Farmácia e Biotecnologia

15 de setembro de 2011

CPhI South America 2011 – Mercados local e global seguem em alta

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    química e derivados, indústria farmacêutica

    O

    s gastos com medicamentos totalizaram, no mundo todo, US$ 856 bilhões em 2010. A informação, do Instituto IMS Health, foi divulgada durante a CPhI South America 2011. No Brasil, o consumo de medicamentos aumenta a cada ano, mas o potencial de crescimento ainda é grande, considerando as numerosas parcelas da população que ainda não têm acesso a eles por causa da baixa renda.

    O desempenho do setor farmacêutico no Brasil também é considerado dos mais expressivos do mundo e cresce, anualmente, a taxas próximas de dois dígitos. Estima-se que o mercado brasileiro possa crescer entre 8% e 11% até 2013, o que representa o dobro da média global. A expansão na economia e o envelhecimento da população deverão tornar esse mercado ainda mais promissor no futuro.

    As vendas físicas de medicamentos no primeiro trimestre de 2011, de acordo com dados da IMS Health, alcançaram 544,33 milhões de unidades, crescendo 14,5% em relação ao mesmo período de 2010. A receita gerada no período foi de R$ 9,59 bilhões (US$ 5,75 bilhões), 18% superior em relação ao mesmo período do ano anterior. Nesse mesmo período, o mercado de medicamentos genéricos cresceu 37,2%, elevando-se de uma receita de R$ 1,29 bilhão (US$ 717,94 milhões) para R$ 1,77 bilhão (US$ 1,06 bilhão). Isso se deu pelo crescimento das vendas físicas, indicado pela comercialização de 123,71 milhões de unidades, contra 93,76 milhões de unidades compradas no mesmo período do ano anterior.

    No primeiro trimestre de 2011, a participação dos genéricos chegou a 18,4% de toda a receita movimentada pelo mercado farmacêutico no país. O mercado de genéricos também tem muito espaço para crescer e corresponde, em unidades, a cerca de 22% do mercado total.

    O Brasil apresenta forte dependência de matérias-primas importadas. Cerca de 80% dos insumos utilizados na fabricação de medicamentos, de acordo com a Lafis Consultoria, são provenientes das importações. O déficit na balança comercial do setor farmacêutico aumenta ano após ano. Em 2005, representava US$ 1,56 bilhão; em 2006 (US$ 1,98 bilhão); em 2007 (US$ 2,77 bilhões); em 2008 (US$ 3,31 bilhões); em 2009 (US$ 3,40 bilhões); e em 2010 (US$ 4,81 bilhões). No primeiro bimestre de 2011, o déficit foi de US$ 674,52 milhões, com as exportações gerando receita de US$ 190,67 milhões e as importações somando gastos de US$ 865,19 milhões.

    Na opinião de especialistas, a balança comercial deficitária do setor farmacêutico brasileiro poderia se reverter. Uma das saídas seria consolidar o país como plataforma de abastecimento para toda a América Latina.

    O governo federal também poderia ajudar. Os gastos do governo brasileiro com medicamentos estão bem abaixo da média alcançada nos países desenvolvidos. Atualmente, de acordo com a Lafis Consultoria, 20% dos medicamentos comercializados atendem à demanda de compras do governo, enquanto na Espanha esse percentual chega a 73%.

    A indústria farmacêutica representa um dos setores que mais investem em pesquisa e desenvolvimento (P&D), mas o desenvolvimento de novos produtos no país ainda é considerado tímido. A indústria farmacêutica brasileira, conforme apurou a Lafis Consultoria, despende, em média, 0,7% da receita líquida com P&D, enquanto nos países mais desenvolvidos esse percentual se eleva para 15% a 20%.

    A evolução no faturamento tem acompanhado o setor nos últimos anos, conforme observado pela IMS Health. Em 2003, o faturamento alcançou R$ 14,8 bilhões; em 2004, foram R$ 17,3 bilhões; em 2005, R$ 19,2 bilhões; em 2006, 21,5 bilhões; em 2007, R$ 23,6 bilhões; em 2008, R$ 26,4 bilhões; em 2009, R$ 30,2 bilhões; e em 2010, R$ 36,3 bilhões.

    Em 2011, de acordo com análise da Lafis, a expansão no faturamento do setor deverá ser menor em comparação com 2010. As projeções indicam 11% de expansão na receita e 8,7% de crescimento nas vendas físicas de medicamentos neste ano.

     



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next