Farmácia e Biotecnologia

15 de junho de 2011

FCE Cosmetique / FCE Pharma – Feira mostrou equipamentos inovadores para a produção

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    P

    oder visualizar as reações químicas e acompanhar passo a passo tudo o que acontece dentro de um reator são possibilidades oferecidas pelo equipamento fabricado pela empresa suíça Büchiglasuster, pela primeira vez exposto no Brasil durante a FCE Pharma 2011. Totalmente feito de vidro borossilicato e aço vitrificado, o reator foi uma das grandes atrações da feira, tanto para químicos como para iniciantes.

    Revista Química e Derivados - Saulo Yamaki, agente comercial da Metrohm Pensalab (esq.) e Daniel Machado Freitas, responsável técnico da Metrohm Pensalab

    Yamaki e Freitas: reator de vidro para visualizar a reação

    “Visualizar uma reação é o sonho de todo químico e isso é fundamental na química fina, ao se produzir um fármaco, por exemplo”, afirmou Saulo Yamaki, agente comercial da Metrohm Pensalab, empresa que representa com exclusividade o produtor do equipamento no Brasil. Além da transparência, a vantagem oferecida por materiais inertes, como o vidro, é permitir a utilização de uma ampla gama de solventes e ácidos em sistema de reação completamente selado, sob vácuo total, podendo-se acompanhar as várias etapas da reação com total segurança.

    Outro diferencial desse reator é contar com juntas móveis e com anéis de vedação de PTFE, em versões que podem comportar reações em volumes desde 250 ml até 250 litros ou mais, uma vez que são customizados de acordo com as necessidades laboratoriais. “O ChemReactor tipo GR/CR é um sistema de reator piloto multipropósito, utilizado para o desenvolvimento de processos químicos, scale-ups, simulação de processos e produções em quilo-escala em operações de bateladas ou semibateladas, de acordo com as Boas Práticas de Fabricação (GMP)”, informou Daniel Machado Freitas, responsável técnico e pelos serviços de assistência aos usuários do equipamento. As aplicações associadas ao seu uso são bastante amplas, podendo envolver desde processos ácidos, ao se trabalhar com matérias-primas com pHs muito baixos, hidrogenações e testes de reações catalíticas.

    Ao participar de uma feira de grande visibilidade como a FCE Pharma, a empresa também aproveitou a oportunidade para destacar outros equipamentos e acessórios comercializados, como dispositivos de amostragem, sondas de pH, colunas de retificação com enchimentos estruturados, unidades de controle de temperatura, filtros nutsche, lavadores de gases, entre outros, que compõem algumas das soluções requisitadas para o desenvolvimento de processos e produção no setor químico.

    Revista Química e Derivados - Alfredo Raul Lorenzo, diretor da Siemens Industry Solutions - Water Technologies para a América do Sul

    Lorenzo: osmose e EDI em apenas um módulo

    Purificação de água – Quem teve a oportunidade de visitar atentamente a feira, também se deparou com a grande novidade da Siemens para a produção de água purificada, que combina num só equipamento o processo de osmose reversa com a eletrodeionização por processo contínuo e sem paradas para realizar a etapa de regeneração de resinas. “Trata-se de uma inovação mundial e o Brasil é o segundo país no mundo, depois dos Estados Unidos, a conhecer essa nova tecnologia”, comentou Alfredo Raul Lorenzo, diretor da Siemens Industry Solutions – Water Technologies para a América do Sul.

    Fabricado nos Estados Unidos, onde foi lançado em junho de 2010, em pouco tempo o equipamento respondeu pela comercialização de mais de 40 unidades, tendo o Brasil já encomendado três. Composto de célula supercompacta com as membranas de osmose reversa, sistema de eletrodeionização, filtros biológicos e sistema de desinfecção por ultravioleta (UV), e com painel com todos os dispositivos de automação, o equipamento pode produzir até 2 mil litros/hora de água purificada e conta com duas versões, sendo uma delas completa e especial para uso farmacêutico por atender às especificações USP 34, e outra para usos que não requerem UV, nem filtro biológico, mas que necessitam de água apenas com qualidade físico-química.

    Apesar de ser produzido nos Estados Unidos, o equipamento apresenta mais de 70% de conteúdo nacional, segundo destacou o diretor, o que constitui um grande atrativo para a sua aquisição nos mercados farmacêutico e químico locais.

    Revista Química e Derivados - processo de osmose reversa com a eletrodeionização por processo contínuo e sem paradas para realizar a etapa de regeneração de resinas

    Osmose e EDI em apenas um módulo

    Do rol das mais de 60 soluções desenvolvidas pela Siemens, também foram destacados equipamentos com sanitização térmica a 80ºC e Serialization for Pharma. A primeira tecnologia permite atender às necessidades de mercado relativas à redução de consumo de água e também propicia ao equipamento, quando não estiver em funcionamento, fazer sanitizações de pulso antes de voltar a produzir, minimizando a ocorrência de contaminações e contribuindo para aumentar a vida útil de membranas e de módulos de eletrodeionização. Já o sistema Serialization for Pharma é responsável pelo rastreamento de medicamentos em todo o ciclo, incluindo a possibilidade de identificar produtos falsificados em todas as etapas, desde a produção até a venda para o consumidor.

     


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next