Máquinas e Equipamentos

14 de setembro de 2012

Inversores de Frequência – Ampliam o uso em operações industriais

Mais artigos por »
Publicado por: Antonio C. Santomauro
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, Inversores de Frequência

    D

    eslanchou o uso de inversores de frequência no Brasil: antes dedicados basicamente ao acionamento e desligamento de motores – em especial em sistemas de movimentação de cargas –, eles são agora empregados em uma gama muito vasta de aplicações industriais: bombeamento e controle de fluxos, compressão e ventilação, entre outras.

    Como principal fundamento da crescente demanda por esses equipamentos – chamados também de drives ou conversores de frequência –, aparece uma funcionalidade hoje valorizadíssima, que atende aos requisitos de sustentabilidade não apenas em sua vertente ambiental, mas também na questão financeira: sua capacidade de reduzir o consumo de energia e, em alguns casos, até mesmo reaproveitar a energia antes desperdiçada.

    Mas eles também se tornaram mais inteligentes, e hoje aliam a possibilidade de controle muito preciso das rotações a funções de programação que tanto poupam os recursos dos sistemas de automação quanto ampliam a segurança operacional.

    Conseguem, assim, constituir um mercado que, mesmo na atual pouco animadora conjuntura econômica, mantém-se em rota ascendente, e tem inúmeras possibilidades de expansão. Atentas a esse potencial de geração de negócios, as grandes transnacionais produtoras de inversores, que antes apenas os importavam, começam a produzi-los no Brasil.

    Química e Derivados, Raymond Schimitz, gerente de produto de potência da Rockwell, Inversores de Frequência

    Raymond Schimitz: produção de inversores de média e baixa tensão em Jundiaí

    A Rockwell começou a fabricação na planta inaugurada há pouco tempo no município paulista de Jundiaí (onde instalou também uma nova linha de produção de CLPs). “Ali produziremos inversores de média e de baixa tensão, cujas primeiras unidades começam a ser entregues entre setembro e outubro”, conta Raymond Schimitz, gerente de produto de potência da Rockwell.

    Por sua vez, a ABB iniciou em maio último a produção desses equipamentos na cidade de Sorocaba-SP. Lá, por enquanto, fabrica os inversores da linha ACS850, definida pela empresa com o conceito ‘all compatible’ (ou ‘compatibilidade total’). “Começamos a produção no Brasil por esses produtos porque são muito versáteis: atendem a uma demanda ampla de potências – de 0,37 kW a 560 kW –; e têm excelente conectividade com o ambiente de automação”, destaca Marcelo Palavani, gerente-geral de drives e PLC da ABB no Brasil. Segundo ele, os inversores da linha ACS850 podem ser utilizados nas mais diversas aplicações, entre elas: gruas, pontes rolantes, extrusoras, guinchos, esteiras transportadoras, bombas, exaustores e misturadores.

    A Siemens mantém no Brasil, já há alguns anos, uma linha de produção de inversores de média tensão, destinados a motores com potências muito elevadas, utilizados, por exemplo, em atividades de mineração e em algumas aplicações de óleo e gás. Mas, com equipamentos importados, essa empresa compete também no segmento da baixa tensão, com a linha Sinamics, indicada para potências entre 0,12 kW e 4,5 mil kW.


    Página 1 de 41234

    Compartilhe esta página







      Um Comentário


      1. fabio cesar weiss

        Boa noite.
        Os novos inversores da siemens e a linha dos plcs 1200 ficaram muito bom gostaria de saber como faço para trabalhar com a siemens. Tenho uma bancada em casa com inversores e plcs da siemens meu objetivo e se aperfeiçoar em automação siemens



      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next