Tintas e Revestimentos

14 de novembro de 2002

Especialidade: Degussa promove uso dos silanos em tintas

Mais artigos por »
Publicado por: Marcio Azevedo
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A

    Degussa, líder mundial em especialidades químicas, prossegue a estratégia de trazer ao País especialistas estrangeiros e informações acerca das novidades desenvolvidas pela empresa, reforçando a liderança tecnológica no segmento.

    Química e Derivados: Especialidade: Borup - silanos aderem materiais orgânicos aos inorgânicos.

    Borup – silanos aderem materiais orgânicos aos inorgânicos.

    Desta vez, visitou o Brasil o Dr. Björn Borup, especialista em silanos para aplicações em tintas, resinas para fundição e coatings, da Degussa AG. Conforme afirmou Ralph Ahlemeyer, gerente de negócios da empresa, é a primeira visita técnica desse tipo ao País.

    Silanos são moléculas bifuncionais com a fórmula geral Y–Si(OR)3, que podem atuar como promotores de adesão ou como co-agentes de reticulação. A principal vantagem decorrente de sua utilização, segundo o Dr. Borup, é a promoção da aderência entre materiais orgânicos e inorgânicos.

    O grupo tri-alcóxi Si(OR)3 corresponde à extremidade sílico-funcional que, em presença de água, é hidrolizada para formar grupos silanol Si–OH, originando moléculas de álcool:

    Esses grupos são consideravelmente reativos e permitem a ligação da molécula de silano a substratos inorgânicos, como metal e vidros. O silano também possui uma extremidade organo-funcional (Y) que pode conter grupos alquil, aril, vinil, amina, epóxi, metacrilato e outros, e possibilita a reação da molécula com matrizes poliméricas. Desse modo, os silanos podem atuar como promotores de adesão em tintas, viabilizando a ligação entre polímeros, base de grande parte das tintas e substratos inorgânicos.

    Os silanos também podem ser utilizados como co-agentes de reticulação na síntese de resinas. Nesse caso, as extremidades organo-funcionais ligam-se à matriz polimérica, mas os grupos silanol, diferentemente, reagem entre si, formando uma rede tridimensional de ligações siloxano Si–O–Si. Assim, a incorporação de silanos como comonômeros durante a síntese de resinas fortalece o processo de crosslinking, com reflexos nas propriedades do material polimérico, como o aumento da resistência à água, à abrasão, risco, e melhor adesão.

    Química e Derivados: Especialidade: atualidades. O Dr. Borup também apresentou a nova linha de silanos oligoméricos multifuncionais à base d’água. Como a demanda por tintas à base d’água é crescente, por motivos ambientais, a Degussa desenvolveu silanos pré-hidrolizados compatíveis com essas tintas, para evitar o desprendimento de álcoois (metanol ou pentanol) que podem representar cerca de 50% da massa do silano. Os produtos da linha são comercializados com as marcas Dynasilan HS e Hydrosil, esta apenas na América do Norte.

    Apesar da versatilidade dos silanos, determinada pela natureza química da extremidade organo-funcional, as soluções destinadas a sistemas de poliuretanas não possuíam bom desempenho, explica o Dr. Borup: “Havia dificuldade em se determinar o mecanismo da reação dos silanos com a matriz polimérica”. A Degussa, não obstante, conseguiu desenvolver três produtos com alta reatividade a sistemas poliuretano. São amino-silanos secundários com aplicações nas áreas de selantes e adesivos, coatings e resinas para fundição. Durante a produção do poliuretano, em que ocorre a reação entre isocianato e poliol, o primeiro reage com a amina secundária do silano, modificando o monômero ou a resina, e, conseqüentemente, as propriedades do polímero.

    Química e Derivados: Especialidade: Factori - silano protege contra pichações.

    Factori – silano protege contra pichações.

    A Degussa ainda desenvolveu um produto único, sem pares entre os concorrentes. É o Protectosil Antigraffiti, um flúor-alquil-silano base d’água destinado à proteção contra a pichação de substratos inorgânicos como concreto, pedra e cerâmica. Os revestimentos antigrafite não são novidades no mercado, mas, segundo o gerente de produto Edson Factori, as opções concorrentes ou não são permanentes – caso das ceras –, ou modificam a aparência dos substratos, quando se usam tintas. O Protectosil não forma película sobre o substrato, ao contrário das tintas, enquanto as ceras precisam ser reaplicadas a cada vez que se remova a pichação. Com o Protectosil, a remoção do grafite pode ser facilmente realizada utilizando-se jato de água de alta pressão, e a durabilidade da aplicação é bastante longa.

    “Só a Degussa possui uma solução permanente sem modificar a aparência do substrato, e que, por esse motivo, pode ser utilizada para a proteção de monumentos e prédios cuja fachada ou cor não se deseja alterar”, disse Factori.

    A Degussa produz silanos na Europa, Japão, Estados Unidos e Canadá. O uso das substâncias no mercado brasileiro é mais maduro no segmento de produção de pneus, segundo Ralph Ahlemeyer, por que os pneus são um item de segurança muito importante, e como o mercado automobilístico é bastante globalizado, as novidades tecnológicas atingem os mercados mundiais, inclusive o brasileiro, mais rapidamente. Ahlemeyer prevê crescimento ao redor de 7% no consumo de silanos no País nos próximos cinco anos. Como as novas tecnologias em tintas e coatings incorporam em maior escala o uso dos silanos, espera-se que o aumento do consumo supere o crescimento do PIB nacional.



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next