Cosméticos

14 de maio de 2015

FCE Cosmetique e FCE Pharma 2015 – Prévia: Setores ignoram crise e investem para formar pessoal e inovar mais

Mais artigos por »
Publicado por: Hamilton Almeida
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, FCE Cosmetique e FCE Pharma 2015 - Prévia: Setores ignoram crise e investem para formar pessoal e inovar maisQuímica e Derivados, FCE Cosmetique e FCE Pharma 2015 - Prévia: Setores ignoram crise e investem para formar pessoal e inovar mais
    Desafiando a recessão que paira sobre vários segmentos da economia brasileira, a 20ª edição das simultâneas FCE Cosmetique e FCE Pharma, de 12 a 14 de maio, no Transamérica Expo Center, em São Paulo, apresentará lançamentos, tendências e novas tecnologias de cerca de 500 marcas nacionais e internacionais, incluindo 78 expositores do exterior. Os dois encontros “são as principais e mais completas plataformas de negócios para toda a cadeia produtiva das indústrias farmacêutica e cosmética”, afirma Lígia Amorim, diretora geral da NürnbergMesse Brasil, a empresa organizadora.

    Química e Derivados, Lígia: setores investem para manter a competitividade

    Lígia: setores investem para manter a competitividade

    A expectativa é receber 17 mil profissionais qualificados, em sua maioria tomadores de decisão, além de fornecedores, distribuidores e revendedores do país e do exterior, consagrando o Brasil como player relevante no panorama mundial. “A FCE Pharma e a FCE Cosmetique têm trazido inovações importantes ano após ano. Eventos paralelos de conteúdo, qualificação e atualização profissional são peças fundamentais para as estratégias de marketing e comunicação das empresas”, ressalta Lígia. A crise econômica não assusta, porque abre oportunidades de inovação. Além disso, ela observa que “as feiras de negócio têm um valor estratégico crescente em períodos como este”.

    O cenário, prossegue, “proporciona às empresas expositoras uma gama de oportunidades para atingir um grande número de perspectivas de vendas em um breve período de tempo e investimentos tornando-se, para qualquer estratégia de marketing, uma das mais completas ferramentas de vendas e posicionamento de marca do mercado. É mais do que apenas uma mídia, é poder ter acesso a todo o mercado de uma única vez, em um único lugar tendo acesso aos seus clientes, prospects, parceiros e imprensa”, ressaltou.

    O mercado brasileiro de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC) movimentou cerca de R$ 101,7 bilhões em 2014, registrando um crescimento nominal de 11%, em relação ao exercício anterior. O setor vem crescendo nos últimos 19 anos a um ritmo chinês, da ordem de 10% ao ano, em média. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), as empresas brasileiras são responsáveis por cerca de 1,8% do PIB e já representam 9,4% do consumo mundial.

    O Brasil é líder mundial no segmento de perfumaria, com um faturamento de R$ 17,1 bilhões; em desodorantes, as receitas somaram R$ 11,5 bilhões no ano passado. O país figura como o 2º maior consumidor mundial nas categorias de produtos masculinos (R$ 11,1 bilhões, 11% do consumo total de HPPC), infantis e para cabelos. Nos últimos cinco anos, o segmento infantil obteve um expressivo crescimento médio de 14%, faturando R$ 4,5 bilhões em 2014. Impulsionado pelos condicionadores, colorantes e xampus, o mercado de produtos para cabelos faturou R$ 21,2 bilhões, um crescimento de 11% em comparação a 2013.

    “O Brasil está em terceiro lugar no mercado cosmético no mundo”, declara João Alberto Hansen, presidente da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC). O país está atrás apenas dos Estados Unidos e da China. E, além disso, exporta para cerca de 140 países, entre eles, Argentina, Chile, México e Colômbia. “A partir de 2000, o Brasil entrou no circuito global e isso fez as empresas crescerem muito. Hoje, o desafio é manter a competitividade, a inovação e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento,” adiciona. Outros fatores, como o acesso mais amplo ao mercado de consumo, a profissionalização alinhada à necessidade do público e a participação da mulher no mercado de trabalho também contribuíram para a consolidação do setor nos últimos anos.

    A tendência, vaticina Enilce Maurano Oetterer, diretora administrativa da ABC, é o mercado nacional continuar com constante crescimento nos próximos anos, principalmente pelo aumento da população e pela migração das classes D e E para a C. Ela acredita que há uma busca maior por produtos multifuncionais (filtro solar com hidratante, por exemplo) e mais eficazes. “Os produtos cosméticos geram bem estar”, lembra.


    Página 1 de 612345...Última »

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *