Cosméticos

3 de outubro de 2016

Cosméticos: Tropicalização de matérias-primas

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, Cosméticos: Tropicalização de matérias-primas

    Texto: Alberto Keidi Kurebayashi

    O termo “tropicalização” pode ser entendido como um processo em que um determinado produto proveniente de outro país está submetido para se adaptar às necessidades e hábitos do mercado local. Esse termo é amplamente utilizado na indústria automobilística, onde automóveis importados principalmente dos Estados Unidos e Europa sofrem alterações para proporcionar melhor performance local, pois as condições das estradas brasileiras, infelizmente, estão muito inferiores quando comparadas às estradas da Europa e EUA.

    Quando falamos de cosméticos, esse termo pode ser interpretado sob diversos pontos de vista, como Regulatório, Processo de Fabricação, Nacionalização de Matérias-Primas (contratipagem) e o mais importante Sensorial.

    -Regulatório: as formulações e/ou produtos originários de outros continentes estão submetidos às legislações locais. O processo de avaliação regulatória se dá sob duas frentes: avaliação dos ingredientes frente à legislação brasileira, como por exemplo sob o ponto de vista da lista restritiva e avaliação dos ingredientes considerando suas concentrações em comparação aos limites definidos pela Anvisa. Além disso, uma avaliação regulatória aborda todos os ingredientes através do breakdown, considerando todos os componentes presentes e suas somas, principalmente na concentração total de preservantes. Outro ponto relativo a esta avaliação diz respeito ao termo rotulagem, adequando o mesmo dentro da legislação vigente quanto adequando a uma linguagem e idioma do consumidor local.

    -Processo de Fabricação: quando uma empresa decide fabricar o seu produto no Brasil, o processo de tech transfer é estratégico, Mesmo que se tenha todo o processo produtivo, especificações do produto e dos insumos, medidas corretivas etc, os equipamentos nos quais serão produzidos os cosméticos sempre apresentam alguma diferença quando comparados com os de outros países. Temos no país modernos equipamentos que permitem produzir todo tipo de produto, o grande diferencial do Brasil está numa qualidade imbatível e destacada: a criatividade. Mesmo que os equipamentos no Brasil não tenham os mesmos recursos em um só equipamento, através da experiência e capacitação dos especialistas brasileiros, o processo produtivo pode ser realizado, obtendo-se assim o produto dentro das características desejadas.

    -Nacionalização de Matérias-Primas: existem subdivisões sobre este tema, o primeiro está relacionado à avaliação direta da formulação a ser nacionalizada, onde se busca a viabilidade e disponibilização de todos os itens que compõem a formulação, avaliando fornecimento local, necessidade de item a ser importado. O segundo ponto está relacionado na busca dos ingredientes, porém com abertura para oferta de similar disponível no Brasil, não necessariamente de fabricação nacional, mas importados com estoque local; nesta tarefa, além da busca dos mesmos ingredientes previstos na formulação original, a contratipagem abre espaço para uma redução de custo da formulação.

    Química e Derivados, Alberto Keidi Kurebayashi

    Alberto Keidi Kurebayashi

    -Sensorial: uma formulação ou produto que vem de outros países com condições climáticas diferentes das do Brasil é o que apresenta maior impacto na aceitação pelos brasileiros. Um país de clima tropical, mesmo com variações de condições de norte a sul, apresenta características definidas de aceitabilidade sensorial. Um estudo com protocolo de uso pelos consumidores targets norteia as melhorias que devem ser incorporadas. Produtos com toque seco e efeito matificante são os mais valorizados pelos consumidores.

    Tropicalizar produtos cosméticos é um grande desafio, seja pelos pontos acima listados quanto sob o ponto de vista da carga tributária. A parceria e o suporte de entidades oficiais e empresas especializadas em cada aspecto é fundamental para um projeto bem resolvido.

    Farmacêutico-Bioquímico pela USP, na especialidade Fármaco-Medicamentos, é diretor da Protocolo Consultoria em Dermocosmética e possui 26 anos de experiência na indústria de produtos cosméticos e farmacêuticos, com ênfase em produtos dermocosméticos, como formulador e especialista em transferência de tecnologia, inovação e ciência. Contato: alberto@siteprotocolo.com.br



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *