Cosméticos

8 de junho de 2013

Cosméticos – Associação completa 40 anos de apoio à evolução do setor

Mais artigos por »
Publicado por: Hamilton Almeida
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Química e Derivados, ABC Cosmetologia: Associação completa 40 anos de apoio à evolução do setor

    O

    mercado brasileiro de cosméticos movimenta cerca de R$ 30 bilhões/ano e vem registrando um crescimento médio anual de 10%, nos últimos anos. Nesse ritmo, o país está próximo de ultrapassar o Japão e assumir a 2ª colocação no ranking mundial, que é liderado pelos Estados Unidos.

    Além de ostentar um mercado com essa envergadura invejável, o Brasil vem conquistando também outra proeza. Esse dinâmico segmento de mercado já foi totalmente dominado por empresas estrangeiras. Hoje, Natura e O Boticário são multinacionais brasileiras de respeito. E há outros bons exemplos de empresas nacionais como Payot, Jequiti, Valmari e VitaDerm. E, na área capilar, Embelleze, Niely e Aroma do Campo.

    Química e Derivados, Jadir Nunes, ABC Cosmetologia, desafio atual é aproximar universidades e empresas no país

    Nunes: desafio atual é aproximar universidades e empresas no país

    Coordenador do conselho consultivo da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC) – futuro vice-presidente administrativo – e diretor de pesquisa e desenvolvimento da Stiefel, Jadir Nunes lembra que indústrias de ponta como O Boticário e Natura “têm praticamente a mesma idade da ABC”, o que reflete o desenvolvimento científico conquistado pelo setor nacional.

    “Após o surgimento da ABC, o país desenvolveu centros de pesquisa (o primeiro foi o da Johnson&Johnson, em São José dos Campos, nos anos 70) e se trabalhou forte no desenvolvimento técnico-científico dos profissionais. Além disso, a associação buscou maior interação com as entidades internacionais do gênero, como a Federación Latinoamericana de Sociedades de Ciencias Cosméticas (Felascc) e o International Federation of Societies of Cosmetic Chemists (IFSCC).

    Com tecnologia própria, o Brasil é considerado um país inovador. “O desafio, agora, é criar uma dinâmica de relacionamento entre as universidades e as empresas para lançamento de projetos inovadores”, aponta Nunes. A ABC formou o primeiro grupo de professores de cosmetologia recentemente. “Queremos facilitar o intercâmbio entre as duas partes e criar novos centros de pesquisa”, adiciona.

    Com 40 anos de experiência, a ABC, fundada em abril de 1973, é uma entidade que tem por objetivo promover o desenvolvimento da cosmetologia. Formada por um grupo de profissionais das áreas de farmácia e química, ligados a universidades e empresas de produtos finais e matérias-primas para a indústria de higiene pessoal, cosméticos e perfumes, a ABC promove atividades tecnológicas, científicas e de regulamentação em prol do setor.

    “A ABC sempre desenvolveu um papel muito importante com os profissionais do setor. É um trabalho de dedicação, realizado por pessoas abnegadas”, destaca Maria Rita Resende, diretora técnica da Valmari Dermocosméticos e futura diretora financeira da ABC.

    Química e Derivados, Maria Rita, ABC Cosmetologia, entidade valoriza os profissionais e apoia qualificação

    Maria Rita: entidade valoriza os profissionais e apoia qualificação

    A atuação da associação ao longo deste período é considerada de suma importância para o desenvolvimento dos setores tecnológico, científico e regulamentar do âmbito cosmético e de seus profissionais, participando de comitês, grupos técnicos, grupos de trabalhos e aconselhamento para as áreas de Vigilância Sanitária, Metrologia e Meio Ambiente e no processo de integração do Mercado Comum do Sul (Mercosul).

    A ABC é representante oficial do Brasil na IFSCC, sociedade que congrega cerca de 35 entidades internacionais. Também representa o Brasil na comunidade internacional científica da cosmetologia, participando e promovendo atividades para o aperfeiçoamento da integração mundial e troca de informações.

    “A ABC sempre representou bem os profissionais, seja promovendo congressos internacionais, difundindo as inovações, incentivando a pesquisa (costuma premiar os melhores trabalhos) e organizando encontros de reciclagem entre profissionais e fornecedores para se alinhar ao que está acontecendo de mais importante ao redor do mundo”, afirma Maria Rita. Ela classifica esse modo de operação como “enriquecedor e muito democrático”.

    Os associados da ABC têm outras regalias adicionais. A entidade disponibiliza o seu laboratório para ensaios e aperfeiçoamentos técnicos e ainda oferece uma biblioteca atualizada. “A ABC continuará cultivando a valorização dos profissionais, a busca e a disseminação do conhecimento”, observa Maria Rita. “Assim, estaremos consolidando o trabalho realizado ao longo das últimas décadas e fortalecendo o mercado de trabalho”, acrescenta.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


      ""
      1
      Newsletter

      Receba artigos, notícias e novidades do mercado gratuitamente em seu email.

      Nomeseu nome
      Áreas de Interesseselecione uma ou mais áreas de interesse
      Home - Próximo Destino Orlando
      ­
       Suas informações nunca serão compartilhadas com terceiros
      Previous
      Next