma de embalagens é decorrente da própria localização do Pólo Petroquímico instalado na cidade, tendo como destaque a participação da Replan e Petrobrás, entre outras grandes empresas do setor. Também contou a proximidade das principais rodovias do Estado de São Paulo e do Aeroporto Internacional de Viracopos, considerado o maior em movimentação de cargas do País.

    Ao lançar a nova plataforma de embalagens, a empresa destacou as operações da ensacadeira móvel FFS (Form Fill Seal), com capacidade para embalar 1.600 sacos de 25 quilos/hora. Dimensionada com tecnologia a vácuo e operando por sistema gravimétrico, esse novo conceito em máquina formata e enche as embalagens (sacos de 25 quilos) com pós ou grânulos, operando por sistema de pressurização de ar, que dispensa investimentos em transportes pneumáticos. “Só há quatro ensacadeiras desse tipo operando no mundo”, enfatizou Alves. “Nós estamos criando um conceito novo no Brasil, que permitirá operar com granel e embalagens fora das
    fábricas”, concluiu.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next