Notícias

3 de janeiro de 2014

Instrumentação: Endress+Hauser inaugura fábrica no BR

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Fairbanks
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, Instrumentação: Endress+Hauser inaugura fábrica no BR

    A

    transnacional de origem suíça Endress+Hauser reafirmou sua confiança no mercado sul-americano de instrumentos de medição e controle de fluidos ao inaugurar, dia 8 de novembro, sua fábrica em Itatiba-SP. Fruto de investimentos de mais de € 8 milhões de recursos próprios na aquisição do imóvel, reforma e adequação das estruturas e aquisição dos equipamentos necessários, a fábrica brasileira ocupa 4,3 mil m² de um terreno de 18 mil m² de área total, capaz de abrigar ampliações futuras.

    O portfólio de produtos da Endress+Hauser compreende mais de 2 mil itens, que podem ser fornecidos em milhões de variações para atender às necessidades específicas dos clientes. A fabricação local permitirá atender a essas demandas diferenciadas com mais facilidade e rapidez.

    A fábrica de Itatiba monta medidores de nível, vazão e pressão usando componentes trazidos de suas unidades de produção globais, situadas principalmente na Suíça e na Alemanha. A empresa mantém fábricas regionais, como a brasileira, nos Estados Unidos, Índia e China, estratégia adotada para facilitar operações logísticas, reduzir riscos de variações cambiais e atender melhor os clientes internacionais, e ao mesmo tempo protegendo as linhas de produção europeias. Antes de Itatiba, a Endress+Hauser abastecia o mercado brasileiro com medidores trazidos prontos dos Estados Unidos.

    A área de medidores de vazão produz em Itatiba os tipos magnéticos, vórtices e os mássicos por efeito Coriolis. “Trazemos do exterior os componentes, mas no futuro teremos fornecedores locais para diversos itens”, comentou Gustavo Lemos, gerente geral de produção dos medidores de vazão da Endress+Hauser. Ele salienta que os produtos feitos no Brasil têm a mesma qualidade dos fabricados em todas as unidades da companhia, uma das líderes de mercado.

    Os medidores de vazão por ultrassom seguem sendo importados, porque a escala de demanda ainda é considerada baixa para justificar a produção local. “Acreditamos que poderemos iniciar a fabricação desses medidores no final de 2014”, disse Lemos.

    Química e Derivados, Behrends: fábrica local ajudará a reforçar participação na química

    Behrends: fábrica local ajudará a reforçar participação na química

    Segundo Carlos Behrends, diretor executivo da Endress+Hauser no Brasil e responsável pela área comercial, cerca de 40% do mercado da empresa no país está relacionado ao setor de alimentos e bebidas, mas as aplicações químicas ganham importância, especialmente pela implantação da fábrica de ácido acrílico e derivados da Basf, em Camaçari-BA, um de seus maiores clientes.

    A empresa não atuava no setor de óleo e gás no Brasil, mas começou a disputá-lo ao contar com produção local. “Estamos na Refinaria do Nordeste, em Pernambuco, mediante parceria com a Invensys”, comentou. Aproximadamente 40% das vendas da subsidiária local são atendidas por produtos fabricados no país, percentual que deverá subir para 70% em poucos meses. Lemos informou que a fabricação local de medidores de vazão já supre 62% dos pedidos.

    Mesmo com a importação de peças, a nacionalização dos medidores está aumentando. “Nos medidores tipo Coriolis, a nacionalização já está em 40%, e vai crescer”, disse Lemos. Ele explicou que é difícil estabelecer uma rede de fornecedores de componentes, pois as especificações são muito rígidas para que se alcance a precisão desejada. “Os tubos dos Coriolis, por exemplo, são feitos de ligas metálicas com tântalo, para que não sofram interferências indevidas das condições do ambiente”, afirmou.

    Rogério Jeronymo, gerente geral de produção de dispositivos de nível e pressão, comentou que os medidores de temperatura não estão entre as prioridades da fábrica de Itatiba e devem ser importados por mais tempo. “São produtos cuja tecnologia não é muito sofisticada e a concorrência é acirrada por aqui, então ainda não vale a pena nacionalizar”, justificou. Ele explicou que o projeto de Itatiba envolveu a participação de especialistas da companhia no Brasil, Suíça e Alemanha, com intensa troca de informações. Além disso, a equipe comercial do Brasil, comandada por Behrends, apoiou com entusiasmo a ideia de contar com produção local e abrigou em suas dependências, no bairro de Moema, na capital paulista, o time do projeto.

    Embora a cerimônia de inauguração só tenha sido realizada em novembro, a fábrica está em operação desde 29 de março, obtendo nos meses seguintes as certificações ISO 9000, ABNT e outras. “Já produzimos cerca de mil medidores de vazão e mais de três mil de pressão e nível aqui em Itatiba e atendemos 98,9% dos pedidos dentro do prazo”, comentou Lemos. “Fábrica local é exatamente para isso.”


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next