Farmácia e Biotecnologia

26 de junho de 2003

FCE Pharma: Novos ativos reforçam pesquisa e terapêutica

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página


    Sem a presença tradicional das empresas do Oriente, evento mantém tradição de lançamento de novas tecnologias

    Química e Derivados: FCE: fce_abre.

    A

    s mais recentes contribuições tecnológicas à produção de fármacos foram conferidas durante a 8ª FCE Pharma. Realizada no Transamérica Expo Center, em São Paulo, de 13 a 15 de maio último, sob a promoção da VNU Business Media, a feira recebeu mais de 16 mil visitantes, reunindo duas centenas de fornecedores de matérias-primas, máquinas, equipamentos, embalagens e serviços.

    Como de praxe, a exposição foi palco de vários lançamentos, acrescentando boas novidades à gama de matérias-primas já empregadas na região. Nesta edição, porém, evidenciou-se maior compromisso dos fornecedores no campo das pesquisas e terapêuticas farmacológicas, observado pela oferta de ativos mais eficazes tanto ao tratamento, como à promoção da saúde.

    A Rhodia Pharma Solutions, maior produtora mundial de ácido acetilsalicílico, promoveu três novas versões para o AAS, tradicional analgésico e antitérmico de largo emprego industrial.

    Já adotadas em laboratórios da Europa e dos Estados Unidos, como Wyeth, GSK e Sanofi, as novas tecnologias de AAS, desenvolvidas nos centros de pesquisa dos Estados Unidos, Europa e Ásia, facilitam o processamento, realizado sob compressão direta ou a seco.

    Assim, duas novas composições de AAS estão trazendo a substância acrescida de amido (Rhodine 2371) e também pigmentada (Rhodine 1416 P), suprimindo as etapas de molhagem, secagem e granulação que demandam tempo e dinheiro, gerando maior ganho em produtividade e economia de custos.

    Química e Derivados: FCE: Aymard - boas práticas tranqüilizam clientes.

    Aymard – boas práticas tranqüilizam clientes.

    Além de conferir efeito visual mais atrativo aos medicamentos, aspecto bastante apreciado em medicamentos O.T.C (Over The Count), de venda livre ao consumidor, a versão pigmentada de AAS pode incrementar a manufatura de comprimidos fabricados em multicamadas coloridas.

    Outra inovação foi representada pelo AAS microencapsulado e revestido com etilcelulose. Seus maiores benefícios à saúde são prolongar os efeitos analgésico e antitérmico, bem como oferecer proteção gástrica em face da ingestão do medicamento.

    Como segundo maior fabricante de paracetamol (N-acetil-p-aminofenol), a Rhodia Pharma Solutions também dedicou estudos recentes ao desenvolvimento de APAP na forma microencapsulada, visando oferecer proteção gástrica aos pacientes e facilitar a ingestão do medicamento pelo mascaramento do sabor pouco agradável da substância.

    Para Daniel Aymard, gerente de negócios na área de ingredientes farmacêuticos da Rhodia Pharma Solutions para a América Latina, a importância de se manter boas práticas de fabricação em todas as etapas de produção tanto de matérias-primas farmacêuticas, como de intermediários de síntese, é preservada pela empresa, oferecendo tranquilidade para as indústrias usuárias.

    “Somos a única empresa no mundo a respeitar e adotar as normas da OMS – Organização Mundial de Saúde – relativas à adoção das Good Manufacturing Practices em processos de fabricação de ingredientes farmacêuticos, preocupando-nos em atender às necessidades dos nossos clientes na área de desenvolvimento de novos medicamentos”, informou.

    Na qualidade de líder mundial na fabricação de fosfatos de cálcio, desenvolvidos para emprego em complementos nutricionais, medicamentos e alimentos, a Rhodia também evidenciou sua política de contribuir para implementar e difundir estudos que resultem em medicamentos mais eficazes, ao comunicar as conclusões de duas pesquisas sobre novas composições em fármacos.

    Uma delas, promovida pela Universidade de Creighton, em Nebraska, nos Estados Unidos, revelou a co-dependência existente entre o cálcio e o fósforo no crescimento e desenvolvimento ósseo, destacando a importância de se associar esses elementos para prevenir e tratar a osteoporose.

    Outro estudo de controle, envolvendo 14.275 mulheres com idade entre 31 anos e 70 anos, realizado pelo Grupo da Saúde da Mulher da Universidade de Nova York, destacou o papel do AAS na redução do risco de desenvolvimento de câncer de ovário epitelial.

    Química e Derivados: FCE: Valente - anestésicos são as vedetes de exportação.

    Valente – anestésicos são as vedetes de exportação.

    Exportando para o mundo – Com foco centrado em pesquisa e desenvolvimento, e que resulta na produção de três a cinco novas moléculas ao ano com emprego assegurado em indústrias farmacêuticas da América Latina, Europa e Estados Unidos, a Nortec Química teve participação de destaque nessa FCE Pharma, integrando o seleto grupo de empresas farmoquímicas brasileiras certificado com G.M.P., pela Anvisa.

    Entre os novos princípios ativos incorporados neste ano à sua produção estão a efedrina cloridrato, a pseudoefedrina cloridrato e a pseudoefedrina sulfato, para emprego em broncodilatores e descongestionantes. Outro lançamento apresentado na exposição pertence à categoria dos benzodiazepínicos. Trata-se do midazolam, utilizado como pré-anestésico em cirurgias.

    Ao lado das novas matérias-primas, também chamaram a atenção princípios ativos tradicionais, como o anti-retroviral lamivudina, droga que integra o coquetel anti-AIDS, além de ativos específicos para terapêuticas cardiovasculares, como a espironolactona e anti-histamínicos, como o citrato de orfenadrina, que motivam inúmeras encomendas no exterior.

    Destacados como os princípios ativos mais demandados pelas exportações estão, segundo Flávio Valente, diretor comercial da empresa, os cloridratos de bupivacaina, lidocaina e mepivacaina, além da prilocaina e seu cloridrato, utilizados como anestésicos locais. Nesse rol também se destacam os agentes anti-envenamento, como o benzoato de denatonio e ativos de efeito analgésico e anti-inflamatório, como o diclofenaco, o diclofenaco dietilamonio e o diclofenaco resinato, que geram grande interesse no mercado externo.


    Página 1 de 612345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next