Máquinas e Equipamentos

15 de março de 2012

Filtração – Eaton investe em separadores de petróleo e membranas

Mais artigos por »
Publicado por: Gerson Trajano
+(reset)-
Compartilhe esta página

    D

    e olho no setor de petróleo, gás e produtos químicos industrializados, a Eaton, organização global de gerenciamento de energia, vai lançar este ano no Brasil um strainer – sistema de filtragem e separação – para trabalhar com petróleo no fundo do mar e o Reactogard modelo VI, equipamento destinado às operações relacionadas ao refino de óleo, com maior capacidade de limpeza e eficiência.

    Ainda em 2012 a companhia passará a fabricar membranas para filtros de processos industriais – atualmente a produção é terceirizada. “Isso vai fortalecer a divisão filtration do grupo. Com essa autonomia, vamos investir em osmose reversa e apresentar soluções inovadoras para os nossos clientes”, diz Alfredo Luz, diretor regional da Eaton Filtration para a América do Sul e Central.

    A filtração por membrana é uma técnica que utiliza uma barreira física, sob a forma de uma camada porosa ou filtro, para separar as partículas de um fluido. Estas partículas são selecionadas com base no seu tamanho e forma por meio de membranas especialmente desenhadas para determinado processo.

    Embora haja diferentes métodos de filtração por membrana (osmose reversa, nanofiltração, ultrafiltração e microfiltração), todos fazem a separação ou concentração de sólidos num líquido. A indústria de alimentos e de bebidas é uma das que mais se utiliza de filtração por membrana, e a Eaton quer conquistar espaço nesse segmento.

    No fundo do mar – A corrosão é um problema sério para a indústria offshore de petróleo e gás. Uma das novidades para este ano é um strainer com tecnologia anticorrosão que trabalha submerso. Os strainers são sistemas de filtração por cesto para a proteção de equipamentos que estejam na linha de produção, eliminando detritos do líquido que flui através de uma tubulação. “Esse aparelho vai ampliar nossa área de atuação. Com ele, poderemos atender também as plataformas em alto-mar e não apenas as refinarias e navios-tanques”, diz Luz.

    A divisão filtration anunciou também o lançamento de uma nova carcaça de filtro da série Proline 100 e um novo acessório de segurança, batizado de protetor de respingos (splash guard), feito para proteger operadores de inesperados jatos pressurizados e de descargas ocasionais.

    Projetado para filtros bags (bolsa) Flowline e Flowline II, o protetor de respingos é confeccionado com um resistente polímero. Ele é fixado à tampa da carcaça do filtro e não interfere nas substituições e na manutenção do sistema de filtragem.

    Já em relação à carcaça, a série SE dos filtros Proline 100 oferece agora um mecanismo de abertura Qic-Lock, que possibilita o acesso rápido e fácil à câmara do filtro, em menos de 30 segundos. O dispositivo é simples de operar. De pé, em posição frontal, o operador gira a alavanca da tampa e abre o filtro. Não é preciso outro movimento. “O Qic-Lock facilita o trabalho do operador, reduzindo o tempo de parada da máquina”, afirma Luz.

    Os filtros Proline 100 são fabricados com aço inoxidável 304, material 100% reciclável. A linha Proline 100 conta com modelos para acomodar quatro, seis, oito e 12 bags.

    química e derivados, cestos, bolsas, eaton

    Portfólio da Eaton inclui cestos e bolsas

    Inovações hidráulicas – Anunciado no ano passado, a empresa está trazendo definitivamente para o Brasil o dispositivo LifeSense para monitoramento das condições de mangueiras hidráulicas utilizadas principalmente na extração de petróleo e gás natural. O LifeSense foi desenvolvido após três anos de estudos e ensaios, um projeto que contou com a parceria da Purdue University e da Fundação de Pesquisa Purdue Technology Commercialization.

    “É um produto inédito no mercado brasileiro. Até agora, a manutenção era feita de forma programada, agendada com base no histórico de problemas. É possível que muitas mangueiras tenham sido descartadas antes mesmo do tempo previsto. Ou pior, elas foram retiradas com a parada repentina das máquinas, o que pode gerar transtornos e custos elevados”, explica Marcelo Crespo, gerente comercial da Hidraulics Brasil.

    Segundo Crespo, o LifeSense antecipa as informações e monitora a vida útil das mangueiras, informando com antecedência se alguma delas deverá ser trocada, de forma programada e preventiva. Dessa maneira é possível evitar vazamentos e acidentes.

    A conexão da mangueira é envolta por um sensor que realiza contínuo monitoramento, detectando potenciais problemas internos e externos, transmitindo os dados para uma unidade de diagnóstico.

    “O sistema realiza o monitoramento eletrônico ao longo de toda a extensão do duto, em tempo real, e interpreta a longevidade atual de cada conjunto de mangueiras. Um sinal de alerta avisa sobre uma possível falha”, texplica Gustavo Cruz, presidente da divisão Eaton Hidráulica no Brasil.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next