Tratamento de Água

20 de abril de 2017

Desmineralização: Reúso de água e geração de eletricidade sustentam vendas de sistemas e de consumíveis

Mais artigos por »
Publicado por: Hamilton Almeida
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Fornece tais equipamentos e sistemas via contrato de prestação de serviço de terceirização DBOOM (design, build, own, operate, maintain), no qual investe no ativo instalado no site do cliente, opera e o mantém durante o prazo contratual, que costuma durar entre cinco e dez anos.

    Química e Derivados, Piaia: tecnologia de membranas domina a desmineralização

    Piaia: tecnologia de membranas domina a desmineralização

    De acordo com Cichy, o ano de 2016 foi melhor que 2015. “Apesar de uma redução nos investimentos, tivemos algumas ampliações em plantas onde já haviam equipamentos da GE Water; isso nos ajudou a ampliar as vendas em comparação ao ano anterior. E novas indústrias de cogeração também optaram por nossos sistemas”.

    O maior foco da Veolia dentro da linha de negócios SDI (Serviço de Deionização Integral, conjuntos portáteis disponíveis para locação) são as empresas químicas, farmacêuticas e cosméticas. Nessas áreas, o mercado se manteve estável em 2016, em termos de faturamento total. Entretanto, “detectamos que o número de manutenções foi maior e isso se deve ao fato de a maioria das empresas estar sem condições financeiras para investir em novos equipamentos”, afirma Cynthia.

    Além do fornecimento de sistemas via serviço de terceirização DBOOM, a carteira da Nalco Water abrange também, nas palavras de Piaia, o fornecimento de trabalhos especializados de operação e manutenção de sistemas existentes, cuja demanda também permaneceu constante, nos últimos doze meses, levando-se em consideração o amplo leque industrial atendido pela empresa, que vai desde a indústria leve (alimentos, bebidas, manufatura, etc.) à indústria pesada (petroquímica, siderurgia, energia, etc.).

    Sem dispor de dados concretos para poder comentar, Ramires diz que, quanto a produtos químicos, nota-se maior demanda oriunda dos complexos de desmineralização. A Iosis trabalha com o fornecimento de químicos para tratar os conjuntos de osmose reversa, bem como resinas de troca iônica, quando é o caso. A maior demanda está no tratamento de águas industriais como um todo.

    A crise – Nessa época de dinheiro curto, Cichy revela que os clientes buscam por soluções que aliem altíssima qualidade e eficiência à redução de custos. “No atual cenário econômico, há uma demanda especialmente grande por todas as soluções que possibilitem um maior aproveitamento da água e um consumo menor de energia. A desmineralização da água, utilizando as tecnologias de osmose reversa e eletrodeionização, resulta em um alto índice de aproveitamento desse recurso, além de um baixo consumo energético”.

    Além disso, prossegue, “uma solução de grande demanda é a frota de água móvel da GE Water, que tem como objetivo principal a produção de água desmineralizada para alimentação de caldeiras e aplicações industriais. Esse serviço permite que os clientes obtenham um tratamento de forma rápida e simples, podendo atender aos picos de produção e contingências dos sistemas existentes nas indústrias”.

    Na opinião de Cynthia, o que mais querem os clientes são “equipamentos que atendam perfeitamente as suas necessidades, que caibam em seus budgets e um atendimento excepcional. “Eles querem investir as suas verbas em empresas parceiras, que sabem que não vão deixá-los sem suporte”.

    Pragmático, Ramires enfatiza que se busca, como sempre, a melhor relação custo/benefício em tratamento de águas. Piaia corrobora: “soluções de desmineralização de água de boa relação benefício/custo e que apresentem economias operacionais, em relação às outras soluções”.

    Tecnologia – Cichy ressalta que a GE Water lançou no mercado nos últimos anos o Pro-Ecell, equipamento que une, em um skid único, osmose reversa e eletrodeionização (EDI). “O Pro-Ecell possibilita a produção de água desmineralizada com uma resistividade de 16 Mohm-cm (condutividade de 0,06µS/cm2) e sílica de 10ppb”, ressalta.

    Química e Derivados, Sistema Pro-Ecell, da GE, associa osmose reversa à eletrodeionização

    Sistema Pro-Ecell, da GE, associa osmose reversa à eletrodeionização

    A utilização dessa tecnologia traz, conforme o gerente, vários benefícios, incluindo a não geração de efluentes químicos durante as regenerações – quando comparada à da troca iônica –, menor área de instalação, um sistema completamente automático, baixo opex e operação contínua, entre outros. A empresa contabiliza dois equipamentos em operação no Brasil e vários na América Latina

    Cynthia destaca que a Veolia está programando algumas melhorias nos seus conjuntos, mas ainda não pode revelar quais serão. “A troca iônica é a grande solução para as empresas que não têm nenhuma legislação que a impeça de ser usada, pois há um aproveitamento de 100% da água de entrada”, observa.

    “Nessa época de crise, as empresas entenderam bem esse conceito. Com isso, a Veolia trouxe, no final do ano passado, o Rapide Strata, um equipamento de troca iônica por leito compactado, que além do aproveitamento total da água de entrada, permite ciclos de regeneração curta, com baixo consumo de regenerante e, consequentemente, baixa geração de efluente já neutralizado”, complementa.


    Página 2 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *