Tecnologia Ambiental

14 de julho de 2011

Fenasan – Feira do saneamento aproveita déficit nacional para crescer

Mais artigos por »
Publicado por: Marcelo Furtado
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Revista Química e Derivados - Fenasan 2011 - Feira do saneamento aproveita déficit nacional para crescer

    A

    feira nacional de saneamento e meio ambiente (Fenasan) continua a surpreender sua entidade organizadora, a Associação dos Engenheiros da Sabesp (AESabesp). Anual, portanto com intervalo mínimo entre suas edições, a feira cresce a cada uma delas. Na de 2011, a 22ª Fenasan, marcada para o período de 1º a 3 de agosto, houve até a necessidade de trocar de pavilhões, no centro de exposições, o Expo Center Norte, em São Paulo, para poder acomodar a demanda crescente por espaço de candidatos a expositores.

    “Precisamos sair do pavilhão amarelo para o branco, com 40% a mais de espaço para estandes, porque sentimos uma procura muito intensa por parte de novos interessados”, afirmou o presidente da AESabesp, Hiroshi Ietsugu. Segundo ele, quando foi decidida a mudança de local, houve até quem considerasse um risco aumentar o espaço sem a garantia de que ele seria preenchido. “Mas logo em janeiro todo o pavilhão já estava ocupado, repetindo o que havia ocorrido em 2010, em um espaço menor”, disse Ietsugu.

    Sob o tema “Saneamento Ambiental – A qualidade de vida no Planeta”, a próxima edição vai contar com 194 expositores, contra 140 de 2010. Com o espaço ampliado – a área total da feira foi de 8.828 m2 para 13.272 m2 no pavilhão branco –, será possível também esperar um número maior de visitantes e congressistas presentes no Encontro Técnico, que ocorre em paralelo. Em 2010, passaram 10 mil pessoas pela Fenasan e na próxima a estimativa é elevar o número para 12 mil. “Estamos fazendo um trabalho de divulgação por todo o país e podemos afirmar que o evento é referência para os outros estados”, afirmou o presidente da AESabesp.

    Os expositores, em sua maioria, são fabricantes de equi­­pa­mentos para o setor, que vêm renovando a participação na feira, além de prestadores de serviços, fornecedores de insumos químicos para tratamento de água, efluentes e resíduos, e demais segmentos complementares à esfera do saneamento. Há também a presença de empresas estrangeiras, de países como Alemanha, Turquia, Irã, Taiwan, Portugal e Bélgica. A área total de exposição será de 5.687 m2, contra 3.471 m² do ano passado. Como prova do caminho evolutivo da feira, para 2012 a AESabesp já reservou 17 mil m2 da extensão total do Pavilhão Branco, cujo espaço em grande parte já foi garantido por expositores.

    Revista Química e Derivados - Hiroshi Ietsugu, Presidente da AESabesp

    Hiroshi: exposição difunde tecnologias para outros estados

    O encontro – O 22º Encontro Técnico da AESabesp contará com 90 palestras técnicas e 12 mesas-redondas. Neste ano, segundo Hiroshi Ietsugu, houve nesse aspecto mudanças importantes. Para começar, as palestras técnicas passaram a ser mais bem selecionadas, com a avaliação de especialistas conceituados que passaram a ser convidados pela organização do encontro.

    A outra mudança diz respeito às mesas-redondas. “Resolvemos aumentar o número de mesas-redondas, mas ao mesmo tempo diminuir o de debatedores, opondo apenas duas personalidades com posições diferentes”, explicou. Nas versões anteriores, até cinco pessoas discutiam o tema proposto, o que tornava o debate algumas vezes enfadonho ou confuso. “Agora um especialista defende um ponto de vista e o outro apresenta o contraditório, com um mediador controlando o debate.”

    Serão temas das mesas-redondas: o tratamento de água ante os poluentes emergentes; a propriedade intelectual no setor de saneamento ambiental; a aplicação da legislação de proteção aos mananciais; a necessidade de ampliação de obras em São Paulo; uso racional da água – evolução e comprometimento dos municípios; a aplicação da governança colaborativa na solução de questões técnicas; qualidade dos empreendimentos nas companhias de saneamento; pesquisa e inovação tecnológica; mudanças climáticas e as interfaces com o saneamento; plano municipal de saneamento – lei 11445; saneamento e habitação; e a tecnologia como ferramenta de gestão. Além disso, no encerramento do primeiro dia do congresso, 1º de agosto, haverá uma palestra com o engenheiro Fernando Almeida, especialista em meio ambiente.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next