Cosméticos

15 de outubro de 2011

Cosméticos – Encontro técnico aponta vegetalização do setor

Mais artigos por »
Publicado por: Rose de Moraes
+(reset)-
Compartilhe esta página

    A

    s últimas inovações em ingredientes para cosméticos e produtos de higiene pessoal da Oxiteno foram apresentadas em workshop promovido pela empresa em setembro, em São Paulo, trazendo novas contribuições para a vegetalização das fórmulas e para incentivar produções mais sustentáveis. O atual portfólio de ingredientes derivados de fontes vegetais renováveis da empresa contempla novos tensoativos, agentes de consistência, modificadores reológicos e umectantes para aplicações em xampus, condicionadores, sabonetes líquidos, entre outros produtos de largo consumo.

    Os novos desenvolvimentos decorrem, principalmente, da capacidade de processamento e da expertise de transformação. Na unidade oleoquímica da empresa, instalada no final de 2008, na Bahia, são produzidos álcoois laurílico (C12-14) e cetoestearílico (C16-18), bem como glicerinas e derivados do óleo de palmiste. Com isso, os clientes podem formular produtos a um só tempo mais suaves e de alta performance.

    Baseados em matéria-prima de fonte renovável, biodegradável e promotora da saúde e do bem-estar dos usuários, os novos produtos expressam o conceito Greenformance, recém-criado pela empresa em alusão à química verde e ao desempenho, que podem perfeitamente ser conciliados nos produtos para personal care, entre outros.

    Produzido na unidade de Tremembé-SP da companhia, com álcool laurílico de óleo de palmiste e eteno de cana-de-açúcar, o tensoativo primário aniônico Alkopon 70 Eco é um dos principais integrantes dos novos produtos. Formador de espumas com alto poder detergente, o novo ingrediente foi concebido para incorporação a frio em xampus, sabonetes líquidos, espumas para banho, entre outros, destacando-se também pela sua biodegradabilidade e por estar isento de conservantes.

    Com duplo poder espumante e condicionante, outro ingrediente, o Alkonix SC Plus, também derivado do óleo de palmiste e produzido em Tremembé-SP, traz uma mistura balanceada de tensoativos aniônicos de baixa irritabilidade à pele e aos olhos, permitindo reduzir o volume de diferentes matérias-primas para a formulação de xampus e espumas para banho.

    Classificado como tensoativo especial, Alkolan CD 30, a cocobetaína, derivada do óleo de coco, é considerada um produto multifuncional para fórmulas destinadas aos cabelos, cujo emprego resulta no incremento do volume de espuma e no aumento de viscosidade das formulações, facilitando a penteabilidade. Compatível com fórmulas de pH baixo, também pode ser utilizada em conjunto com alfa-hidroxiácidos (AHA).

    No rol dos mais recentes agentes de consistência produzidos pela empresa, o destaque coube à linha Alkonat, produzida com alcoóis graxos (C16-18), também derivados do óleo de palmiste, altamente compatível com a pele e com os cabelos, considerada ideal para formular produtos para peles sensíveis e para o público infantil.

    Também focado em fórmulas suaves, para uso tanto adulto como infantil, o umectante biodegradável Glicenat, produzido da glicerina, apresenta a versatilidade de ser compatível com tensoativos aniônicos, não-iônicos, catiônicos e anfotéricos.

    Como novidades produzidas na fábrica mexicana da Oxiteno, destacam-se ainda Lactipol SLL 70 e Alkont EL 3645, ambos desenvolvidos de forma que permitam incorporações a frio. O primeiro é um lactilato líquido concentrado, e que tem por origem os ácidos graxos do óleo de coco. O segundo atua como modificador reológico, oferecendo a vantagem de não requerer neutralização, preservar a transparência, podendo ser empregado em produtos para o público infantil e para higiene íntima.

    Produções sustentáveis – As grandes corporações estão realmente se comprometendo cada vez mais com a sustentabilidade em todo o planeta. Isso é observado principalmente nas áreas de pesquisa e desenvolvimento (P&D), que vêm contando com maiores recursos para desenvolver inovações inspiradas nos pilares do consumo consciente, que adota como princípios poupar o meio ambiente e atuar em prol da saúde e do bem-estar dos consumidores.

    Porém a grande questão que se impõe é como conciliar os avanços com produções de menor impacto sobre o meio ambiente. E foram considerações desse tipo que impulsionaram a Oxiteno a desenvolver e ampliar a oferta de ingredientes naturais para vários mercados, passando a atuar com uma oferta de 20% de matérias-primas de fontes renováveis e com 35% dos produtos já sendo formulados com ingredientes renováveis, abrangendo oleoquímicos, tensoativos verdes (lauril éter sulfato de sódio e ésteres graxos especiais), incluindo solventes (alcoóis C4 e C5), entre outros, desenhados com o conceito Greenformance.


    Página 1 de 212

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next